Foto tirada do Google.

Livro: A Elite
Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Narração: 1º pessoa
Sinopse: A seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncope Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos. 
America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer - e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora az com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo - e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz.


A competição continua. Só que, dessa vez, ao invés de 35 garotas, restaram apenas 6 disputando a coroa - e, consequentemente, o coração de Maxon. Entretanto, o príncipe só tem olhos para uma. Uma garota totalmente indecisa que, secretamente, tem o coração divido entre Aspen, seu ex-namorado que também é grande amigo e, agora, guarda do palácio; e Maxon, o príncipe de Illéa, companheiro de totalmente o oposto do que America imaginava antes de entrar na seleção.
Ela poderia imaginar as consequências de descobrirem que, além de guarda do palácio, Aspen também era ex-namorado de uma das selecionadas. Mas tinha em mente que aceitar Maxon significava aceitar a coroa, e esse era um ponto que fazia pensar se aquilo era realmente o seu maior desejo. Estava mais do que claro para ela que não queria ser princesa, e isso a fazia lembrar que ela não queria abandonar Aspen. Não sabia o que fazer e sentia-se cada vez mais perdida no palácio.
Em A Elite, tudo parece ainda mais difícil aos olhos de America Singer. A rainha Amberly torna-se próxima e apega ás selecionadas - agora que são poucas - e America se sente cada vez mais próxima da, supostamente, futura sogra É quando, também, ela se sente ainda mais indecisa. Qualquer falha, qualquer errinho sequer, acarretará em sua saída da competição, dando lugar a outra das cinco garotas restantes.

"Tempo. Eu vinha pedindo muito tempo ultimamente. Tinha a esperança de que, se tivesse tempo suficiente, tudo ia se resolver."

A saudade de casa está ainda maior, e o sistema de castas já não é tão importante quanto era antes. America vê o quanto o príncipe é prestativo e atencioso contiso, ao mesmo tempo que lida com ataques dos rebeldes sulistas e nortistas ao palácio e ainda aguenta todos os sermões e decretos do pai. Ela lhe pede tempo e ele lhe cede isso, mas até onde ele vai aguentar?
O segundo livro da série - não é mais trilogia, HAHAHAHA QUE FELIZ - me faz ter ainda mais raiva da America. Juro por Deus que só não joguei esse livro na parade porque há uma cena nele que ficou claro - pelo menos pra mim - que America poderia ter feito sua escolha a partir daquilo. Não darei spoiler, ok? Mas A Elite, na minha humilde opinião, é suficiente para aqueles que ainda não tinham certeza de seus sentimentos por Maxon e se apaixonar completamente. America só dá valor quando já é quase tarde demais. E esse é outro motivo de não ter jogado o livro: ela decide lutar por ele, mesmo que aos 44 minutos do segundo tempo. Decide que seus atos não farão mais com que Maxon se afasta e que, de agora em diante, lutará de corpo e alma para que o príncipe seja seu. Para sempre seu.

Foto de blog americano.


Esse livro talvez não seja o meu preferido, mas talvez seja até melhor escrito que o primeiro. É só a continuidade da competição, mas não é o fim. Será que America vai conseguir? Será mesmo que conseguirá controlar suas vontades e aprenderá a portar-se como uma verdadeira princesa? A Elite não é o fim. É só o começo da verdadeira competição.

N/A: Eu ouvi um aleluia? Finalmente! Não faço ideia do porquê de ter demorado tanto pra escrever isso - na verdade, verdade mesmo, só precisava colocar aqui no blog, porque tudo já estava escrito e, além disso, corrigido. Talvez por conta das coisas que foram acontecendo, aparecendo, foram tomando meu tempo. Fico realmente feliz em conseguir postar, e agora vamos esperar mais um milênio para A Escolha - cruzando os dedos. xoxo,


   


    Conheço ''Pó de Lua'' da página que a Clarice Freire possui no Facebook, e por essas semanas soube que ela havia lançando o livro, e não podia deixar de trazer essa novidade para vocês.
   Pó de Lua começou discretamente em 2011 como uma pagina no Facebook, onde a autora (Clarice Freire), reúne seus versos e desenhos. Ela chamou atenção de muita gente, fazendo assim sua pagina ficar bastante famosa,  por isso ela chamou atenção da editora Intrínseca, que nesse ano está lançando "Pó de Lua". Onde ela se baseia nas quatro fases da lua, falando de um jeito leve sobre medos, amores, felicidades, saudades, com suas lindas ilustrações e sua caligrafia marcante.
   
Clarice Freire (autora):                                                                                                                          
 A publicitaria Clarice Freire nasceu no Recife, em 1988, e desde 
muito cedo aprendeu a usar as palavras para acalmar suas inquietações. Cresceu admirando os desenhos e lápis de cor da mãe, Lúcia, e os versos do pai, Wilson (parceiro do compositor   Antônio Nóbrega). Uma noite, ouviu falar que a lua era bela     porque, mesmo sendo só de areia, deixava refletir a luz do outro, e por isso as noites não são escuras. Daí veio a inspiração para o nome de sua página no Facebook, Pó de Lua   (www.facebook.com/podelua), criada em 2011.                                                                                                                                         

                                                                                                                                                            

Algumas obras de Clarice: 


   Percebe-se que Clarice usa de forma divertida e inteligente, coisas do nosso dia-a-dia, pois afinal quem não sente esses sentimentos clichês? 


   Infelizmente nos do Blog Adormecidas ainda não possuímos nossos exemplares de ''Pó de Lua'', mas em breve quando os tivermos em mãos, faremos um post, contando os detalhes e nossas perspectivas do livro. 
   Mas você que, quer saber mais detalhes sobre Pó de Lua, siga o blog "Pó de Lua", e pesquise no seu Facebook a página. E quem quer ler o primeiro capitulo do livro, ele já está disponível: Capitulo 1.

                                                                   



          Tenho amado tanto! Amado a vida, amado a arte, amado a música, amado as flores, amado o sol, amado as estrelas, amado os sorrisos, amado os abraços apertados, amado o toque, amado o calor, amado a fotografia, amado o teatro, amado perfumes masculinos. Estou amando os livros, as palavras, as lágrimas, os sentimentos, os olhos brilhando, beijo na testa, atitudes. Tenho amado as batidas do coração, a dança, o mar, o vento e tudo que me faz sorrir á toa. Tenho amado tantas coisas e tantos lugares. Mas tem algo que amo, amo tanto que nem sei dizer. Esse amor todo que sinto é por você.
          Eu consigo amar cada detalhe seu. Tenho amado demais os seus defeitos, assim como suas virtudes. Tenho amado o seu cheiro natural, o seu sorriso sem graça e o seu toque delicado. Você é algo demais para o meu mundinho de menos. Você é como o encontro do sol e do mar, você é meu horizonte. Você é aquilo no que acreditamos existir mas não temos certeza de que é possível, você é meu infinito. Você é, sem dúvidas, o meu ponto seguro e de apoio. E de todos os lugares que tenho amado, o seu peito é onde quero encostar minha cabeça e sonhar. Disseram-me que somos o oposto um do outro. Pode acreditar? Pois eu quero lhe falar que aquela história de os opostos se atraem é a nossa realidade. Sou sua desde quando você não sabia que sou. Meu coração é tão seu, mas tão seu, que sou capaz de dizer o quão é bom senti-lo bater pela pessoa certa. 
          Tenho amado a pessoa certa desde que percebi que aquele sentimento depois de você ir embora era, nada mais, nada menos que, sim, saudade. E se há saudade, há amor. E há amor, há a chance de te haver algo. E houve, e há. Você pode me amar assim como eu tenho te amado demais. Vamos viajar e ter histórias para contar. Vamos passar por dificuldades e vamos lembrar dos nosso problemas rindo de cada um. Vamos nos compromissar, trocar alianças e achar isso a maior tolice já inventada pelo homem. Nós vamos ser felizes, não vamos? É isso que importa pra mim. Ser feliz com você e nada mais que isso. Foi bom te encontrar e é melhor ainda viver com você. Tenho te amado demais e vou continuar te amando, se Deus quiser.

N/A: Não sei exatamente o que falar sobre esse texto. Eu o fiz na tentativa de fazer uma crônica, o que não deu muito certo... E por isso eu o trouxe para esse final. Pelo menos expressei um pouquinho do que estou sentindo, e isso ficou bastante claro. O clima aqui é de amor. E por aí, também? xoxo,






    Eu não queria fingir, não queria dizer "não" ou "sim", só queria ficar ali do seu lado e não falar nada. Ultimamente as palavras só me derrubam.
    Mas de qualquer modo, ficar ali, com seus olhos grudados nos meus, estava tirando toda a minha força de fala. Eu tinha quase certeza que não era amor. Eu desejava do fundo da minha coleção de Star Wars, que não fosse amor. Queria continuar com o sempre: "só amo minha mãe, meu pai e meu cachorro" e não incluir o nome de alguém nessa lista. Tudo isso por causa de um medo idiota, por achar esse negócio de amor, parceria, blá blá, tudo uma besteira. Só que não sei como os meu neurônios queimavam quando aqueles lábios rocavam nos meus, eu esquecia todos os meus conflitos internos. Mas isso dura apenas os segundos que nossos lábios estão colados, depois voltava toda a baboseira da minha mente, insistindo que mulher é um bicho que só fode com você, e que seria melhor eu olhar pra Princesa Leia no pôster do meu quarto. Sentiria prazer, e nada de coração destruindo. Mas até quando estou vendo a Princesa Leia eu penso nela. Ela me estragou por completo, estragou o meu modo de viver. E como um idiota não sei o que falar ou fazer. Nem sei por que estou tentando descrever tudo isso.
    Talvez isso seja amor, talvez eu tenha que me entregar. Talvez essa seja a hora de me "desligar" um pouco dessa minha vida, e me arriscar. Corações quebrados são impossíveis de evitar, pelo menos é o que eu li na internet, então por que eu estou tentando evitar? De qualquer modo mesmo, meu coração já foi levado para bem longe. 
    Toquei sua boca na minha, e tudo o que eu podia pedi era que aquilo não fosse amor.

                                                           
                                                                       


         Eu não estou com raiva. É só que isso de namoro á distância tem sido complicado pra mim. Tem sido bem difícil não te ver todos os dias, não poder te abraçar e muito menos beijar-te enquanto você não cala a boca. Dói tanto pensar nessas pessoas que têm o privilégio de passar o dia com você, e não fazem ideia disso. Eu daria tudo por algumas horinhas com você. Quando estamos juntos, entretidos um com a presença do outro, uma hora passa rapidinho. Mas esses meses que estou longe de você... Parecem anos. Acabe logo com isso. Diga-me quando vou te ver. Tenho medo de que o que temos acabe assim como tantos outros relacionamentos á distância. E se você conhecer outra pessoa? Se você se apaixonar e quiser terminar pra ficar com ela? E se eu cansar de esperar? 
         Meus anseios possuem fundamentos, nisso você tem que concordar. E depois de tanto tempo longe, eu não consigo mais ter certeza dos meus sentimentos, quem dirá dos seus. Ando tão perdida e tão inconsolável. Só queria um ombro amigo, de preferência o seu, pra chorar. Mas você está em outra cidade agora. Estamos tentando manter isso firme mesmo com tantos quilômetros entre nós. Quando prometi ficar, não foi em vão. Eu fico, por você. Assim como você prometeu. E ficou. Não fisicamente, mas ficou. Você está no ar que eu respiro; seu cheiro está nas minhas roupas - e eu faço de tudo para que essa fragrância perpetue -; seu rosto não sai da minha mente sequer um momento. 
         Toda essa ladainha pra dizer que sinto sua falta. Sinto saudades, ok? Todos os dias falo com você por telefone, mas acho que nunca me ocorreu dizer isso assim, tão diretamente. Mas eu sinto muita, muita falta de você. Tá bom assim? Espero que esteja. Não vejo a hora de te ver e de abraçar. De te encontrar e voltarmos a sermos nós: Lua e Navi, e nada mais que isso.
Até que a distância se dissipe,
sua Lua.

N/A: Com a tentativa de manter o blog mais organizado, fizemos um calendário para manter ordem nos posts e, de certa forma, nos obrigar a fazer posts que acabamos esquecendo - como é o caso de Lua e Navi. Fico tão feliz em escrever por esse casal. Eu entro num personagem, crio histórias na minha cabeça, que talvez nem sejam possíveis de existir, mas eu quero que se façam entender nas palavras que aqui escrevo. Próxima semana tem mais, não necessariamente de Lua e Navi, mas com certeza tem mais! xoxo,


                  Acredito que só eu saiba do tamanho da minha felicidade por Once Upon A Time voltar amanhã, dia 28, literalmente estou tendo sincopes. Quem me conhece, sabe que eu amo a série Once Upon A Time, e acredito que quem não me conhece também sabe.
               A série volta amanhã nos EUA pela ABC, trazendo a 4 temporada, que promete trazer várias novidades. Primeiro que o último episodio da 3 temporada, deixou todos com a curiosidade a flor da pele. Então a 4 temporada promete tirar todas nossas dúvidas da 3 temporada.
             Acredito que até quem não assisti a série ficou curioso, após ver as inúmeras publicações na internet, falando sobre como a série iria trazer ''Frozen'' para a história de ''Storybrooke''. E amanhã finalmente descobriremos como isso irá acontecer.
     
Esse foi o final que deixou todos curiosos:

                         
          Once Upon A Time terminou de um jeito que o meu coração não está mais aguentando, trazendo felicidades e duvidas para a nova temporada.

         Então que tal listar as nossas dúvidas e esperanças para a 4 temporada?
       (AVISO: CONTEM SPOILER)


1. Shipper: Captain Swan.



(Pausa para o suspiro da Isabelle) Quem gosta desse casal sofreu um pouco nessas duas últimas temporadas, por que parecia que a Emma não assumia o que sentia, o que era muito chato. Mas finalmente no último episodio da 3 temporada eles se entenderam. Parece que eles realmente vão ficar juntos agora. E essa é a dúvida: Na 4 temporada Hook e Emma vão ficar realmente juntos? Por Deus, eu espero que sim.

2. Outlaw Queen.


    Acredito que todo mundo ama a nossa Rainha, e ver ela finalmente feliz depois de tantos anos, encheu o nosso coração. Mas como toda boa série, isso não poderia dá certo, e o coração de nossa Rainha foi quebrado novamente (Emma burra), e agora eis a questão: Regina e Robin vão ficar juntos? Regina vai voltar a ser do mal? (O que ninguém deseja) 

3. Frozen 


     E bem, Frozen fez tanto sucesso que Once Upon A Time também adquiriu mais uma das histórias da Disney. Provavelmente Elsa, Anna e os demais não vão ser fixos, todos apostam que sua história deva ir até o capitulo 10, 11. E as dúvidas são: Elsa será a vilã dessa temporada?

          Eu não consigo escrever mais nada, pois só de lembrar que amanhã finalmente Once Upon A Time volta, meu coração dá voltas olímpicas. Amanhã finalmente minhas perguntas vão receber uma resposta, e com certeza novas dúvidas sugiram.

          Deixo a vocês a promo que foi divulgada pela ABC. E você que não assistiu Once Upon A Time, ta fazendo o quê parado ai?


                       
                                                             

                           
                                                                         





Respire. 1,2,3. Toque.
Sua voz aos sussurros ao meu ouvido, meu nome deslizando pelos seus lábios. 
Lábios risonhos, atrevidos,
Repetindo o mantra dos meus sonhos,
Tocando suavemente, soprando desejos pela língua.

Teus toques gentis, se espalhando pelas fibras. Tocando sem nem mesmo tocar.

Desenhando estrelas onde não se há céu, tentando voar para longe sem sair do lugar,
Sem sair do meu calor.
Sussurrando palavras sem direção, mas que acham um caminho mesmo assim. 

O seu grito chama pelo meu clamor, chama pelo tocar leve porém intenso de nossas peles, conhecendo os caminhos abstratos um do outro.

Respire. Descompassado. Acelerado. Errado. Certo. 
Respire me acolhendo, mesmo triste, mesmo feliz.


                                  
Nota: Crer ou não crer? Eis a questão. Sinceramente eu não acredito que escrevi isso. Espero que vocês gostem. Esse poema não sei por que, me lembrou uma história que eu amo muito. Então vou dedicar a ela. 
                                                                    



Produção responde: É isso mesmo! Há alguns anos atrás, mais especificamente 2008, eu conhecia uma loirinha que toma alguma poção mágica para se manter com esse rostinho de 15 tendo completos 30 anos! Let Go foi só o início de tudo, uma entrada nesse mundo que ela logo em seguida chegou a conquistar. Depois, a minha fase preferida, Under My Skin, que mostra a mais forte essência dela. Conheci-a na era The Best Damn Things e fiquei completamente apaixonada. Estava começando a entender um pouco mais esse mundo da música, e logo, logo eu só falava dela. Era uma questão de identificação, de sentir que eu podia viver cada música que ela canta e ser aquilo que eu bem entender. Logo depois veio Goodbye Lullaby e fora uma questão ainda maior de admiração. Ela estava saindo daquela etapa de adolescente em suas metamorfoses e passando uma figura mais madura consigo. AVRIL LAVIGNE foi só a certeza de que posso gritar e bradar que sou completamente fã dessa mulher.
E hoje, ela completa mais um ano de vida, de tantos outros que eu espero vir. Digo essas coisas agora porque, sem ela e as músicas dela, eu seria outra pessoa. Veria o mundo de outra forma e talvez nem obtivesse todos esses princípios que tenho. Ela é extraordinária exatamente como é. Um amor de fã que não é possível de medir e que dói o coração pensar que conhecê-la é um ato quase impossível. Mas só a gratidão de tê-la no mundo, mesmo com todas as críticas, haters e coisas do tipo, ela está lá, compondo suas canções e me fazendo sorrir.
Ramona, só tenho a dizer obrigada por tudo. Mando através de meus sinceros sentimentos, um muito obrigada e um feliz aniversários mais que grato. Orgulho de ser little black star.


N/A: Eu tinha que falar sobre ela. Tinha que falar sobre hoje e o quanto de gratidão que tenho pela sua existência. Amor de fã. Só quem sente, entende. xoxo,





        Quero sorrir sem me preocupar. Quero gargalhar de qualquer besteira sem ser repreendida por ser boba e ingênua. Quero ser ingênua, iludida e tudo que me faça quebrar a cara! Eu quero ver como é errar e depois aprender com meu erro. Não me venha dizer que sou tola por pensar assim. Eu sei o que sou. Tola, boba, otária, fácil de enganar, risonha... Já fui séria demais pra simplesmente deixar que as armadilhas da vida minha ponham pra baixo. Já chorei, já me chateei. Hoje eu só sei sorrir e relevar. Você já parou pra pensar no quanto tudo seria mais fácil se pudéssemos deixar pra lá? Ignorar o que te faz mal e sorrir para aqueles que fazem de tudo para ver o brilho no seu olhar. 
        Digo isso porque sou do tipo que gosta de ser gostada. Gosto de estar em harmonia com todos ao meu redor e sorrio sem parar. Sorrio até nos momentos difíceis, é verdade. Desconhecidos até me chamam de estranha. Mas fazem isso porque simplesmente não conseguem enxergar minha essência de criança um pouco madura. Um pouco. Realmente não sou adepta de uma mente muito séria, o que seria nada mais, nada menos que normal para minha idade. Prefiro saber a hora certa de brincar. Prefiro manter meus amigos por perto, e mostrar a eles que o bom é ser lembrado pelas coisas boas que você fez. Sei que é difícil essa última parte. De 10 coisas que você faz, se 1 é errada, a ignorância te culpa por isso - sim, te culpam por uma coisinha que você errou. É um absurdo, eu sei. Mas respire fundo. O mundo é muitas vezes injusto, mas você deve sempre sorrir para as dificuldades. Rir na cara do perigo! Até porque ninguém quer acabar sozinho, amargo e arrependido pelas coisas que não fez. Põe um pouco de açúcar nessa sua cara amarrada e vai ser feliz!
        Não esconda sua felicidade para que o inimigo seja feliz com isso. Eu prometo á você - e eu não faço promessas em vão - que se você puder ser um pouco mais feliz, se você puder sorrir um pouco mais, você fará alguém feliz. E que outra forma de ficar satisfeito e completar sua missão na terra do que o simples fato de ser feliz

N/A: Nunca fiz um texto tão confuso! Mas é que estou tão feliz, e as pessoas ao meu redor não parecem tanto assim. Eu quero fazê-las felizes, mas não sei por onde começar. Resolvi escrever. Pra mim, a escrita é a forma mais fácil de demonstrar o que sentimos. Espero que tenha conseguido mostrar pelo menos um pouco do que sinto de verdade.



Que menino nunca sonhou em ser herói? E, cá entre nós, contarei uma coisa que talvez ninguém saiba sobre mim (só o meu melhor amigo, claro): eu, como menina, sempre sonhei em ser heroína. Não como a mulher maravilha, salvando o mundo com sua força e poderes; mas com pequenos atos, sabe? Fazendo pouco para fazer valer a pena ser quem sou. Saindo do lado emocional da história, falando dos nossos tão amados heróis, já paramos para pensar nos atores que os interpretam e no quão perfeitos são para cada papel? Eu penso nisso sempre, principalmente porque amo cada detalhezinho deles. Vamos lá para o top 5 de hoje? 

5: Homem-Aranha


Não me refiro único e somente ao Espetacular Homem-Aranha (e que espetáculo), mas sim ao personagem em si. O Homem-Aranha fica no meu na colocação 5 do meu top por inúmeros motivos, mas o principal deles eu creio que seja porque eu não morro de amores por ele. Quando ouço falar em "heróis", o nome dele me vem á mente, mas nunca como primeira opção. Sobre os filmes: eu, particularmente, preferia quando quem protagonizava era o Tobey Maguire pelo simples fato de trazer o lado bem humorado que eu acho essencial para a figura desses heróis. Não é que o Andrew Garfield não seja bem humorado - ele até é -, mas com o Tobey havia uma magia a mais, e isso ninguém pode negar.

4: Peter Quill



Entre tantos atores que tentaram o papel, Chris Pratt fora o escolhido com muito sucesso. Guardiões da Galáxia fora um dos melhores filmes lançados esse ano e com certeza Chris arrancou suspiros de todos - realmente todos - sendo Peter Quill. Além de ser bem humorado, ele é perfeito pro papel por ser tão parecido quando o personagem em si. Quem não o amaria? (Detalhe que, para fazer o papel, ele teve que desapontar a esposa por conta que ela o prefere gordinho ao invés de gostosinho - risos.)



3. Viúva Negra


Sou completamente suspeita pra falar sobre ela. A Black Widow é uma musa para minha inspiração, assim como a atriz que a interpreta. A Scarlett Johansson é uma das minhas atrizes favoritas do momento e eu a defendo com unhas e dentes (risos maléficos). Acho que não haveria pessoa melhor para fazê-la e para que eu amasse mais do que ela. Scarlett é a cara da Viúva, e acho que não é só uma questão de parecer, é questão de dar vida á um personagem e ser ele tão vivo para nós, que amam e acompanham. Por isso o terceiro lugar no top.

2: Capitão América


Aproveitando o embalo de Viúva Negra (sim, eles são perfeitos juntos, shiu!), sou ainda mais suspeita para falar desse moço aqui. Chris Evans roubou meu coração quando ainda era aquele magrelo no primeiro filme de Capitão América. Eu o acho especialmente maravilhoso. Ele traz aquela ideia de "antiguidade" que nosso velhinho Capitão possui, mas ainda assim com um tom de modernidade por ser tão gostoso e lindo e maravilhoso e sensacional! Controle-se, Letícia!

1: Homem de Ferro


Apresento-lhes, agora, meu marido. Meu homem, gênio, bilionário, playboy, filantropo e meu. Só meu. Robert Downey Jr. é o nome desse deuso. Homem de Ferro tinha que ser seu papel pelo simples fato de possuir essa expressão natural de sarcasmo. Esse herói é, sem sombra de dúvidas, meu favorito. É inteligente, sarcástico, lindo, e mesmo com esse ego um pouco - muito - alto, ele não é feito de ferro (quanta ironia!). Ele tem lá seus sentimentos e eu o amo. Não é um herói que fora obrigado a se tornar um por possuir poderes e isso ser a lei natural da vida - ter poder e cumprir papel de herói. Ele fez o seu poder. E por ser tão extraordinário, escolhi esse gif para representar meu esposo - isso sim é a representação do poder! 

N/A: Resolvi fazer esse top porque durante essa semana fiquei pensando bastante nisso, por algum motivo desconhecido. Lembrando que tudo aqui escrito são minhas opiniões, somente, então se você não concorda... Eu jamais poderia fazer um racking de alguma coisa em que todos concordassem. E parem de babar meu homem. xoxo,


              Quinta-feira é o dia das estreias do cinema, e setembro está trazendo estreias maravilhosas. Entre elas estão filmes que foram aguardados o ano todos. Esse mês é bem variado, trazendo terror, aventuras, adaptações de livros, comédias, ação, nacional etc.
            Em seguida vai alguns filmes que já estrearam e que vão estrear hoje.



                         

        Maze Runner - Correr ou Morrer, estreou em 18 de setembro. Foi um filme muito aguardado, pois ele se baseá em uma trilogia de livros conhecida, que já tem a sua legião de fãs. Além de que o cast do filme chama muita a atenção, por causa de atores como Dylan O'Brien ( Faz a série Teen Wolf) e Kaya Scodelario (Ficou conhecida na série Skins), que fazem sucesso no mundo teen, fazendo assim fãs dos atores se interessarem pelo filme.
       Com uma semana de sua estreia, o filme fez tanto sucesso  que a Fox Filmes já revelou que o segundo volume da trilogia vai estrear nos cinemas em 2015. Percebi o tamanho de sucesso dessa trilogia, quando fui assistir A Culpa É Das Estrelas, e quando passou o trailer de Maze Runner, foi uma gritaria total. Com certeza ainda teremos muitas noticias dessa nova trilogia.

(Minha opinião: Particularmente estou louca para assistir esse filme, pois a história parece ser maravilhosa, super fora do clichê. E tem um cast M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O)

Sinopse: Em um mundo pós-apocalítico, o jovem Thomas (Dylan O'Brien) é abandonado em uma comunidade isolada formada por garotos após toda sua memória ter sido apagada. Logo ele se vê preso em um labirinto, onde será preciso unir forças com outros jovens para que consiga escapar.

                         

                       Também conheci ''Se Eu Ficar" quando fui assistir A Culpa É Das Estrelas, e foi super divertido ver todo mundo cantando ''Say Something'', eu no embalo também cantei. Além de que só pelo trailer percebe-se que a história é linda, além de ser outra adaptação de um best-seller. Nos, do adormecidas estamos loucas para ver o filme e comentar aqui com vocês.
                       Para quem quer derramar algumas lágrimas, ou sentir aquela vontade de viver um amor inesquecível, ''Se Eu Ficar'', é o filme certo para você.

Sinopse: Mia Hall (Clöe Grace Moretz) é uma prodigiosa musicista que vive a dúvida de ter que decidir entre a dedicação integral à carreira na famosa escola Julliard e aquele que tem tudo para ser o grande amor de sua vida, Adam (Jamie Blackley). Após sofrer um grave acidente de carro, a jovem perde a familia e fica à beira da morte. Em coma, ela reflete sobre o passado e sobre o futuro que por ter, caso sobreviva.

                         

                  O Doador de Memórias também se baseia em um livro, trazendo uma história distópica, que tem se tonado muito comum no meio literário e cinematográfico, o que é muito legal, pois tira todo aquele clichê de ''felizes para sempre''. O Doador de Memórias de cara chama atenção pelo cast,tendo como nomes: Meryl Streep, Jeff Bridges, Katie Holmes além de uma participação especial de Taylor Swift.
                O filme também chama atenção pela sua trilha sonora, que tem nomes como: Jake Bugg, OneRepublic, Rixton etc.

SinopseUma pequena comunidade vive em um mundo aparentemente ideal, sem doenças nem guerras, mas também sem sentimentos. Uma pessoa é encarregada a armazenar estas memórias, de forma a poupar os demais habitantes do sofrimento e também guiá-los com sua sabedoria. De tempos em tempos esta tarefa muda de mãos e agora cabe ao jovem Jonas (Brenton Thwaites), que precisa passar por um duro treinamento para provar que é digno da responsabilidade.


                          

 
                  Admito que o que me chamou atenção foi o fato do Daniel Radcliffe protagonizar esse filme, e admito também que foi quase nesse minuto que li a sinopse e assisti o trailer, e achei o filme ótimo para dar aquela desopilada, tomar um refrigerante e dar umas boas gargalhadas com os amigos. O filme estreia hoje, então você que, quer ver uma comédia romântica, rir um pouco, e se ver em cenas do filmes, esse é o filme perfeito para você. Afinal, tudo pode piorar quantas as coisas já estão ruins.

Sinopse: Wallace (Daniel Radcliffe) está sozinho há um ano, após terminar com a namorada depois de vê-la com outro homem. Encerrado o período de luto pelo fim do relacionamento, ele acredita que é hora de seguir em frente. Um dia, em uma festa organizada pelo melhor amigo Allan (Adam Driver), ele conhece Chantry (Zoe Kazan), a prima dele. Não demora muito para que o papo entre eles flua naturalmente e Wallace se ofereça para levá-la até em casa. Mas, ao chegar, ele descobre que Chantry tem um namorado, Ben (Rafe Spall), o que o desanima. Dias depois, Wallace e Chantry se reencontram por acaso e, após uma rápida conversa, decidem ser apenas amigos. A partir de então, eles andam juntos por tudo quanto é canto, apesar de Wallace nutrir um sentimento romântico por ela.
                          
                   A Bela e a Fera estreou hoje, e promete trazer um dos nossos contos de fada preferidos de volta, com muitos efeitos especiais, contando uma história já tão conhecida, mas que sempre amamos rever. A produção do filme é francesa, o que não é digamos ''muito normal'' para filmes, mas aos poucos a França está crescendo no meio cinematográficos.
                  Para quem gosta de contos de fadas e uma boa fantasia, esse filme é ideal para você. Admito que estou louca para ver, para saber se faz realmente jus a história.

Sinopse: No ano de 1810 um naufrágio leva à falência um comerciante (André Dussollier), pai de três filhos e três filhas. A família se muda para o campo e Bela (Léa Seydoux), a filha mais jovem, parece ser a única entusiasmada com a vida rural. Certo dia o pai de Bela arranca uma rosa do jardim de um palácio encantado e acaba condenado à morte pelo dono do castelo, um monstro (Vincent Cassel). Para salvar a vida do pai, Bela vai viver com o estranho ser. Lá ela encontra uma vida cheia de luxo, magia e tristeza, e aos poucos, descobre mais sobre o passado da Fera, que sente cada vez mais atraída pela jovem moça.


                         


                  Schimitdt e Jenko voltam para a faculdade em um novo trabalho, e vocês já podem imaginar o que essa dupla vai aprontar, as coisas parecem que nunca vão dá certo. Esses dois policiais prometem arrancar várias gargalhadas, com as suas aventuras em meio ao auge do ''pecado'' que os estudantes exalam na faculdade.

Sinopse: Os oficiais Schmitdt (Jonah Hill) e Jenko (Channing Tatum) têm agora uma nova missão: se infiltrar em uma faculdade local. O problema é que, em meio à investigação, Jenko conhece sua alma gêmea em plena equipe de atletismo e Schmidt, após se infiltrar no centro de arte boêmia, começa a questionar a dupla. Em meio aos inevitáveis problemas de relacionamento, eles precisam encontrar um meio de desvendar o caso que estão investigando.

                           

                      Um filme nacional de terror? Muita gente não bota muita fé, mas parece que "Isolados'' está surpreendendo. Eu como digna medrosa não via a hora do trailer acabar, e isso o trailer, imagina o filme todo. Caso você goste de filmes de terror, confere lá, e ver se o Brasil realmente está dando mais um passo na industria do cinema.

Sinopse: Lauro (Bruno Gagliasso) e Renata (Regiane Alves) decidem alugar uma casa na região serrana do Rio de Janeiro para descansar a reanimar a relação. O casarão é meio sombrio e Lauro escuta histórias sobre atos violentos na região, mas não conta nada para a mulher.


                            


                Depois desse trailer estou sem ar, e quero sair correndo da minha casa para o cinema. Sou suspeita para falar, sabe, semideusa, filha de Poseidon, então tudo que envolve mitologia me agrada, e esse filme em especial parece ser...coisa de louco (para não dizer um palavrão). Para quem gosta de ação e mitologia, rever Hércules em um outro formato deve ser sensacional. Outra coisa que reforça o quanto o filme promete ser bom, é o cast. Então corram para o cinema.

Sinopse:Filho de Zeus, o semi-deus Hércules (Dwayne Johnson) sofre 400 anos, por ter perdido toda a sua família. Após realizar os doze trabalhos, ele conhece seis homens sanguinários e impiedosos, e une-se ao grupo em busca de novas tarefas e de qualquer trabalho que puder encontrar, com a condição de ser remunerado. Esses homens assassinam diversas pessoas em seu caminho, e com isso acabam despertando fama na região, até que o rei da Trácia chama Hércules e convida-o a treinar  o seu exercito, na intenção de transformar-los em verdadeiros mercenários.


                            
             Outro filme que estreia hoje, e trouxe para as estreais de hoje um pouco de ação, pouco não, muito. O filme fala sobre si só, então não sei muito o que comentar, mas parece aquele tipo de história que prende do começo ao fim.


Sinopse: Baseado na série de televisão ''The Equalizer'' doa anos 1980, o filme apresenta Robert McCall (Denzel Washington), um homem misterioso que costumava trabalhar como oficial da polícia. Motivado pelas injustiças sociais, ele ajuda vítimas e qualquer pessoa em perigo. A protegida da vez é Teri (Chlöe Grace Moretz), jovem explorada sexualmente por mafiosos russos.


                            

                   Não sei o que comentar exatamente sobre o filme, não assisti o primeiro, e não sinto muita curiosidade em assistir. Mas ele é um filme bem ousado, trazendo de uma forma diferente visualmente a história. Esse filme estreia hoje, nove anos depois do seu primeiro filme. Existem criticas de todo o modo, mas só conferindo para saber mesmo.
                 Lembrando que o filme tem censura de 18 anos, então deve ser bem pesado.    

Sinopse: Após a morte de John Hartigan (Bruce Willis), Nancy Callahan (Jessica Alba) só pensa em vingança. Ela passa suas noites dançando no mesmo bar, mas agora na companhia de uma garrafa de bebida, enquanto toma coragem para enfrentar o poderoso Senador Roark (Powers Boothe). Ao mesmo tempo, Dwight (Josh Brolin) tenta ajudar a enigmática Ava (Eva Green) apenas para ser traído mais uma vez por esta dama fatal. Praticamente destruído, ele buscará a ajuda de Gail (Rosario Dawson) e sua turma para enfrentar a amada, enquanto Nancy contará com o apoio do gigante Marv (Mickey Rourke).
Continuação de Sin City - A Cidade do Pecado.

                           
            Sou meio suspeita para falar de filmes que envolvem música, que envolvem amor, que envolvem tudo que eu gosto. Dá para perceber por esse clima do trailer, que o filme deve ser super gostoso de assistir, com aquelas músicas que você não conhece mas já está cantarolando.
           Sem falar que tem um cast maravilhoso. P.S: Meus olhos só vão estar no Adam Levine quando eu assistir esse filme, me desculpe Mark.

                     
Sinopse:Uma cantora(Keira Knightley) se muda para Nova Iorque, mas logo após chegar no local, seu namorado americano decide terminar o relacionamento. Em plena crise, ela começa a cantar em bares, até ser descoberta por um produtor de discos (Mark Ruffalo), certo de que ela pode se tornar uma estrela.
                                                                           

                                                                          



                           


      Ela estava ao longe, sentada na areia, enquanto o vento levava e trazia suas mechas azuis, ela dizia não querer entrar na água por não querer desbotar seu cabelo, e por não ter dinheiro para retocar. Acho que é assim a palavra, sabe mulheres! 
      Cara, apesar dela ter todo esse jeito de: "sou diferente", era apenas uma garota, com um cabelo de uma cor ''não-normal'', protegendo da sociedade como se fosse uma capa, pelo menos é o que ela quer, mas isso não é nada de mais. Todo mundo pode ser do jeito que quiser, que isso não vai mudar quem você é.
      Queria não parecer um bobo apaixonado, isso parece meio gay, na verdade não queria está apaixonado. Mas simplesmente aconteceu, aquele cometa aterrissou no meu espaço e implantou todas as suas substâncias. É... Essa foi uma comparação meio estanha. Pelo menos se ela ler-se meus pensamentos agora, riria. Ela tem um sangue risonho. Tem o corpo risonho. Rir de coisas que não fazem o menor sentindo, ela rir mesmo quando está chamando todos na rua de fúteis que deveriam segurar os hormônios e não fazer filho quando não se pode criar. Ela rir quando xinga os políticos e diz que eles roubam o dinheiro que ela nunca nem teve. Ela rir para não chorar, por que quer mostrar que ta tudo bem, pois ninguém merece qualquer gota de tristeza que ela tiver. Isso a torna mais "garota" possível, se é que existe como ser "mais garota". Eu só queria colocar um "minha" antes desse "garota". Mas o meu ego, me impede de falar algo, por puro medo de um "não", por  simplesmente talvez não poder mais  puxar ela pelo braço, agarrar seus cabelos, beijar seus lábios e de alguma forma gritar que ela é minha, mesmo que seja internamente enquanto me aproveito da sua boca. Eu tenho medo, e isso me torna mais maricá, só que eu não posso mudar isso. A conhecida "aquela do cabelo azul" pegou meu coração, e levou para bem longe, com um simples beijo que quase me deixou careca. 
     Ela tem esse efeito sobre mim, me tornando um idiota que fica lendo literatura clássica, mesmo sem entender uma palavra, só para ter algo de inteligente para falar. 
     Ela não é "aquela do cabelo azul", é aquela que tem queimado todos os meus neurônios, se tornando a única equação que não conseguo resolver. 

Nota: Quem leu Aquela Do Cabelo Azul - Apenas se sente (aqui), sabe que a nossa maluquinha estava se rendendo a alguém, e eu estava pensando em trazer esse ''alguém'', para mostrar como é complicado está apaixonada por a nossa menina, e como talvez não seja só ela que sinta medo. Não coloquei como ''Aquela Do Cabelo Azul '', pois é um ponto diferente de uma história que já conhecemos. 




                                                                       




  Estava eu, em um site de cinema quando me deparo com o trailer de ''In The Woods" (no Brasil: Caminhos da Floresta), e simplesmente surge uma paixão. Eu já tinha ouvido falar sobre a produção antigamente mas nem tinha ligado, mas agora estou simplesmente apaixonada.
   Primeiramente que adaptações de contos de fadas são super legais, pelo fato de trazer de volta aquelas histórias já tão antigas mas que todo mundo ama. E segundo: não é uma simples produção, já é a terceira vez que tentam (agora vai dá certo) fazer esse filme, ele é um musical da Broadway, então se imagina que aos longos dos anos já tentaram fazer um longa com essa historia. Terceiro: não é uma ou duas princesas que vão ser aterrorizadas pela bruxa (Meryl Streep) mas sim vários personagens dos nossos contos preferidos. E por último: é impossível não reparar no cast do filme, que simplesmente está maravilhoso, imaginem, Meryl Streep, Emily Blunt, James Corden, Chris Pine, Anna Kendrick e Johnny Depp, todos juntos numa produção só, simplesmente mágico.

Sinopse: Uma bruxa (Meryl Streep) está decidida a dar uma lição em vários personagens famosos dos contos de fadas, como Chapeuzinho Vermelho, Cinderela e Rapunzel. Cabe a um padeiro e sua esposa a tarefa de enfrentá-la, de forma a colocar as histórias e seus personagens em ordem.

Trailer:



         Então deu vontade de assistir? Acredito que sim, eu também estou super ansiosa pela sua estreia. Infelizmente o filme só estreia em 1 de janeiro de 2015.

                                                             



             

                   

"Devia ter amado mais, ter chorado mais. Ter visto o sol nascer".

        E como devia! Amado incondicionalmente o mais simples dos gestos, amado as pessoas que me fazem feliz. Devia ter chorado sem medo, no momento mais difícil, mas guardar para si aquilo que não quero demonstrar é típico de mim. Ver o sol nascer, um novo dia, um novo recomeço, fazer aquilo que não tivemos a ousadia de fazer no passado, ou concertar os erros que cometemos.

"Devia ter arriscado mais, e até errado mais. Ter feito o que eu queria fazer".

         Arrependimento é o que menos importa. Devia ter feito tudo que queria, com todos os erros cometidos possíveis. Sempre poderia arriscar, até algo dito "impossível" não custa tentar. Afinal, somos jovens o suficiente para termos chances de fazer o que queremos, e recomeçar de onde queremos. O problema é que nem sempre temos a chance de recomeçar.

"Queria ter aceitado as pessoas como elas são. Cada um sabe a alegria e a dor que trás no coração"

         Aceitado, amado, compreendido, Sem levar em conta suas diferenças, erros, ou qualquer que seja a ação que tenha cometido. Somos todos iguais, por mais clichê que isso possa parecer, mas deveríamos ter mais amor no coração e olhar para nós mesmos antes de julgar o que as pessoas fazem ou deixam de fazer. Cada um de nós sabemos o que plantamos, e o que isso resultará para nós mesmos, alegria ou dor... Sabemos de nosso passado, se guardamos mágoa de alguém, se guardamos alegria, simplesmente trazemos em nosso coração aquilo que deixamos no passado.

"O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído"

         Um amor inexplicável por essa frase. Vivemos alienados, no mundo da lua, o acaso nos protege enquanto andamos distraídos, a vida nos protege. Erramos, e a vida nos faz o favor de concertar nossos erros. Em meio a tantas loucuras nós ficamos um pouco distraídos, mas se algo lhe protegeu saiba que foi por acaso.

"Devia ter complicado menos, trabalhado menos. Ter visto o sol se pôr."

         Complicar as coisas é típico de mim, a busca pela perfeição nunca alcançada, me faz ocupar meu tempo com coisas insignificantes. Trabalhar menos é quase tarefa impossível, mas não falo de empresas, empregados e patrões, falo da vida, do nosso trabalho para construir nossa vida. As vezes nós precisamos dar um tempo, esquecer essas tarefas do dia a dia e ser feliz, encontrar a felicidade em coisas pequenas, gestos, amizades, ou até o pôr do sol.

"Devia ter me importado menos com problemas pequenos. Ter morrido de amor"

         Não consigo evitar preocupar-me com problemas banais. As vezes nem são problemas de verdade, mas só de martelar na minha cabeça é perturbador. Um dos arrependimentos da minha vida é não ter demonstrado amar. Por conta disso, distanciei muitas pessoas de mim, inclusive aquelas que eu realmente amava. Devia sim, ter morrido de amor.

"Queria ter aceitado a vida como ela é. A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier."

         Como todos sabem, a vida nem sempre está a nosso favor, mas temos que aceitar os momentos bons e ruins. Nossa vida sempre está a surpreender, mas as vezes aparece a frustração com aquilo que não se pode mudar, apenas aceitar. São muitas alegrias que cabe a nós, dos mais variados motivos, não importa qual. Se temos alegria, o importante é vivenciá-la. Tristezas vêm e vão, cabe a nós não nos afetar-mos com elas, afinal, a felicidade é o que importa.

"O acaso vai me proteger enquanto eu andar distraído"

         Impossível não se distrair nesse mundo equivocado, principalmente quando temos algo a nos distrair. Mas o acaso, esses acontecimentos sem explicação nos motiva, nos faz querer tentar de novo, não importa o que aconteça se eu tentar, o acaso vai me proteger enquanto eu andar distraída.



Nota: música perfeita dos meus amores "Titãs". Há tempos queria fazer algo assim, e amei o resultado. Por incrível que pareça, não achei idiota (risos), mas quem lê cria sua própria opinião.
   
                                                                                   



Você sabia que a capacidade máxima do cérebro humano é de 10%? O filme questiona exatamente o que faríamos se pudéssemos alcançar, no mínimo, 20%. É aí que a história começa. Lucy é a personagem de Scarlett Johansson, e após uma grande quantidade de CPH4 - que um grupo de tráfico de drogas põe nela para traficar a droga - entrar em contato com o interior do seu corpo, a capacidade do cérebro dela começa a aumentar. Aos 20%, Lucy já não sente mais dor e ela consegue lembrar de coisas que nem mesmo sua mãe lembrava de sua infância. Em determinado momento, o cérebro alcança os 100%. E, aí, vocês vão ter que assistir o filme pra saber como e o que acontece.



Por N motivos, eu fui assistir a esse filme. Sendo sincera, eu não estava com vontade nenhuma. Preferia ter ido ver Se eu ficar (que eu irei, e farei post no blog porque i need), mas meu pai queria muito ver esse, então nós acabamos indo. E se você é do tipo de pessoa que ama ficção científica e teorias da origem da vida, você não pode perder! É um filme que mistura ficção, ação e muito conhecimento. 



Sou suspeita para falar. Quem protagoniza o filme é Scarlett Johansson, e eu sou fascinada por ela, acho ela sensacional e confesso que eu julguei o filme pelos atores. Quando soube que iríamos assistir Lucy, julguei que seria bom simplesmente por haver a Scarlett e outro ator que também admiro muito, Morgan Freeman.


O filme vem sendo bastante criticado. Uns dizem que fora melhor do que o esperado, outros dizem que ele tinha tudo pra ser lembrado, mas falhou. Eu não posso criticar o filme dessa forma simplesmente porque eu não sabia o que esperar. Não havia sequer assistido ao trailer e só sabia no básico do básico sobre o que a história tratava. É fato que eu adorei. Meu único ponto negativo fora o final. Não sei, fiquei meio decepcionada. Mas o filme está espetacular e nos faz pensar em coisas que a gente nem para pra perceber. Dá uma olhadinha no trailer:


Eu gostei do filme. De cinco, dou quatro estrelas e continuo achando que a Scarlett é uma diva, é a mulher. Então é isso. Se você se interessou pela história, corre pro cinema mais próximo e assiste pelo menos pra ter o que falar sobre o filme. É um filme de ficção científica, mas não para por aí. Questiona coisas muito mais da vida em si do que qualquer outra coisa. É como se fosse um desafio ao próprio corpo humano. Creio que também seja como um teste pra saber até onde o corpo poderia ir - claro que é utópico, porque até onde eu sei, isso seria impossível de acontecer. Nunca, nunca julgue sem saber da história. 


N/A: Saindo da sala do cinema, ouvi algumas pessoas questionarem a atuação. Eu, como já disse, sou muito suspeita pra falar. Disseram que Jolie, Cameron Diaz e até mesmo Julia Roberts (sim, Julia Roberts!) poderiam fazer uma atuação melhor. Eu quase tive um mini ataque porque Scarlett é a mulher. Me controlei, respirei fundo e foi. Sinceramente, eu achei a atuação sensacional e isso não é crise de fanatismo. xoxo,







              Parei pra pensar no nosso passado e o sorriso de repente apareceu em meus lábios. Estava lembrando da sua voz me dizendo pra ficar, mais uma vez. E eu fiquei. Insisti. Pensei em como seria bom sermos uma coisa só. Lembra? Eu fazia de tudo pra te fazer rir enquanto corríamos na praia, naquele dia meio nublado? Tudo o que me lembro de nós é meio nublado, é escuro e com cheiro de maresia. Nossa vida começou na praia e foi lá que terminou, também, quando ouvi sua voz me dizendo pra tentar mais uma vez ser feliz. Tentei te provar que eu sempre fui feliz com você. Sempre sorri com você. Bastava ficar com você, e eu já teria a minha paz.
              Depois que tudo acabou, pensei que nunca mais fosse te ver. Quer saber de uma coisa? Eu quis sumir. Quis que você sumisse e me deixasse em paz. Mas você foi um cretino, sinceramente. Terminou o que tínhamos, mas ainda estava lá, aonde quer que eu fosse. Estava nas tarde da praia que era nossa, e continuou sendo porque você sempre estava lá. Estava nas festas de amigos em comum, que eram meus melhores amigos e você tratou de se aproximar. E, acima de tudo, você estava na minha mente, o tempo todo. Eu via casais e lembrava de nós; via sorrisos em meio á brincadeiras e lembrava de ti; eu via você, de fato, e queria voltar. Foi quando aceitei que sem ti não podia ficar. É irônico, porque foi você quem terminou. Mas o meu consciente me fez querer pensar que eu terminei tudo, que eu não queria mais, que eu não amava mais você. E eu nunca estive tão errada na minha vida.
              Então me agarra e me leva pra outro lugar bem longe daqui, vem ficar juntinho de mim até o sol nascer. Eu juro que vai ser diferente. Eu te prometo ser o motivo dos teus sorrisos. Só não prometo que não terão brigas... Se não brigarmos, não seremos nós. Mas, vem. Vem que a gente pode ser feliz com todos os nossos defeitos, problemas e você tem que saber que eu quero ser feliz ao seu lado. Desde que você prometa aquilo que é a única coisa que eu mais preciso no momento: ficar.

N/A: Mais um texto baseado em música! Dessa vez, escolhi Me Leva, do Onze20. Essa música tem trazido uma calma pra alma que me fez produzir o texto. Próxima semana tem mais. (Dá um close na foto, Zac e Vanessa são vida, bebê) xoxo,

 



           Estava tudo bem. Sentia-me feliz, irradiando as melhores vibrações e sensações mais variadas. Nesses momentos, consigo dizer o quanto estou feliz e o quanto é bom sorrir; o quanto é bom ter amigos, amigos de verdade e que você possa contar sempre que precisar. Mas é quando tudo está dando certo que as coisas erradas acontecem. É aí que você pode receber uma notícia que vai abalar sua vida, virando-a de cabeça pra baixo, do avesso. Dói pensar que você não pode fazer nada e a expressão "mãos atadas" cabe perfeitamente á você. É sufocante, é massacrante. O choro está entalado na garganta, mas eu não posso chorar. Não aqui. Não com pessoas que compartilham da mesma dor que eu. Não posso mostrar-me fraca na frente daqueles que podem estar muito pior, e estão.
        Não me sinto só. Pelo contrário, me sinto em meio á uma multidão que está me ajudando e percebendo a minha tamanha tristeza. Estou me sentindo prepotente, e escrever é a única coisa que me resta. E eu gosto do prazer que a escrita me proporciona. Eu poderia ser infinita apenas por algumas palavras escritas que transbordam minhas emoções. Ah, eu também sinto medo.Eu tenho medo de perder aquele que mais amo nessa vida, medo de não saber a hora certa de falar a coisa certa, medo ainda mais de deixar o tempo passar e não ter aproveitado nada.
         E ainda vai doer demais. Vou me chatear, chorar demais, me estressar demais. Não há coisa pior do que um "vai ficar tudo bem" nesses momentos, mas eu acabo me agarrando ás pontinhas de esperança que essa frase traz. Eu ainda quero gritar, ainda quero chorar e, acima disso, quero que isso passe. Quero agora a paz que sempre sonhei. Quero mais abraços sinceros e mais sorrisos abertos. Só não quero cair. Quero manter-me forte por quem faz coisas maravilhosas por mim. E Deus fora tão bom na minha vida, sei que continuará sendo. Agradeço e sempre o farei por tudo que tenha em minha vida. Amém.

N/A: Esse texto é do tipo que eu não criei nenhum personagem para fazê-lo. Fui eu mesma, do início ao fim. Busquei passar a essência dos meus sentimentos, e isso saiu. xoxo,

 


           


            Subestimados pelo poder, só nos resta aceitar o que nos é imposto. Nossa vontade de criticar e questionar, está se perdendo. Passivamente, estamos concordando com o que se diz respeito a governo e política.
            Novas leis e regras sendo impostas, e nós nem percebemos o quão manipulados estamos sendo através delas. O mundo capitalista crescendo cada vez mais, a corrupção aumentando e nós pagamos devidamente cada centavo que nos é exigido de imposto. Promessas mentirosas e utópicas sendo feitas e nós votamos com o maior prazer, no devido dia de eleição naquele candidato que as fez.
            A questão é que a sociedade está se acostumando com a monotonia. Nossa liberdade de expressão não foi roubada por ninguém, mas nossa coragem e vontade de pensar diferente, foi desaparecendo aos poucos. O medo de parecermos loucos, inconvenientes, arrogantes ou apenas "pessoas querendo mudar o que já existe" tomou conta de muita gente.
         
           Os críticos que ouvíamos falar, aquelas tais pessoas "revolucionárias" que lutavam e se manifestavam de alguma forma, não se sabe onde estão, e a maioria daqueles que se dizem críticos, só seguiram idéias dos poucos que se preocupam com o bem coletivo. Talvez aquele "gigante" que muitas pessoas falavam que havia acordado, tenha entrado em um longo sono. Mas isso não quer dizer que seja tarde demais. Há algum tempo tínhamos o poder de mudar o mundo. Quem tirou nossa coragem? Onde está aquele povo que gritava “vem pra rua”?  Desistiram? Talvez eles só estejam esperando o restante de nós.

Nota: bom, época de eleição sempre me dá uma pontinha de esperança, mas sempre sou decepcionada. Esse texto é só mais um desabafo meu... Espero que pelo menos através dele algumas pessoas reflitam