Querido Noel,
              Então é Natal. Mais uma vez. Mais um ano vestindo aquela roupa nova que comprei especialmente para ficar algumas horas sentada no sofá ouvindo meus familiares com aquele famoso "é pavê ou pacomê?" e com aquelas incansáveis enquetes a respeito da minha vida; "e os namorados?", "você ainda não decidiu o que vai fazer? O ENEM já está aí!", e tantas outras perguntas que as únicas respostas cabíveis seriam olhos revirados, mas por educação à família eu apenas sorrioo amarelo e continuo comendo, pois não há nada melhor para fazer nestas ocasiões. Escuto todos os meus amigos desejando-me um feliz natal, sendo que ainda é dia 24. Vejo todo mundo com seus familiares, e eu, que já não aguenta mais comer, só quero que aconteça logo o amigo secreto para presentear um amigo com um presente pensado com todo o amor e carinho e acabar ganhando um par de meias para o dia se concretizar como apenas mais um infortúnio. 
              Daí chega meia noite. É hora de trocar os presentes. Depois dormimos até tarde no dia seguinte, almoçamos o que sobrou da ceia e fim. Começam agora os preparativos para o ano novo. Isso me intriga profundamente. Pessoas que nos outros 11 meses e 29 dias do ano são hipócritas, críticas e abusivos, chegam neste dia desejando felicidades a todos como se isso pudesse deixá-la com a consciência limpa apesar de tudo que fez no ano.
              E aquela sua perguntinha, querido Noel, "você foi um bom menino?"? Defina "bom menino", querido. O que é ser bom hoje em dia? É criticar tudo o que quiser na internet, pois não é preciso olhar nos olhos de alguém para fazer tal? É julgar as inúmeras Fabíolas que existem por aí e esquecer que "quem nunca pecou que atire a primeira pedra"? É colocar um problema acima de outro como se isso fosse resolver algo? Diga-me, então, se ser uma boa pessoa é ignorar problemas mais sérios por todo o mundo e se preocupar mais com futilidades que não o levarão a lugar nenhum. Que me perdoe você, bom velhinho, e todos aqueles que em você acreditam, mas este ano você não irá distribuir muitos presentes. Não, eu mesma não fui uma boa menina. Não de acordo com que a sociedade, hoje, dita. Eu decidi que sou contra aquilo que a família brasileira impõe, sou contra calar-me em frente de opressores e sou contra dar respeito a quem não merece. Desculpe-me, mas eu não fui uma menina. Não deixei me tocarem sem o meu consentimento, mesmo que eu estivesse com uma roupa um pouco mais curta que intitulam como o famoso "estava pedindo". Não permiti que falassem barbaridades contra o sexo feminino e quisessem que depois continuasse tudo bem. Não permiti uma mãe bater na própria filha, desobediente, pois achei que já passava dos limites. Não consegui ouvir meu tio falando repetidas vezes o quanto odiava aquela mulher do tempo do jornal da noite simplesmente por ela ser negra. Eu não consegui ficar calada, querido Noel. 
              E mesmo assim, se você ainda me achar digna de um presente, eu venho pedir o fim disso tudo. Fim do machismo, fim do preconceito entre raças, sexos e gostos. Ou apenas me dê paciência, se não for possível atender ao meu primeiro pedido, para suportar tudo isso. Por todo o mundo, Noel, eu peço paz. Peço consolo às mães que perdem seus filhos para a guerra. Peço lucidez e verdade para aqueles que estão no poder e precisam tomar decisões difíceis. Peço paz para as regiões conturbadas asiáticas. Eu peço clemência por aqueles que não reconhecem seus erros. Peço informação e estudo para aqueles que falam sem nada saber. Desculpe por pedir demais, mas para você, depois de tudo aquilo que eu já o vi fazer, este presente seria dos mais fáceis, não?
              Um feliz natal!

Nota: Não dava para fazer um textinho de natal comum, não é mesmo? Apesar dos pesares, um feliz natal a todos! Aproveitem bastante com suas famílias, peçam paz para este mundo! Um beijo, até logo.



Deixe um comentário