Eu tentei... Eu juro que eu tentei! Mas quando me deparei com uma parede de rejeição, simplesmente desisti de tudo. Ou melhor, desisti apenas do que machucava meus sentimentos. Não sei se fui fraca ao desistir tão facilmente, mas olhar para trás e perceber que eu poderia ter tentado mais uma vez... É frustrante.
         Algumas vezes me pergunto se deveria ser mais fria, ou até mesmo arrogante, mas então lembro que tenho medo de mudar tão bruscamente, esse é um dos meus defeitos. Talvez eu precisasse ser mais forte, mas então lembro que quando chego ao ponto de desistir, eu cheguei ao meu limite.
         A parede de rejeição foi mais forte que eu. Ela chegou em um momento de fraqueza, eu fiquei vulnerável ao medo, medo de se importar com a rejeição e as pessoas me julgarem ridícula, então apenas aceitei passivamente, calada. Meu silêncio me tornou mais fraca, e eu continuei a me importar com o que as pessoas iriam pensar... Mas porque fui tão ridícula? A sociedade não se importa comigo, porque me importaria suas opiniões toscas e hipócritas? Sou idiota, eu sei disso.
         Não deveria ter me importado com opiniões que nem sequer se importam com meus sentimentos confusos, mas o que posso fazer? Se importar com o que a sociedade pensa é um dos meus defeitos.

                                              


Boa tarde minha gente! 
Eu prometi e cá estou eu para cumprir. Hoje saiu o trailer de A Culpa é das Estrelas, que se você ainda não viu, confere aí em baixo:


Alguns diálogos parecem ser parecidos, mas como nunca são idênticos (Tipo mudar "tenho medo de ser esquecido" para "esquecimento", mas okay...). E, meu Deus do céu, tem a cena do beijo quando eles tão visitando a casa de Anne Frank. E tem eles jogando ovos no carro da Mônica. E eu creio que estou criando uma paixão secreta por Isaac, por que ele parece ser melhor que o ator que faz o Augustus, mas, desculpem o palavrão, foda-se. Tem a declaração linda do Gus, quando ele diz que é um grito no vácuo e tudo mais. Tem ela dizendo que é um granada. E, no final, eles dizem "okay". ELES DIZEM OKAY. Estou aos prantos. E a certeza é: Eu vou inundar o cinema, por que vocês já devem saber, eu sou chorona, mas também deve saber que eu acho tudo isso muito clichê, porém também devem saber que eu não ligo pra isso, contudo eu vou tentar me conter, todavia... É isso. Vou chorar demais.
E você? Gostou do trailer? Acha que vai chorar?
xoxo, Gossip Girl.




É isso mesmo minha gente! O blog tá meio deprimido hoje por que foi um dia meio difícil para as postadoras - menos pra Amanda por que ela some de uma hora pra outra '-'. Mas, saiu o teaser de A Culpa é das Estrelas e eu vim aqui compartilhar com vocês.


E o trailer sai amanhã. Ai meu Deus, gente! 
Aliás, (risos) ele vazou ontem, eu acho. Consegui assistir até, antes que eles tirassem do ar. E tiraram. Então teve gente que não viu, mas eu vi (mais risos, só que maléficos).
Acho que eu já disse que quando li ACEDE - ou TFIOS, em Inglês - eu fiquei encantada. Mas depois eu fui reavaliar meus motivos de tanto encantamento, e percebi que é tão clichê que chega a ser chato. Não quero destruir a animação de vocês e tal (me perdoem se eu fiz isso). Pois bem, não sou tão fã do livro quanto eu era antes, e gosto bem mais de outros livros do Green... 
Mas confesso que estou muito animada. E vocês? Já leram o livro?
xoxo,



  07:39 P.M
Juliah Medeiros , 13 anos


  ''Eu nunca sei como começar, nunca sei se devo falar: Querido Diário, Oi tudo bem, ou outra coisa, é confuso, afinal haverá dias que não quero chamar ninguém de querido, não quero mostrar felicidade, só quero ser eu em algum canto.
     As coisas ultimamente andam até tranquilas, muito melhor do que antes, acho que eu mudei, nem tudo agora me abala, nem tudo me faz chorar, só que a muito arrependimento e dor no meu coração, tenho muitas histórias mal resolvidas, existem muitas meias mentiras, e a minha cabeça ainda ta confusa, em pensar que tudo que me pergunto já fazem um bom tempo que aconteceram, um bom tempo.
    O abandono, até hoje sinto uma parte de mim abandonada, talvez nem seja tanto, talvez tivesse que acontecer, mas sinto falta da presença de um pai, realmente, não aquele que me liga duas, três vezes no mês, ou aquele que vejo só nas férias, e nem sempre é assim, queria um pai que me ligasse todo dia, só para saber se tava tudo bem, queria um que me visse crescer, que conversa-se comigo, que me desse conselho, queria não me sentir estranha perto dele, queria muitas vezes não mentir, queria que ele me conta-se a verdade, da boca dele, queria que ele não me trocasse por uma  mulher, só que não é assim, e parece que nunca vai ser.
     A vida é difícil, por mais que essa frase seja clichê,  eu queria ser forte, com uma placa de foda-se na testa, no coração, mas não é assim, partes minhas choram pelo meu pai, e a falta que eu sinto, parte de mim sofre pelo que nunca aconteceu com ele, com a gente, parte de mim só quer ser feliz, não quer chorar, quer ser aceita, e queria além de tudo me reinventar, me tornar forte, lacrar meu coração, sabe, não se importar com nada, apenas correr atrás dos meus sonhos, e amar só as pessoas que me amam, mas esse coração de merda não pensa assim, e eu não posso fazer nada, só tentar doma-lo.
     Só que hoje, tava pensando:Nunca vou ser feliz, se deixa as coisas assim, se não aceitar as escolhas das outras pessoas. Então, hoje eu estou aceitando o que as pessoas fizeram para mim, o que elas fazem, sei que ainda vou sofrer muito, e que isso pode parecer besteira comparado a vida de outras pessoas, mas eu não ligo, eu vou me aceitar, e fazer igual todas elas, não me importar do que vai acontecer, não ter medo de magoar, ter medo na realidade só de magoar quem realmente importar, o resto não se importaria comigo, não pensaria duas vezes ao me ver chorar, não pensariam em me dar as costas, e no que aquilo causaria para mim, então aos poucos to lacrando meu coração, deixando só algumas pessoas com a chave, to abrindo minha mente, e vendo que a vida não é só isso, não é só se lastimar, que meus problemas não são tão grandes, e que meus sentimentos só devem ser entregues a quem merece, desse jeito, vou esquecendo aos poucos daqueles que me fizeram mal, aos poucos vou me perdoando, eles quem sabe algum dia, quero tirar essa magoa e amor de dentro de mim, quero esquecer, me tornar uma mulher de verdade.
    Coloquei uma placa de foda-se no meu coração, coloquei lágrimas para fora, coloquei, mas ainda falta muito, por agora só quero viver''


Aviso: Oi gente, então agora vamos fazer diários anônimos, toda semana, mas necessariamente não são nossos, esse mesmo ai em cima pode ser meu ou pode não ser, os diários anônimos, vai ser um espacinho de vocês aqui no blog, para falar problemas, para se abrir e falar o que você nunca teve coragem de falar, logico que a gente vai fazer  uns ajustes e mudar algumas coisas, mas o mais importante, tudo é em anonimato, você colocar um pseudônimo, nós até podemos saber, guardamos secreto, mas se você quiser pode mandar em anônimo, espero que gostem da novidade e participem, detalhe o post é semanal.
Eviem seus diários para cá ----> isabelle.macielstar@hotmail.com
Kiss

                                          



Oi gente. Primeiramente, mantenham a calma. Não joguem pedras em mim. Em segundo, passando aqui no meu intervalinho - por que meu tempo está muuuito corrido - pra pedir mil desculpas por não ter feito mais diário de viajem. (risos de vergonha). Aconteceram alguns imprevistos. Tais eles: 
1. Meu celular; Tudo que eu fazia do Diário de Viajem era com ele. Fotos, anotações. Tudo. E aí, acho que foi na segunda semana de Janeiro, eu derrubei meu celular numa pia, e a torneira estava aberta. Enfim, vou tentar resumir a história. O celular tá até ligando, mas vou ter que levar pro concerto, e preferi levar apenas quando eu voltar pra Fortaleza.
2. Minha mãe de repente em São Paulo; No mesmo dia que meu celular caiu na pia, antes disso, eu fui para Guarulhos buscar uma suposta amiga da minha tia que estava vindo da França. Nós estávamos no desembarque, esperando a tal da Lilian, quando de repente vejo minha mãe saindo da porta. Foi uma surpresa, e foi muito engraçado. Comecei a gritar lá. E acho que vocês não se interessam por essa baixaria. Bom, minha mãe me tirou todo o tempo de São Paulo. Ela ficou aqui uma semana, e foi o suficiente para toda hora e todo momento sairmos. 
3. Aproveitando últimos momentos; Depois que minha mãe foi embora, estava pertinho de irmos embora, e aí começamos a sair compulsivamente. Ou seja, todos os dias fomos para milhares de lugares, chegávamos exaustas, dormíamos e só acordávamos no outro dia. 
Basicamente, foi isso. Sinto muito por não ter dado mais notícias em relação ao quadro. E hoje é meu último dia em São Paulo, basicamente, por que amanhã vou para Guarulhos, e pegar meu voo. Estou triste, confesso. Acho que devo ter dito em algum canto, eu amo São Paulo. E segunda feira começa as aulas, tá loucura. E é isso. Beijo, gente. Obrigada pela atenção. Agora tenho que correr pra preparar o resto das coisas. Fui!




    To com a música até agora na cabeça, você também ficará quanto assistir. Fui no domingo assistir e simplesmente adorei, talvez quem tenha assisto a série não goste muito, cada um com a sua opinião.
    O filme trás de uma forma gostosa e engraçada, a vida dos adolescentes, em vários momentos me identifiquei com algum personagem, com suas perguntas, e a falta de resposta, tantas dúvidas, e coisas que passamos na vida. É uma ''coisa'' profunda e que faz a gente sorrir, por saber que muitos também tem o nosso ponto de vista.
     Foi ótimo ver os país acompanhando os filhos, a geração passada vendo o que eles assistiam de um novo jeito, foi muito bom pra mim, ir com a minha mãe, que a muito não ia comigo ao cinema, não me recordo a última, foi impressionante ver as lágrimas dela, quando ela viu uma cena e se viu naquela situação, foi muto gostoso escutar as gargalhadas e alguns fugar de choro.
    Estou dizendo tudo isso, para realmente falar que o filme tocou muita gente, que as muitas partes as pessoas se viam mais novas, ou vivendo aquele momento, que trouxeram lembranças de um tempo bom ou ruim.

Mais informações »


19/ 01/2014
Fortaleza - CE



   Com que direito as pessoas criticam as outras? Com que direito elas xingam, humilham, e ainda sorriem? Com que direito eu faço tudo isso? Nenhum.
    Todos querem viver, querem não ser criticados, todos querem a tal chamada ''liberdade'', e todos se auto-impedem, mas claro a vida é assim, todos olhando para o próprio umbigo, não olhando para trás nem para os lados, para perceber que não estar sozinha.
      Todos sofrem, todos tem problemas, todos choram, todos sorriem, mas ninguém ver isso, todos estão na sua própria bolha de egoismo, achando só os seus problemas, só os seus sentimentos.
       Então para por um instante, olha para todos a sua volta, repara em cada rosto, em cada lágrima, em cada sorriso, o quanto eles são diferentes, o quanto são únicos. Repara, que você não estar sozinho, que a sua dor e felicidade podem ser divididos, repara que todos são humanos, que erram, como você, como eu, repara que todos querem o mesmo desejo, olha que você não precisa olhar para o próprio umbigo, aceite o outro, aceite si mesmo, repara que a vida ta ai na sua cara e você não ta vivendo, então, reparou? Pensou? Viu?
    Todos estão na mesma situação que você, você, nem ninguém precisa ficar sozinho na sua própria bolha, jogue fora a arrogância, o egoismo e viva, estore a bolha.
                                                                           



           Eu sou puro drama. Eu corto o dedo me atrapalhando com uma faca e faço um escândalo. Arranho os joelhos levando quedas, e choro como se tivesse arrancado parte da minha perna. Se vejo um filme romântico, fico em desespero como se meu coração se partisse no meio. E é só brigar por um motivo bobo, que já desmorono de raiva de mim mesma. E sabe por que isso? Eu já lhe disse, sou puro drama. E eu faço isso propositalmente. Eu quero chamar atenção. Eu quero ser olhada com outros olhos, e não com os olhos dos outros. Eu quero que me entendam. Que me escutem, e avaliem meus conceitos. Mas que olhem pra mim por que eu, como qualquer outro, preciso de atenção.
           E o quê que tem que eu quero isso? Nada nem ninguém pode me prender, me obrigar a não fazer. Junto com meu drama, vem a vontade de viver. Vontade de mostrar pro mundo quem eu realmente sou. Por que eu sou muito, muito mais do que você ou qualquer um pode ver. Mas eu vou mostrar. Vou mostrar que sou forte. Que tenho meu jeito de pensar. Apesar de todos os meus defeitos, eu tenho lá minhas virtudes, e são elas que vão me carregar nessa vida, que vão me guiar e mostrar o certo e o errado. Eu gostaria de lhe dizer mais, sim. Mas acabei de ouvir uma música que fez parte de grande parte de minha vida, e já estou com os olhos marejados, coração machucado, e ânsia de choro. O quê que tem? Eu sou puro drama.
Nota da autora: Oi gente, de novo por aqui. Acho que vocês já perceberam que eu sempre coloco as "notas da autora". Isso é apenas uma maneira de me manter em ainda mais contato com vocês. E esse texto foi um dos melhores meus dos últimos tempos. Mostra quem eu realmente sou, e é bem simples para aqueles que pensam em entender-me. Espero que gostem. xoxo,


  


   O sol se põe, o crepúsculo invade o céu, a noite chega junto com ela às estrelas e a lua, trazendo um infinito de perguntas, perguntas clichês e todas sem respostas.
  É confuso dizer tudo isso, na verdade eu digo para a lua e as estrelas, algo que eu queria acreditar, dizer a você, mas as palavras me faltam, é como um grito no vácuo, a dor reprimida, o coração apertado, eu só queria ser uma estrela, queria brilhar, e assim tentar disfarçar minha dor, só que tudo é tão doloroso que isso não vai adiantar.
  Queria ter o poder da lua, das estrelas, e te encantar, te trazer pra mim, e dizer tudo que a tempos está entalhado na minha garganta, eu quero chorar, quero derramar todas as lágrimas reprimidas, quero ser quem eu sou, não fingir algo para você, quero sorrir, quero que você me faça sorrir, não tenho estruturas e vontade de chorar, a dor já passou de um estagio tão grande, que lágrimas não vão explicar.

   Só queria ser forte, me auto-amar, e desistir de você, esquece, ah, eu queria ser uma estrela, pode sofrer, pode se magoar, mas nunca deixara de brilhar e um dia virara pó, e não haverá mais lembranças, só o vazio, eu me tornaria oca, sem sentimentos, eu não sofreria mais por você, como você, nunca sofreu por mim.



Oi, gente! Com muita honra, fomos indicados no blog da Cassia Lima, o Vivendo um sonho por dia que é beeeem lindo!


Muito obrigada, Cassia! Ficamos muito felizes com sua indicação. 

Regras:
- Agradecer a pessoa que te deu o selinho e colocar o link dela.
- Escrever 07 coisas que você gosta.
- Escolher 15 blogs com menos de 200 seguidores.
- Avisar os blogs que você indicar.

  • 7 coisas que nós gostamos. 
1. Letícia: Avril Lavigne; Isabelle: Demi Lovato; Amanda: Miley Cyrus.
2. Letícia: Jogos Vorazes; Isabelle: Percy Jackson; Amanda: Johnny Depp.
3. LetíciaIsabelle e Amanda: Livros!
4. Letícia: Fotografar, fotos. Isabelle: Coisas fofas; Amanda: Poesias.
5. LetíciaIsabelle e Amanda: Música. Muita música.
6. Letícia: Colorir, mais do que desenhar; Isabelle: Desenhar; Amanda: Cantar.
7. Letícia: Esmaltes; Isabelle: Comida; Amanda: Twix.

  • Blogs que Indicamos.
1. Vivendo um sonho por um dia
Como não conhecermos muitos blogs, a gente não sabe realmente 15 blogs abaixo de 200 seguidores, por isso que com o passar do tempo, a gente atualiza e coloca todos aqui, e novamente muito obrigada pelo selo.



   


  Seus cabelos roçavam contra os meus dedos, as pequenas mexas acariciando minha pele, seus pés estavam embrenhados aos meus, suas mãos subiam e desciam no meu peitoral, você estava tão linda, tão doce, mesmo estando sem maquiagem e descabelada, como você costuma dizer, mas aquela era você, sendo minha.
  Sua mão encostou na minha, me causando um arrepio, idiota eu sei, mas seus lábios são tão vermelhos, tão naturais, tão beijáveis , isso soa mais clichê ainda, principalmente para um garoto, mas aquilo era meu segredo, meu e dela.
  Adoro quando você está pensativa, parece que sempre vai surgir aquela nuvem no alto da sua cabeça, passando um filme, uma lembrança, uma tristeza. Tristeza nunca é bom, mas você precisa chorar para sorrir, precisa chorar para descobrir se vale a pena, necessariamente eu não sei o que vale, você é uma pessoinha confusa, e eu adoro isso.
  Lógico que tem coisas que eu não gosto, como você tem coisas que não gosta em mim, só que o ser humano é assim, cheio de defeitos, e isso faz com que sejamos assim, a gente erra, erra, quebra a cara, e erra de novo, tudo num ciclo, mas a gente ama, e o amor é o sentimento mais idiota, clichê, e bonito do mundo, é eu sou idiota apaixonado, por você claro.

                              



Campinas, 9 de Maio de 2013.

               Conheci ele dias depois do fora que levei de Erick. No dia seguinte em que Erick me deu as costas em plena chuva, juntei minha tralha, e fui para Campinas. O frio me sufocava, assim como o fora que ainda me doía. Ia para São Paulo apenas para a faculdade, e depois voltava para campinas. Estava na casa de uma tia, só que no quarto que era o único cômodo do andar de cima. Concluindo, eu estava ali sozinha. Nesta manhã (9), fui para um café depois de terminar minha última prova, que me daria férias. Cheguei lá, e estava um tanto lotado. Era até difícil andar até o caixa. Quando finalmente consegui, pedi um cappuccino. Sentei-me á mesa, trouxeram meu café.
               Enquanto tomava-o e folheava uma revista qualquer de fofoca, avisto um garoto um pouco atrapalhado vindo em minha direção. Não, não era bem em minha direção. Mas ele passaria ao lado da minha mesa. Segurava uma xícara de café puro. Já pensei: Aquilo não vai dar certo. 
Dito e feito. Segundos depois, ele tropeça no pé de outro cara e derrama o café em cima de mim. O problema não era a temperatura no café, mas sim o meu mau humor do dia-a-dia.
- Ah, meu Deus! - Ele grita, todo cavalheiro tentando me ajudar a limpar. - Eu... Eu... Sinto muito!
               Eu estava pronta para fazer um escândalo. Dar uns gritos com ele, falar uns milhares de palavrões. Mas aí eu respirei fundo, e olhei nos olhos dele. Pareciam os olhos de um cachorro perdido - e esse eu conheço bem. A calma tomou conta do meu corpo, relaxei os ombros, e fiquei com pena dele. Daí, eu tentava rir, com a expectativa de que isso deixaria-o tranquilo. Sem sucesso. Depois que limpamos tudo, ele ainda parecia se sentir culpado. Voltei a sentar á minha mesa, e ele pediu licença para sentar comigo. 
- É sério. Me desculpa. Eu... Não estou num dia bom. Bem difícil até. Me perdoa? - Seus olhos meigos e acinzentados casavam com o sorriso frouxo e apaixonante. 
- Olha... Também não estou bem. Fica tranquilo, tá perdoado. - Eu respondo, ainda muito apaixonada pelo sorriso dele.
               Eu pensei que depois do que eu disse, eu me livraria dele, apesar de não ser bem isso que eu desejava. Estava errada. Aí mesmo que ele persistiu. E eu gostava. Gostava do jeito dele atrapalhado, e como tinha facilidade de conversar sobre qualquer coisa. E por tudo sorria. Sinceramente, pouco parecia que ele estava num dia ruim. Ele me disse que seu nome é Bernardo, e que algumas pessoas (as quais ele odeia) o chamam de 'Bê'. Eu lhe digo meu nome, e digo que odeio apelidos tanto quanto ele.
- Então... Você mora aqui? - Ele pergunta.
- Sim, há pouco tempo.
- De onde você veio?
- De São Paulo. - Ele acena com a cabeça, como se esperasse que eu continuasse explicando. Eu entendi, e continuei: - Bom, eu ainda estudo lá. Vou todos os dias pra lá por conta da minha faculdade.
- Por que veio pra Campinas? São Paulo é tão... Bom.
- Você acha? - Eu rio. Penso que eu realmente não tenho muita coisa contra São Paulo, apenas a existência de certas pessoas (como Erick). É, ele tem razão. São Paulo é bom, é maravilhoso. Eu amo aquela cidade. - Eu vim pra Capinas por que eu tive alguns problemas em Sampa, e eu precisava respirar novos ares.
               Ele assentiu. Conversamos sobre a minha faculdade, e ele disse que adoraria conversar mais vezes comigo. E, no mesmo dia, nos encontramos novamente á noite. Fomos até um restaurante próximo á minha casa, que eu disse a ele que era de comida japonesa e ele disse que adorava essa culinária. Eu o convidei. O jantar foi muito bom. Ele parecia um anjo; e eu adorava a forma como ele conduzia a conversa.
               Era quase possível dizer que eu estava completamente encantada por ele. Havia vezes que ele falava algo - perguntava, na verdade - e eu não respondia por que estava hipnotizada por suas palavras. Sua voz, olhar, sorriso. Tudo. Nunca senti algo tão forte e rápido por alguém dessa forma - nem mesmo por Erick.
               Por fim, quando o jantar havia acabado e estávamos á caminho da minha casa, ele disse:
- Eu, realmente, quero te ver ainda mais. Amanhã, talvez.
- Eu, realmente, acho que você é bem ansioso. - Respondo.
- É, sou. Mas já vou aguentar a noite inteira sem falar com você... Vou me segurar para não lhe ligar ainda hoje. - Eu rio. - É sério! - Ele dá um soquinho no meu ombro. - É difícil achar pessoas que gostem de conversar comigo.
- Eu amo conversar com você. - Ele arqueia as sobrancelhas.
- Sério?!
- Sim, eu amo.
               E ele volta a tagarelar. Fico entediada, esperando chegar logo em casa. A conversa dele me agrada, mas não a forma como ele é pessimista. De pessimismo basta o meu. E ele falava no quanto os amigos o desprezavam, e o tanto de garotas que já lhe deram fora por que ele queria provar que não era apenas um rosto bonito - e eu rio quando ele diz isso. Quando é momento de virar na esquina da rua da minha casa, Bernardo ainda continua tagarelando pessimismo. Minha paciência chega ao limite, e eu numa rapidez lhe empurro num muro de uma casa e lhe dou um beijo.            
- Clari... - Ele tenta continuar a falar.
- Cala a boca. - Eu exclamo, e volto a lhe beijar.
               Ele relaxa, e retribui. Coloca os braços em volta do meu corpo, e sinto o calor dele.
               Aí eu percebo que essa é minha oportunidade de dar um Up na vida. É a hora de esquecer o que me aconteceu, aproveitar as oportunidades, e deixar rolar. Eu gosto dele. Não do jeito que gostava - gosto - de Erick, mas ele me deixa á vontade. Me faz rir á toa, e isso é insubstituível. Tanto eu quanto ele merecemos o beijo. No final, eu termino o beijo com mais alguns de leve no lábio fechado dele, e um no queixo. Digo:
- Desculpa. Sem querer...
- Vai dizer que não queria fazer isso? Que foi um erro? - Ele ainda está com os braços á minha volta.
- É, bem... Mais ou menos.
- Bom, se sim, espero que você continue errando.
               Eu sorrio, pego sua mão, e sigo em direção á minha casa. Eu, como ele mesmo disse, espero continuar errando toda vez que o ver futuramente. Tipo, amanhã de manhã. E esse dia que começou ruim, terminou maravilhosamente bem. Adeus Erick, olá Bernardo. Estou feliz, estou sorrindo incontrolavelmente. E eu vou me permitir. Eu sou infinita, não sou? Vou me permitir liberar-me e ser o que eu quiser. Que venha amor, por favor!

Nota da autora: Espero que o final não tenha ficado confuso, e eu adoraria ter a sorte da Clarice! xoxo,





   Como a Letícia Lobo, fez a sua listinha para 2014 e nos convidou para entrar nesse ''ritual'', eu aceitei, por achar super legal, por fazer isso, e por na realidade se tornar uma meta e algo que você deseja, então é legal anota tudo o que você quer, para não esquecer - no meu caso - e ter uma ideia fixa, então vamos para a listinha, detalhe eu sempre acrescento algo a mais pois temos 365 chances de fazer algo novo...ops 361.

1.Viver de verdade, não como uma promessa, mas como um modo de viver (confuso, eu sei)
2. Me organizar mais ( em vários quesitos)
3. Ter mais liberdade.
4. Ter mais fé ( em tudo, vida, pessoas, em mim)
5. Aperfeiçoa meus desenhos, e desenhar os personagens, templantes etc.
6. Continuar escrevendo Sream - Alvo.
7. Crescer o blog ( mega importante)
8. Fortalecer as amizades.
9. Ter focos mais nos estudos ( principalmente nas exatas)
10. Não ter medo da vida ( sou altamente medrosa)
11. Esquecer do que não vale a pena e automaticamente, viver de verdade ( Leth entendeu )
12. Não me importar com certas coisas.
13. Recomeçar meu curso de Inglês.
14. Ser menos frágil.
15. Comprar uma câmera Nikon ou Canon.
16. Ler clássicos.
17. Me diverti mais com as minhas amigas.
18. Ir mais a praia.
19. Comprar mais livros, cds, roupas etc.
20.  Ser eu.

   Então é isso, quem quiser pode mandar a sua listinha, essa são apenas poucas coisas que eu quero fazer, tem muito mais, com passar do tempo eu acrescento algumas coisas..kiss
                             

  



Se tem uma coisa que eu aproveito é o início do ano. Eu já disse em outro post: É tempo de inovar! Tempo de crescer, e mostrar pro mundo que eu não vim até aqui á toa. E, então, trouxe uma listinha de 20 coisas - pois é, "listinha" - que tenho que fazer em 2014.
  1. Todo mês, comprar pelo menos um livro (vai ser fácil, certeza);
  2. Liberar-me para conhecer músicas novas pelo menos uma vez por mês;
  3. Ser gentil ao invés de ter razão (frase retirada do livro O Lado Bom da Vida );
  4. Dar e receber abraços todos os dias;
  5. Cantar mais no chuveiro;
  6. Me dedicar ainda mais aos meus estudos (não vai ser difícil também);
  7. Dizer toda semana que eu amo alguém;
  8. Escrever mais;
  9. Dançar mais;
  10. Me declarar - privadamente - á quem eu amo (essa vai ser muito, muito, muito difícil </3);
  11. Elogiar mais as pessoas as quais eu admiro (talvez seja fácil, quem sabe?);
  12. Ser menos ciumenta, ter mais paciência e calma com as amizades;
  13. Chorar menos (sou muito chorona!);
  14. Me liberar mais aos meus estilos, ser mais despojada, não me importar em ousar;
  15. Tomar cuidado com certos comentários, que podem machucar alguém;
  16. Fazer o blog crescer (uma das principais coisas);
  17. Praticar mais atividades físicas;
  18. Me dedicar mais á minha família;
  19. Crescer no mundo Acadêmico (uma das principais também );
  20. Completar pelo menos 90% dessa lista. 
E, é isso. Fim da lista. Talvez eu acrescente algumas coisas ao longo dos meses. E as coisas riscadas serão as que eu desisti com o tempo (P.S.:  Só posso riscar duas coisas). Enfim... E vocês, quais são suas listas do novo ano? Postadoras, façam as suas! xoxo,






    Estou tão sozinha, sem ninguém pra me apoiar na hora de cair, tão sozinha, as lágrimas fluem sozinhas, virou automático, e eu só queria que você estivesse aqui, pra me beijar, pra me fazer sua, eu sou sua...mas parece que você não pensa isso, eu sei que é confuso, que o coração é confuso, mas eu queria você aqui, não aguento fica sozinha, me sinto tão pequena, reprimida, não tenho mais meu herói , não tenho mais meu ponto de apoio, estou sozinha, mas queria você aqui, pra me beijar e me fazer sua.
  As coisas andam tão difíceis, nada era como antes, os anos passam e as coisas passam, no meu caso, eu fico mais apaixonada por você, e eu estou aqui, sozinha, a sua espera, que você volte para mim, que diga que me ama, mas não é tão fácil, se fosse você estaria aqui, comigo, me beijando, me fazendo rir,  me fazendo feliz, coisas tão simples, mas que faziam meu coração se aquecer, meus olhos se enrugarem, meus lábios se curvassem, senti-se aquele típico friozinho no pé da barriga, toda vez que você me abraçava, era como se meu mundo tivesse parado e só existisse você, eu sinto tanto a sua falta, dói tanto, é uma dor impossível de descrever,  eu sinto falta, sinto dor, sinto que perdi metade de mim, a metade que você levou pra si, eu continuo apaixonada e só queria que a dor passasse e que você chegasse sorrindo e me beijando, não quero mais fica sozinha.
  Você é o motivo da minha felicidade, mas agora ela já se foi. Peso aos céus e as estrelas que tragam você de volta, ou que te façam feliz, que talvez você me procurasse, era meu último pedido as estrelas, meu único, você.
 A campainha tocou, sai da sacada, calçando minhas pantufas e descendo as escadas lentamente, me aconcheguei mas no meu casaco, não olhei no olho mágico, abri logo a porta e paralisei, ele estava ali, todo de branco, com uma rosa na mão e um livro na outra.
- Você?
- Não poderia passar o ano novo sem você, as estrelas não deixariam, elas me falaram que você pediu para elas que eu volta-se, e que eu te fizesse sorri...
- Elas nunca erram – sorri.
-Não mesmo.
  Me puxou e eu estava em seus braços, e seus lábios estavam nos meus, e tudo renasceu, tudo fluiu, senti lágrimas pelo meu rosto, lágrimas de felicidade, eu não estava mais sozinha. Uma explosão fez com que nós separássemos, e da minha janela vi os fogos.
- Feliz ano novo.
- Feliz ano novo.
Tínhamos confirmado nosso amor, ele era o meu novo, eu era, e ele era o meu.

 Notas da autora (gata e poderosa): Esse é um especial de ano novo, o que é meio obvio,                     então feliz ano novo, vamos viver, e imaginem esse ''conto'' sendo vocês e quem vocês amam.
Obs: eu roubei as estrelas da nossa querida Letícia Lobo
 kiss