A Marvel realizou um evento para apresentar os filmes que fazem parte da Fase Três do estúdio no cinema. O evento anunciou 9 filmes e ainda contou com a apresentação do trailer de Os Vingadores 2, contendo uma cena nova. Antes do anúncio de Os Vingadores 3 (Pat I e II): Guerra Infinita, foi apresentado um teaser com Thanos usando a Manopla do Infinito.
  A Fase Três da Marvel começa em 2016 com Capitão América 3: Guerra Civil e termina com Os Vingadores 3: Guerra Infinita - Pat II, mas claro que dependendo, a Marvel pode produzir outros filmes nesse período.

Capitão América3: Guerra Civil (6 de maio de 2016)

Capitão América 3 irá marcar o começo da Fase 3 da Marvel, e a tão aguardada Guerra Civil. A Guerra Civil, marca o conflito entre Steve Rogers e Tony Stark, sendo o grande ''x'' da questão a regulamentação dos super-heróis para o governo ou serem independentes.


Doutor Estranho (4 de novembro de 2016): 

Doutor Estranho promete ser um filme mais sombrio, trazendo um pouco de ''terror'' para o universo Marvel. Ainda não foi confirmado o ator que vai protagonizar o Doutor Estranho, mas boatos dizem que será Benetic Cumberbatch. 

Guardiões da Galáxia 2 (5 de maio de 2017) 

Guardiões da Galáxia 2 - com uma data nova, adiantando-se um mês -, pode trazer várias coisas, mas a grande aposta é que entre no conceito de descobrir sobre o misterioso pai de Peter Quill. Novos integrantes serão inseridos na equipe dos Guardiões. 

Thor 3: Ragnarok 

Thor 3, com certeza vai aproveitar o gancho do fim do Thor 2: Mundo Sombrio, e englobar todo esse sentindo de destruição. Afinal, Ragnarok por si só já é a destruição. Onde estará Odin? 


Pantera Negra (3 de novembro de 2017) 

Pantera Negra irá ser apresentando em Capitão América 3: Guerra Civil, e com  Wakanda citada em Os Vingadores 2, criando toda uma linha para o seu filme solo. Pantera Negra será o primeiro super-herói negro a ter um filme solo. O ator que irá interpretar o Pantera Negra, já foi confirmado, será o Chadwick Boseman.  



Capitã Marvel (6 de julho de 2018) 

Capitã Marvel, mais conhecida como Miss Marvel, que é a história de Carol Danvers, que é uma super-heroína poderosíssima. Ela será a primeira super-heroína da Marvel a ter seu filme solo. E quem sabe ela não tenha uma ligação direta com Os Vingadores. 


Inumanos (2 novembro de 2018) 

Mais um supergrupo para a Marvel, agora meio que substituindo o X-Men. Parece que os Inumamos já será citado em Os Vingadores 2, por causa que o Mércurio tem uma ligação forte com eles. 


Os Vingadores 3 : Guerra Infinita - Pat I 
Os Vingadores 3: Guerra Infinita - Pat II 

E para finalizar a Fase 3, Os Vingadores 3: Guerra Infinita - Pat II, onde vai acontecer de tudo, com Thanos e tudo o que temos direito. O interessante é que o filme é dividido em duas partes, o que pode dizer que na primeira parte, pode acontecer algo grandioso - como morte de alguém importante - para dá o gancho para a parte II.  






Nota: Meu Deus! Como eu estou feliz, tenho motivos para viver! Essa briga entre Marvel e Dc fica cada vez melhor, mas de novo, na minha opinião a DC perdeu essa. Então DC, ta na hora de acordar. 
                                                                           





                                   

Senhorita, de forma superior, siga atenciosamente esses mandamentos de modo a ser por toda a sua vida. Para ser uma boa princesa para os seus suditos, marido e para um dia ser uma rainha exemplar. Preste bem atenção, sem esses mandamentos você não será nada. Coitadinha.

1. Sempre mantenha a aparência perfeitamente feita, sem nenhuma falha. Afinal, uma princesa sempre tem que estar lindíssima para mostrar para toda as suas sudidas a beleza que elas devem seguir

2. Sempre pensar primeiro na satisfação de seu príncipe, afinal ele é o homem da sua vida. 

3Lembre-se também de não se misturar com homens, o lugar de uma princesa não é na guerra, em negócios ou qualquer coisa que ocupe uma parte do seu tempo, que era para estar cuidando da sua boa forma. 

4. Evite falar muito. Não dê sua opinião, ela realmente não importa. Deixe as coisas chatas com os homens e somente com eles. Nada de dor cabeça, elas dão rugas.

5. Seu príncipe não é só seu. Pare de ser utópica. Ele tomará outras mulheres, talvez você não o veja por meses. Lembre-se: não existe motivos para reclamar, você continua sendo a princesa. 

6. Nada de decotes, fendas ou qualquer coisa que mostre o corpo demais. Você é o que veste! Uma princesa tem que dar o exemplo de integridade de que uma mulher deve ser.

7. Seus sentimentos não importam. Sempre terá que estar com um sorriso na face. Chore em seu quarto, reclame lá, grite para as paredes. Mas saiba, é inútil.

8. Você deve ser obediente em tempo integral à seu príncipe, ao rei, à rainha. Afinal, você não conhece a vida. 

9. A vida não é um contos de fadas, principalmente para uma princesa. Haverá sangue, dor. Mas sabe? Isso não importa, você estará em uma banheira de ouro, tomando a bebida mais cara, enquanto milhões morrem, por você

10. Você não terá poder de nada. Então simplesmente, pare de tentar e ignore todas as dicas anteriores. Aproveite o luxo que lhe resta.

Nota: Manual de instrução misturado com crônica. Afinal, apesar de vivermos em um mundo com o movimento girlpower, ainda existe muito machismo, até para as princesas! Quem disse que vida de princesa é aquela facilidade que passa nos contos? É, acredito que não. Me baseei na obra de Jô Soares, "Pequeno manual para a Rainha do lar", que até hoje confunde opiniões.

                                  



Tenho chorado muito, mesmo sem ter um motivo precisamente concreto. Minhas lágrimas têm, pelo menos, tirado toneladas dos meus ombros de forma que eu me sinto outra pessoa. E o mundo parece menos terrível quando eu consigo chorar sem que ninguém me atrapalhe, como se eu pudesse ser eu e somente isso é suficiente para seguir minha vida. Me acostumei a seguir minha essência, a ter orgulho de quem eu sou. E quem eu sou? Isso eu não saberia dizer nem que você quisesse saber. Eu não sei dizer quem sou, mas posso dizer das coisas que gosto e acho que isso já seria um bom começo.
Bom, eu gosto de sorrisos sinceros. Eu gosto de abraços apertados e perfumes que impregnam na pele por um dia inteiro. Gosto mesmo de beijo na testa e dou preferências á um "sinto sua falta" mais do que um "eu te amo". Não faço tanta questão de ser gostada por muitos, mas faço questão de ser amada por poucos, esses poucos que são capazes de me entender e me fazerem crer que a humanidade ainda tem jeito. São esses poucos que me fazem levantar todos os dias da cama na esperança de espalhar mais amor e sorrisos por aí. Não é qualquer pessoa que valha a pena hoje eu dia; mas os que valem... São por eles que  luto.
De acordo com o tempo, vendo como as coisas andam, você acaba se acostumando com a felicidade em migalhas, mas não se contente apenas com isso! Se acostume com o inesperado. Plante o bem, queira o bem e o resto vem. E vem mesmo, pode acreditar. Quando você não conspira contra ninguém, o próprio universo se encarrega de conspirar a seu favor. Seja bom, seja feliz. Não se importe se os outros vão se incomodar com a sua felicidade. É a sua felicidade e de mais ninguém. Aí, depois disso, você vai ver que a sua felicidade vai ser o motivo do sorriso de alguém.

N/A: Hoje deveria ser um post sobre livros, lançamentos, resenhas e coisas do gênero. Mas eu precisava falar sobre essas coisas. Precisava falar da esperança que alimento de poder, a cada dia, ser um pouco mais feliz e ter mais pessoas para amar, a cada dia. E todo dia poder sonhar, e acreditar que vou realizar. E é isso. xoxo,


    Há algumas semanas, uma amiga chegou com ''Veneno" e eu simplesmente me apaixonei. "Veneno'' faz parte da ''Saga Encantadas'' que em três livros, trás três dos maiores contos de fadas de uma forma totalmente diferente. Como boa fã de contos de fadas, principalmente aqueles que não tem todo o esteriótipo dos ''felizes para sempre'', me apaixonei. Lógico que não posso deixar de falar das capas, que chamam atenção por sua forma trabalhada e sua arte, que fazem nossos olhos brilharem. É, me apaixonei também pelas capas! É impossível não se apaixonar. 
       Mas vamos ao que interessa. O que o livro trás? De novo? Só pela sinopse você já vai perceber.  


Definitivamente esse livro tem que está na minha estante (se eu tivesse uma). Ao fato de ser uma oncer (fã da série de TV: Once Upon a Time), adoro ver o lado dos vilões e que sim, eles tem seus motivos, ninguém simplesmente nasce mal. ''Veneno'' conta a história da Branca de Neve, que nesse livro, não parece ser tão meiga quanto nos contos, e a nossa madrasta, pode não ser tão má assim. Se alguém quiser me mandar o livro, bem, não serei mal educada de recusar. 


Sinopse: Sexy, sarcástico e de prender a respiração!Para os fãs de Once Upon a Time e Grimm, Veneno é a prova de que contos de fadas são adultos! Não existe "Felizes para sempre"! Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir como tal? E que princesas podem ser extremamente mimadas? E que príncipes não são tão encantados e reinos distantes também têm problemas reais? Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativaram por anos atrás estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria ''um final feliz'' pode se tornar o pior dos pesadelos! Veneno é o primeiro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês.
Sara Pinboroung coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitor será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia! Palavra da editora: Veneno é um livro tenro como uma maçã envenenada. Belo como os vilões costumam ser. Sarcástico como príncipes mimados. E sem finais felizes porque já estamos bastantes crescidinhos! (E, ainda assim, é um dos finais mais chocantes da ficção atual!) Para fãs de séries de TV e histórias picantes e divertidas, Veneno é puro entretenimento! - Mariana Rolier.  





Cinderela, não! Passei a minha vida toda te amando e agora você não passa de uma menina egoísta? Sarah, destruiu minha infância. É, eu amo a Cinderela! Mas em Feitiço parece que tudo o que vou sentir vai ser nojo da minha adorada Cinderela. Nada mais real, do que mostrar o reflexo de algumas mulheres, homens, da atualidade em uma história tão glorificada. Aceito doações.  


Sinopse: Cuidado com o que você deseja! Para fãs de Once Upon a Time e Grimm, a série Encantadas prova que contos de fadas são para adultos! Você se lembra das histórias da Cinderela, com sua linda fada madrinha, suas irmãs feias e um príncipe encantado? Então esqueça essa história, pois nesta releitura de Sarah Pinboroungh  ninguém é o que parece. Em um reino próximo, a realeza anuncia um baile que encontrará uma noiva para o príncipe e parece que o desejo de Cinderela irá ganhar aliados peculiares para ser realizado. Contudo, não será fácil: ela não é a aposta de sua família para esse casamento real, e sua fada madrinha precisa de um favorzinho em troca de transformar essa pobre coitada em uma diva real. Enquanto isso, parece que Lilith não está muito contente com os últimos acontecimentos e, ao mesmo tempo em que seu reino parece sucumbir ao frio, ela resolve usar sua magia para satisfazer suas vontades. Feitiço é o segundo volume da trilogia iniciada com Veneno, um best-seller inglês clássico e moderno ao mesmo tempo em que recria personagens mais famosos dos irmãos Grimm com personalidade forte, uma queda por aventuras e, eventualmente, uma sina por encrencas. Princesas, rainhas, reis, caçadores e criaturas da floresta: não acredite na inocência de nenhum deles! Palavra da editora: Nada é o que parece no segundo livro da saga encantadas! Em Feitiço, Cinderela, com seu desejo desmensurado de fazer parte da realeza, fará qualquer coisa para obter a atenção do príncipe. Mas seria mesmo este um final feliz? - Mariana Rolier




Poder, é o último livro da trilogia, trazendo dessa vez a história da Bela Adormecida (nada haver com a gente, né?). Nesse livro, parece que vai focar, em que um príncipe pode ser nada encantando, na história do reino adormecido (moramos lá), e os motivos que levaram aparentemente uma adorável rainha ao profundo sono. Já amei, pois onde tem Malévola, tem poder, luxo, pancadaria etc. Não sei mais o que colocar aqui pra pedir o livro! Ajudem uma pobre necessitada por livros, façam uma vaquinha, sejam solidários e ajudem o próximo. 

Sinopse: Acordar uma princesa pode ser letal. Para fãs de Once Upon a Time e Grimm, a série Encantadas prova que contos de fadas são para adultos! Quando um príncipe mimado é enviado pelo seu pai para tentar desvendar os mistérios de um reino perdido, ninguém imagina os perigos que ele encontrará pela frente! Acompanhado da figura sóbria e sagaz do Caçador e de Petra, uma jovem valente que possui uma ligação muito forte com a floresta, o príncipe acaba encontrando um reino adormecido por uma estranha magia. Todos os seres vivos foram cercados pela densa mata e estão dormindo, em um sono pesado demais, que só poderia vir da magia. Mas que tipo de bruxaria assolaria uma cidade inteira e seus habitantes? E, principalmente, quem faria mal a uma jovem rainha tão boa e tão bela? A não ser, claro, que os olhos não percebam o que um coração cruel pode esconder...Poder é o terceiro volume da trilogia Encantadas, e traz como histórias principal o conto da Bela Adormecida. Porém, esqueça os clichês tradicionais e se entregue a uma nova visão dos contos de fadas, em que heróis e anti-heróis precisam se unir para perceber à beleza superficial de princesas e rainhas egocêntricas e aos príncipes em busca de aventuras.
                                                                      

                                                                      



Sinto uma dor, lá no fundo. Não sei se é uma dor comum ou que pode ser diagnosticada. Uma dor estranha, jamais sentida - não por mim. Dói demais. Ás vezes aquieta, acalma. Mas é só ouvir uma voz, uma música que lembre de nós, o nome daquela pessoa, ou uma frase que tenha nos marcado... A dor volta. Pior! Volta ainda pior! Ela vem destruindo tudo que havia sobrado inteiro dentro de mim. Uma dor que não vai embora até você chegar. Ela permanece aqui, ora no peito, ora na mente, me torturando de todas as formas possíveis e impossíveis, até você chegar. E é só você chegar que eu me derreto por inteira. Uma dor engraçada, sabe? Algo que por mais doloroso que seja, me traz a certeza que um dia eu pude te ter. 
Ela só se vai quando você ressurge. Na maior mansidão e calmaria do mundo, você surge e meu mundo volta aos eixos. É como se fosse a pessoa que monta meu quebra-cabeças. Tudo fica certo quando estou com você. Tudo tem o seu lugar, cada problema num instante se soluciona. Por isso, tenho o costume de dizer que você é o meu melhor antídoto, meu remédio mais poderoso. Você é paradoxo, eu sei. É a cura ao mesmo tempo que consegue ser a minha doença. Mas foi quando eu te encontrei que eu pude me encontrar, também. Deixo você ser minha confusão, contanto que depois arrume-a. 
Pode ser que nada se ajeite e eu continue uma confusão mesmo depois de muito tempo que você tenha voltado. Mas se a minha bagunça for junto com você, ela valerá a pena. Você vale a pena! Vale cada momento perdido, vale cada lágrima escorrida, vale cada sorriso bobo. Você vale uma vida toda de espera, ansiedade e angústia. Sei que nunca encontrarei alguém melhor do que você, e mesmo que que eu não puder te fazer a pessoa mais feliz do mundo, eu juro, eu te prometo com todo o coração, que eu chego o mais perto disso possível.
Não gosto de ver você indo embora. Mas quando é preciso, tudo bem; contudo, suplico: nunca esqueça o caminho  de volta. Sem ti eu não sou mais do que uma mera criatura em busca da paz interior. Você é a minha paz. Eu nunca, em hipótese e jeito nenhum vou deixar de te procurar. E pode ter a certeza de que eu sempre irei lhe achar, seja hoje, amanhã ou daqui 10 anos. Eu te encontrarei e, até lá, me espere e faça isso com toda a intensidade e ansiedade que eu também alimento. Não deixes de sentir o que sentes, nunca. Não precisamos provar pra ninguém o que temos dentro do coração, desde que seja real para nós dois. E, bastando ser real pra você, eu já sou a pessoa mais feliz de toda a face da Terra.

N/A: Não tenho muito o que explicar sobre esse texto, porque pra minha pessoa ele não tem um fundamento muito verídico. É só amor... E é isso. Na sua mais pura e transparente face, é amor. Em suas mais verídicas e sofridas lágrimas, é amor. Só amor e mais nada. Que grande droga é amor! Pelo menos para inspiração de texto ele serve. xoxo,



Meu porão, 11/Out
          O quão fiel eu consigo ser? Até onde vai a minha coragem? Onde eu posso chegar querendo e desejando tudo isso? Não estou falando de fé em Deus ou qualquer divindade. Não falo de fidelidade em um relacionamento ou sinceridade para quaisquer perguntas não necessárias. Eu falo de mim. O quão fiel eu posso ser á mim mesma, sabe? Eu tenho coragem de ser quem sou? Eu, na minha mais pura e transparente face, gosto de ser quem sou? Essa sou realmente eu? Talvez eu tenha me perdido em algum beco dessa cidade minúscula. Estou fazendo o máximo pra viver minha vida, mas o que tem de errado em mim? É o meu cabelo que cortei escondida no banheiro do meu quarto? (Ninguém desconfiou, exceto quando viram a desigualdade dos fios.) Ou é a minha magreza excessiva e os meus medos em relação aos padrões da beleza?
          Não sei qual será o meu fim. A minha fé em todas as coisas tem sumido aos poucos. A minha fé em mim, que é a fé mais importante, tem sumido aos poucos. Talvez ela já tenha se dissipado. Não consigo mais ser eu de dois anos atrás. Não faço nada por mim. Ou até faço, sabe? Faço aquilo que dizem ser o melhor pra minha vida. Todos tem cuidado demais dos meus problemas nos últimos tempos, mas eu... Eu que deveria segurar essas rédeas! Eu que deveria estar tomando conta de tudo. Essa é a minha vida. Essa é a minha fé. Se não puder ter fé em mim, no que mais eu poderei acreditar?
          Tenho sido fraca durante tanto tempo. E essa minha fraqueza toda é um grande problema. Pensei que quando eu estava obesa, beirando doenças causadas pela péssima alimentação, eu não pudesse ir á lugar nenhum porque era totalmente excluída de qualquer padrão. Contudo, agora que emagreci, me sinto mais deslocada ainda, pois não sou eu que vos escrevo. Não sou eu que sinto o que essa pessoa aqui consegue sentir. Eu sei que não sou eu. Não consigo ser eu. Eu tinha fé de que tudo poderia mudar, mudar pra melhor. Então por que me sinto tão vazia? Por que, sua grandessíssima idiota, tudo continua ainda mais opressor? Se eu não sei responder ás minhas próprias perguntas, é porque não sou eu. Aonde foi parar a minha fé em mim? Só queria poder me entender antes que fosse tarde demais.
Em busca da minha fé,
Jessie.

N/A: Esse diário foi como um tapa na cara. Mostrou-me o quanto eu sou egoísta em pensar que meus problemas são maiores do que todo o resto do mundo. Com certeza não são. Entretanto, de uma coisa eu sei: nunca teremos um fardo maior do que o que podemos suportar. Tudo tem um jeito... E acho que acabei de encontrar a minha fé. xoxo,


 






   Tenho essa mania de rir, chorando por dentro. Tenho essa mania de falar: está tudo bem, quando estou destroçada. Ninguém merece minha tristeza. A vida de todos é complicada, para que complicar-la mais? Isso pode ser meio solitário, não sei na verdade.
   Acredito em tantas coisas, que as vezes esqueço que acredito em mim. Não é sendo chata ou melodramática, longe disso, odeio o fato das pessoas terem esse apelo para o choro. O que custa sorrir? Eu posso ser o contrário disso, posso ter um sorriso forçado, 23 horas e 59 minutos por dia. Só que, ao longo da minha vida, aprendi que o máximo que podemos fazer para as pessoas é sorrir, tentar fazer o dia de alguém melhor. Pois é essa falta de alegria que deixa o mundo tão preguiçoso.
   Mas também tenho esse defeito. Esquecer de mim. Esquecer que eu sou um ser humano e também tenho os meus medos, desejos, tristezas e felicidades. Guardo todos esses sentimentos em um baú dentro de mim e tento fingir que eles não existem. Por isso sou tão fraca. Pois os sentimentos nunca vão parar de existir e uma hora eles vão átona, muitas vezes quando não quero demostrar que estou mal. Quando estou na frente de alguém e tudo o que eu quero é abraçar-lá é dizer o quanto ela é importante pra mim, mas o choro ta entalado na garganta e o medo de desabar e mostrar franqueza impede que eu faça isso. É por me preocupar de mais, que as pessoas que eu amo fiquem bem, que acabo destruindo um pouquinho cada vez mais de mim. Pois na realidade, não consigo colocar toda a carga que sinto pra fora. Posso falar, falar, mas não será o suficiente, eu falo, choro e sorrio, não gosto das pessoas preocupadas comigo. Não gosto do: vai dar tudo certo. Se não dê, como eu fico? Sempre será esse ponto de interrogação na minha vida. Por que necessariamente, tento ser o melhor para as pessoas, mas tudo que prego, rio, não sigo.
    Continuo com aquele medo que me persegue a anos: o de ficar sozinha. As pessoas sempre vão dizer que vão estar lá pra você, com você. As vezes não é nem que a pessoa não queira, mas a vida faz questão de afastar um eixo do outro. E eu acabo só de novo. Cansei das vezes que não sabia o que fazer, que todos aqueles momentos bons agora eram só memórias, e que agora tinha a dúvida novamente se teria alguém pra causar mais um buraco em mim depois de um tempo. Por esses motivos tenho medo de me entregar, de me entregar pra alguém e só esse alguém saber como eu realmente me sinto...e depois esse alguém for embora, deixando um buraco que não teria como criar uma cicatriz. As pessoas sempre vão embora. Por isso tento deixar um pouco de alegria pra alguém, fazer com que esse tempo não seja só um tempo. E quando todos paracem pra olhar as fotos antigas do tempo de escola, lembrassem e dissessem: Ah, olha aquela louquinha do cabelo azul, e rissem.

                                                                           


Nota: Nossa menina está meio sentimental, está puramente frágil, sem um resquício de seu sarcasmo. Definitivamente essa não é uma crônica, são só sentimentos escritos em um formato louco. Eu e a nossa menininha do cabelo azul, somos uma só hoje. Tirando do real, e colocando na vida de todos. Afinal, as vezes tudo o que tememos é ficar só. 


                                                                          


            Você é muito idiota. Começo dizendo isso porque não tinha como lhe dizer uma primeira coisa que não fosse essa. Estou especialmente chateado com você. Tinha necessidade daquela crise toda? Aquilo não foi normal. Não era você gritando comigo, e muito menos fazendo aquele escândalo todo. Eu fiz uma promessa antiga pra mim mesmo que nunca deixar você duvidar de nada que eu sinto, mas parece que você adora pisar em cima do que eu sinto. Parece que há uma nuvem negra sobre você bloqueando acreditar na verdade. E o que eu sinto é exatamente isso: amor de verdade.
            Eu penso em ti toda hora, e o meu coração é tão teu que nem sei dizer. Já até cansei de todas essas declarações. Até a última vez que eu as fiz, pensei que você sentisse o mesmo, que você, pelo menos, acreditasse em um terço do que eu dizia, mas nem isso! É como se tudo que eu dissesse ou escrevesse fosse descartado imediatamente da sua mente. Eu não me importo com ciúmes. Todavia, também não concordo com aquelas babaquices que dizem sobre ser fofo e "fazer parte de todo relacionamento". Pode me chamar de ridículo agora, mas eu acho a pior de todas as coisas quando um relacionamento não tem confiança. Pras pessoas, um namoro certo tem ciúme. Pra mim, tem confiança. E se não há isso entre nós, essa balança não está equilibrada. E é exatamente isso que eu quero dizer, entende? Não? Nós somos uma balança. O meu lado só ficará na altura certa se houver o mesmo peso de sentimentos pra você. Agora, quem me faz duvidar do que tu sentes sou eu. É amor? Diga-me, Lua... O que você sente por mim é verdadeiramente amor?
            Eu deveria ficar quieto e deixar a poeria baixar. Deveria respirar fundo e pensar que tudo é só uma fase, e você tem tantas! Sendo eu, seu Navi, podia deixar mais uma passar. Mas, entenda, eu não quero mais esperar. Não aguento mais. É como se eu estivesse com uma corda amarrada no pescoço, e a cada burrada que você faz, a cada vez que duvida de mim, a corda se aperta um pouco mais. Temo que já quase não tenha nada para se apertar. Eu esperei tanto por você, e não me arrependo sequer um segundo. Contudo, me arrependo por não ser mais forte. Me arrependo de não poder te esperar tanto tempo. Espero que você também entenda e não me julgue, por favor. Tudo que faço é por você, é por nós. E se esse nós tiver que acabar, eu sei que é para o bem de ambos.
Fique bem.
Navi.

N/A: Deu a louca mesmo, resolvi separar eles mesmo e vão ficar assim até quando eu quiser, HÁ! Brincadeiras á parte, quis realmente separar esses dois. Achei que tava meloso demais, nhênhênhê demais, e como sou eu que seguro as rédeas disso aqui, fiz com que Lua tivesse alguns ataquezinhos e Navi se revoltasse. Quero todo mundo separado! (Estou me sentindo muito má, risos) Talvez, em breeeeve, eu venha com os dois juntos. Mas eu ainda quero muita briga pela frente! Desejem-me sorte. xoxo,


Que somos selecionadas, isso ninguém que lê esse blog pode ter dúvidas. E ontem (23), nós tivemos a satisfação, felicidade e maior alegria da semana de saber como será a capa do 4º livro da saga A Seleção. Fora anunciado, mais ou menos em Agosto - pelo que eu lembro -, que A Seleção teria uma continuação de mais dois livros depois daquela lindeza que foi o final de "A Escolha", último livro do que até então era uma trilogia. Quando recebemos a notícia da continuação, não havia uma selecionada que não se aguentasse de tanta felicidade em saber que teríamos um pouco mais de Maxerica para nossos corações inconsoláveis.
Quando descobrimos que o nome da continuação seria "The Heir", e com spoilers também lançados, ficou claro que o livro seria com um foco direto na filha ou filho que o casal mais amado dessa saga teria. E eis que surge essa capa: 


#SaudadesRuivinhaNaCapa. Ficou claro á partir daí que não será mais nossa querida e amada America narrando a história - pelo menos para mim. Quando vi a capa, concluí que essa menina linda é a filha do rei Maxon e rainha America. No topo da página, há escrito "35 pretendentes. Uma princesa.  Uma nova Seleção começou." e já é de se imaginar que fiquei com minhas estruturas abaladas. Foi quando li a sinopse que eu tive certeza:
"Vinte anos atrás, America Singer participou d'A Seleção e conquistou o coração de Príncipe Maxon. Agora, chegou a hora da Princesa Eadlyn lidar com a Selação ela mesma. Eadlyn não espera que sua Seleção seja sequer parecida com o amor de conto de fadas de seus pais. Mas quando a competição começa, ela deve descobrir que encontrar seu próprio final feliz não é tão impossível quanto ela sempre pensou."
Meu forninho já caiu faz tempo! Eu estou completamente apaixonada e aos prantos para que Maio de 2015 chegue logo! Estou mais ansiosa ainda porque não faço a mínima ideia do que Kiera Cass nos guarda para o quinto livro, e eu só fico cada dia mais nervosa para isso tudo. Há no Youtube todos os vídeos da montagem de cenário e modelo para as fotografias das capas. Com esse não podia ser diferente! Aqui você confere o vídeo:


E vocês? O que acharam das novidades? Estão todos tão ansiosos quanto nós? Creio que sim! Nos resta esperar por mais spoilers, trechinhos do livro e pronunciamentos de Kiera a respeito do lançamento. Cruzando os dedos para que esses meses passem rapidinho! xoxo,



Nesse mundo conturbado que hoje é a internet, nós que gostamos de viver em blogs, cuidar de um, atualizá-lo e mantê-lo a nossa cara, precisamos sempre estar atrás de blogs que nos tragam uma certa inspiração. (Gostaria de saber de onde esses blogs tiram as inspirações deles.) Bom, eu sou muito fã de alguns blogs que hoje temos uma livre passagem para leitura. Antigamente, mais ou menos uns dois anos atrás, eu sempre optava por blogs que me mostrassem mais desse mundo da moda, beleza, adolescência (e olha eu ainda nem havia entrado nessa fase da vida) e coisas do tipo. Por conta disso, e por quase sempre ter um computador com internet á minha disposição, sempre que estava no ócio, eu procurava ler esses blogs, ver o que eles tinham de novidades e coisas do tipo. 
Hoje, não trouxe os blogs que eu lia há tempos atrás, até porque não consigo lembrar quais eram. Trouxe os que eu leio hoje e que falam sobre essas coisas que o Adormecidas não é totalmente focado, mas eu adoro me manter informada sobre. São blogs que falam de beleza, moda, comportamentos e música de uma forma que faz o leitor compreender até aquilo que talvez ficasse subentendido. São blogs assim que nos inspiram e nos fazem sonhar com algo semelhante àquilo que eles são. Vamos começar?


Tenho uma paixão muito antiga pelo Depois dos Quinze, por Bruna Vieira. É um blog que me faz pensar em muitas coisas e talvez seja uma das minhas principais fontes de inspiração. A Bruna é uma pessoa  maravilhosa e ela consegue mostrar quem ela realmente é de post em post, quase todos os dias. Há a colaboração de muitas pessoas, eu sei. Mas foi ela quem criou o blog. Ela quem escreveu os livros (primeiro, Depois dos Quinze; segundo, A Menina que Colecionava Borboletas; terceiro, De Volta aos Quinze; e quarto, De Volta aos Sonhos). Que blogueira nunca sonhou em escrever um livro? E toda blogueira iniciante ou até amadora que sonha com isso, tem a Bruna como referência e pensa sempre em como seria viver a vida que ela vive. Chega de sonhar, pelo amor! Sem falar que o blog vai além do site em si. Instagram, Twitter, Youtube, Facebook... Em todas essas redes o DDQ tem conta e ele é geralmente atualizado diariamente. Um sonho pra qualquer um.

O Serendipity é um blog que só vim acompanhar mesmo diariamente há poucos meses, mas já sou completamente apaixonada. Ele também é vinculado á Capricho, mas a Melina Souza (ou Mel, para aqueles que acompanham o blog) é de uma fofura única, e acaba tornando tudo muito a cara dela. Um blog que traz tutoriais, dicas, muuuuuitos livros, e a indispensável e sempre presente simpatia da Mel, que é um dos pontos mais fortes do blog. Também tem uma grande influência no Youtube, e acho que boa parte de seus seguidores vieram conhecer o blog por lá. Uma das coisas que mais gosto desse cantinho são todos os posts sobre livros. Acabo conhecendo vários e conhecendo histórias que eu nunca imaginei existir. Outro blog que seria um sonho criar. Sem falar do título, Serendipity, que possui um significado forte não só para aqueles que acompanham, mas também para a própria dona do blog.


Esse aqui é um blog que só é amado por aqueles que realmente gostem de moda e apreciem saber sempre mais e mais sobre o assunto. O blog da Isabella Scherer (esse sobrenome é tipo: com certeza colocarei-o em algum personagem!) é totalmente voltado á esse mundo de moda e beleza, mas eu não tenho como não gostar dele. Prometo que é o último do grupo CH, mas é realmente um dos meus favoritos. Todas elas fazem vídeos e eu sempre as acompanho, numa busca para conhecer melhor aquelas que escrevem para meus blogs favoritos, e sempre percebemos como são essas pessoas e por isso elas são as que mais me inspiram.


Ricota não Derrete é um blog que eu gostaria, sinceramente, de casar com ele. Ele é muita fofura pra um blog só. A Dani Vasconcelos cuida dele muito bem e eu conheci ele só porque estava atrás de blogs que não fossem do sudeste (estava quase desistindo). Foi quando descobri o Ricota, que é um blog maravilhoso de Recife, que não se prende apenas ao conteúdo da moda, mas vai á decoração, séries de TV, beleza, variedades, cultura... É um blog pra amar do início ao fim. <3

N/A: Então é isso, fiz apenas de 4 blogs pro post não ficar tão grande. Esses são alguns dos blogs que todo dia tenho que tirar um tempinho pra checar as atualizações, e em breve venho aqui com um parte dois trazendo blogs que também amo e não vivo sem. Usei as logos dos próprios blogs para o título de cada um e ficou uma fofura só. xoxo,



Talvez tenha virado moda (e que modinha maravilhosa!), mas a questão é que Os Instrumentos Mortais é uma saga (e que saga!) que acaba de ser noticiado que virará série! Os sites que noticiaram, apontaram que o fracasso nas bilheterias e as críticas dos fãs da saga à adaptação dos livros para o cinema fez com que a Constantin Film optasse por uma readaptação das obras (que só foi até Cidades de Ossos), agora para a TV. Não é a primeira continuação que sai dos telões para as telinhas, mas, assim como Percy Jackson e os Olimpianos, os fãs esperam melhoras! Muitas melhoras.
Os livros de Cassandra Clare, que são muito, muito bons, vão virar série com outros atores, já que estes foram uma das principais reclamações do público que assistiu á Cidades de Ossos, em 2013 (N/A: Com quase toda a certeza, a maioria dessas críticas foram ao Jace. Mas tenho uma notícia que vai fazer vocês chorarem: será o mesmo ator! Ah, além do fato do filme ter trazido coisas dos próximos livros, então, os fãs ficaram meio que muito perdidos!). 
A continuação do primeiro seria Cidade das Cinzas, e já era de se esperar que não houvesse continuidade nos cinemas. O anúncio da notícia fora feita no evendo MIPCOM, em Cannes. O roteirista e produtor de séries de TV Ed Decter será o produtor principal da série. Ainda não ligaram nenhuma emissora ao projeto, mas a ideia da Costantin é dar início ás produções em 2015. Não se sabe se a série começará á partir de onde o filme parou, ou se farão uma adaptação de todos os livros. Eu acho que será como Percy Jackson... Não faz sentido começarem de onde o filme parou, pois, como antes eu disse, o filme traz desfechos de livros seguintes, então vai ficar ainda mais confuso. Tenho grandes apostas para essa série apesar de que (podem me bater, shadowhunters) gostar do Jace. Desculpa, gente! Eu sei que não tem nada a ver com o personagem de Cassandra, e sei também que não é só ele, mas eu gosto do cast. Não me crucifiquem tanto! 
Então é isso, ficarei esperando qual será a próxima adaptação horrível que virará série (bem que isso poderia acontecer com Crepúsculo, hã? Eu deixo me baterem de novo). O que acharam da notícia? Esperam alguma coisa por essa readaptação? Ansiosidade é pouco pra definir!

P.S.: Mais uma saga virando série de TV. Fiquei realmente feliz com a notícia, e só me resta esperar. Não sou considerada shadowhunter, os chamados fãs da saga, mas acho-a extraordinária e espero que, logo, logo, eu chegue perto disso. xoxo,


      Quarta-feira (22), mais cedo, caiu na rede algumas imagens dos Vingadores 2: A  Era de Ultron. Já a noite o trailer vazou no site TheFilmStage. Logo depois, a Marvel rapidamente divulgou o trailer adiantado, esse que deveria sair no dia 28, após a série Agents of SHIELD.
      No trailer, que tem um tom bem mais sombrio, podemos ver Homem de Ferro com a Hulkbuster, Mércurio e Feiticeira Escarlate em ação, e por fim o escudo de Capitão América partido ao meu. No fim do trailer, Ultron ainda diz: ''enfim, está livre.''



                       




                                           

                                                                           



Ouvi uma amiga dizer que estava cansada do namorado. Disse que ele estava cobrando-a demais e que ela precisava de espaço. Automaticamente, pensei no porquê dela não ter dito á ele que estava se sentido presa. Mas não foi só ela que tomou minha mente dessa forma, mas, sim, todos esses casais de hoje em dia que preferem ficar com suas próprias emoções e sentimentos guardados no peito ao invés de demonstrá-los para aquela pessoa que escolheram ficar, amar. Acredito, e nem sempre acreditei, que ninguém é obrigado a manter uma relação. Quando ela está sem saída, a solução é terminar tudo. Não que não hajam problemas - nem pense que eu quis dizer algo do tipo! Contudo, dizer que ela está sem saída é como aparecer um problema e o casal não conseguir resolver juntos. Quando cada um escolhe o seu caminho, mas se sentem presos naquela vida que eles gostam de ter. A única solução para isso, meu caro leitor, é acabar tudo  e recomeçar. Não recomeçar do meio ou quase do final. Apague tudo e comece do zero. Tudo se torna mais fácil quando você se dedica e acredito que aquilo será bem sucedido. Todas essas coisas passaram pela minha cabeça enquanto minha amiga falava o que tinha acontecido.
O que realmente me chateou foi quando ela disse que havia traído ele. Não foi uma traição daquelas absurdas, não... Ela simplesmente beijou outro rapaz. Eu não vi minha expressão, mas posso jurar que foi de espanto. Ela parecia tão satisfeita com ele, tão feliz. O que a fez trair? "Eu precisava experimentar coisas novas, saber se é com ele mesmo que eu devo ficar", foi isso que ela respondeu. Fiquei ainda mais chocada. Desde pequena, penso que quando se começa a namorar alguém, é quando se tem certeza. Nunca, jamais, em hipótese alguma, deve-se aceitar namorar alguém quando o amor é incerto. Nada funciona na incerteza de uma paixão. As pessoas procuram solucionar as coisas das maneiras mais fáceis, como ela mesma fez ("experimentando" coisas novas). Entretanto, meu leitor, você concorda comigo quando digo que tudo seria mais fácil se ela simplesmente conversasse com o próprio namorado e dissesse o que sente? 
Eu tenho certeza de que ele entenderia, que ela deveria contar o fez antes que ele soubesse de bocas erradas, seria pior, e eu disse isso a ela. Eu disse também que é claro que ele ficaria com raiva. Ele seria capaz de nunca mais olhar na sua cara, mas isso são consequências da ação mal pensada. Todavia, pode acontecer que ele aceite. Pode ser que ele queira dar um tempo, eu sei. Mas será o melhor para os dois, também sei. Isso tudo é consequência de um crime legal: amar incertamente. 

N/A: Definitivamente, não sou boa com crônicas. Era pra ter feito uma história totalmente diferente, talvez com diálogos, ou coisas do tipo. É o que temos pra hoje - agradeçam ao meu bloqueio criativo que só aparece nos momentos errados. E, sobre esse texto, acho que as duas pessoas que supostamente conversavam nunca saíram da minha mente. Seria como eu e uma amiga imaginária (?), como se eu precisasse de alguém pra aconselhar quando todos os meus amigos já estão com suas vidas no lugar. xoxo,


Acho que corro o risco de apanhar de cinto de couro porque esse post ficou enorme, mas seria impossível falar sobre esse assunto sem escrever tanto. Se você sabe o que é e quer saber minha opinião, clique em leia mais. Se não sabe o que é e tem muita curiosidade sobre, clica também. Mas! Se você não se encaixou em nenhuma das alternativas passadas, até a próxima! xoxo.

Mais informações »






Caderno jogado no canto do quarto,
folhas amassadas por todo o lado.
O caos completo...dentro de mim.

Pensamentos abstratos.
Alucinações.
Palavras nem nexo, rodando, rodando,
comprimindo meus globos ao nada.

São apenas palavras.
Palavras estas, que me perseguem.
Sonhos que torturam.
Uma inocência presente e extinta.

Pensamentos fodidos.
Uma mente louca.
Um sorriso paradoxo
Palavras que falam de amor,
quando significam, apenas dor.


Nota: Feliz dia do poeta! Não sou uma, mas acho que um dia como esse não pode faltar um poema, mesmo que seja esse sem sentindo algum. 

                                                         



           Você pode viver sua vida sem ter que, sempre, reviver o passado. O que você um dia viveu, ficará lá trás. Te traz lembranças, te faz chorar. Vai te fazer querer voltar, mas e aí? É impossível reviver momentos. É possível remontá-los de forma cômica, mas nunca serão iguais. Você pode ir até um lugar que tenha vivido algo bom, mas vai existir um vazio, porque o que faz um lugar bom não é simplesmente ele, mas sim, as pessoas que ali estão. E se for um momento em que você estivesse sozinho... Seria ainda pior. Seus pensamentos do dia nunca seriam iguais ao que você já teve e você só ficaria ainda mais na vontade de reviver aquilo, e jamais iria conseguir.
           A questão que quero nos levar é: viva cada momento como se fosse infinito. A vida tem passado rápido demais, concorda? Viver o momento tem sido como uma filosofia de vida pra mim. Você pode estar amando aquele momento, mas não consegue parar de pensar no que pode ou não acontecer. Tem se preocupado tanto que, quando perceber, aquele momento já se foi e você nada poderá fazer, apenas conviver com lembranças e, quem sabe até, aquela sensação de dever não cumprido. 
           Nossa história não se criará sozinha. E pra fazer ela valer a pena, tem que ter esforço, tem que ter foco. Não precisa ser tão preocupado. Respire fundo, seja você. Sempre seja você. Você logo perceberá que as perguntas mudarão de "tudo bem com você?" para "qual o motivo de toda essa felicidade?". Você notará que as pessoas ao seu redor viverão ainda mais leves por ver que você está assim. Tudo que aqui escrevi parece mais um texto de auto-ajuda. Melhor para por aqui, concluo por mim. Não quero que ninguém siga mais padrões do que a sociedade já manda seguir. Só quero cada um sendo feliz da forma que puder, no tempo que quiser, e com um sorriso estampado na cara, sempre.

N/A: Momento pra se sentir mais leve, mais livre, mais solto. Fui vendo que o texto foi tomando um rumo que eu não havia imaginado, mas isso acontece com as melhores produções (não que essa tenha sido boa... Não foi mesmo!). Tirando o blog do bloqueio que tivemos, mas já estamos de volta. Aleluia! xoxo,



Os poetas não são azuis nem nada, como pensam alguns supersticiosos, nem sujeitos a ataques súbitos de levitação. O de que eles mais gostam é estar em silêncio - um silêncio que subjaz a quaisquer escapes motorísticos e declamatórios. Um silêncio... Este impoluível silêncio em que escrevo e em que tu me lês. (Mario Quintana)
Não é tão simples quanto parece ser. Não se priva ao fato de pegar uma folha, um papel, e começar a rabiscar versos sem sentido, que possuam rimas aqui e ali, mas que em sua essência não contenha sentimento algum. Contudo, quando se sente, é calmo e devastador ao mesmo tempo; é sincero e duvidoso de uma vez só; é grande assim como é minúsculo aos olhos dos que não podem ver a mais pura forma do amor. O poeta faz aquilo que poucos conseguem, mas os que conseguem, demonstram o real sentimento desde o prefixo ao sufixo da palavra. 
Pode ser que ele minta. Pode ser que não haja sentimento algum naquelas palavras bonitas, mas isso é um dos maiores dons do poeta: saber o que falar e o que causar em seu apreciador. O poeta é livre. O poeta brinca com as palavras para que apenas nas entrelinhas possam ser lidas sua verdadeira face. Um poeta numa se revela por inteiro ao leitor, mas, de uma coisa eu sei: o leito se derrete por inteiro ao ler sua mais bela estrofe de amor. Não se engane, o poeta sente. Mas o que sente, nem sempre é entendido. Ele é um paradigma, uma incógnita sem real valor. Mas todo poeta que se preze quer seu lugar no mundo, seu cantinho pra escrever alguns versos com sentido apenas pra ele mesmo e algumas lágrimas que manchem suas páginas de amores de todos os tipos.
Sim, poeta é colecionador! Coleciona palavras, amores, memórias, sentimentos, pessoas - e todas essas coisas em todos os tipos. Ele é engraçado quando precisa ser, mas é irônico na maior parte das situações. Ser poeta é ser gentil no uso das palavras. Ser poeta é amar aquilo que escreves, mas ainda assim ter vergonha de mostrá-los pra qualquer pessoa. É saber escolher o sentimento certo, numa cartela com tantos, e descrevê-lo em poucas palavras como é senti-lo, como é vivê-lo. O poeta é uma classe das mais nobres que já pôde existir. Parabéns, poeta, por existir e fazer com que tudo seja a sua poesia, por mais simples, cômica e incompreensível que seja.
N/A: Isso mesmo, queridos! Hoje, dia 20 de Outubro, é o dia do poeta! Eu tinha que fazer um post falando sobre porque eu realmente tenho uma grande paixão por poetas, qualquer tipo de poeta. Seja poeta clássico, poeta amador, poeta de palavras abstratas ou poeta de poucos amores. Eu gosto de poetas, na sua mais clara, quase transparente essência. xoxo,



Porto Alegre, 11 de Setembro de 2014.
Estou andando com um rumo incerto. Não sei se devo conversar com alguém, não sei se devo dizer alguma coisa sobre o que estou sentindo. A questão é: estou sentindo. Estou escondida no quarto, agora. Prometi á todos que iria dormir, mas resolvi somente me largar. Largar meu eu numa cama macia e quente, de forma que eu pudesse ficar ali e pensar em mil e uma coisas sem ter que cobrar absolutamente nada. Estou me sentindo presa em um lugar que eu vim justamente para me sentir livre de qualquer coisa. A própria felicidade virou obrigação e me sinto perdida. Como se todos os dias eu devesse acordar e ter que ser feliz, obrigatoriamente. Até Rebecca, que sempre acorda bem humorada e rindo de tudo, tem sido bastante impaciente ao dirigir nessas ruas barulhentas e entediantes.
Tenho me culpado todos os dias por não ter cumprido promessas que fiz á mim mesma. Que tipo de diário é você que não se mantém atualizado sozinho? Queria ter tempo pra escrever o que bem entender. Tempo eu até tenho... Que grande confusão está minha vida! Vim pra cá para me organizar, e só acabei jogando tudo pro ar e deixei o vento levar. O problema é que o vento trouxe de volta e eu não sei o que fazer com todo esse entulho que um dia eu chamei de sentimentos. Tentei jogar no lixo mais próximo, mas depois lembrei que não é reciclável. Tentei depositar na pessoas mais previsível que poderia... Mas, quando eu estou assim, sou incapaz de amar até meu prato culinário favorito. Estou um verdadeiro caos.
Eu tinha uma psicologa no meu colégio, em torno do sétimo-oitavo ano, e ela adorava falar sobre essas fases da vida. Eu sempre fui uma criança-pré adolescente muito, muito problemática. Eu era aquilo que adoram chamar de "aborrescente". Nada me satisfazia e tudo me deprimia fácil, fácil. Eu sempre conversava com essa psicóloga,, e se hoje eu sou uma pessoa um pouco mais normal, devo tudo isso á ela. Ela falava que cada fase tem sua essência, e só saímos de cada uma quando aprendemos algo de muito importante nela. E na nossa última conversa, ela disse: menina Clarice, entenda... Pode ser que você encontre-se numa fase que não terá um aprendizado final. Você nunca aprenderá o suficiente dela e este será seu fim. Isto está longe de acontecer, eu lhe garanto. Todas as fases serão difíceis, cada qual com seu caos. Mas você, na sua maior plenitude da felicidade e mocidade bela, completará uma por uma com muito êxito. Não fora exatamente nessas palavras, mas é o que eu me lembro. Até hoje eu não sei o quanto esse "está longe" pode medir, mas algo me diz que ele já chegou. Mas uma coisa ela não disse... Talvez essa fase seja eterna enquanto viva eu for. Talvez essa fase demore tanto pra acabar que eu vou me cansar de esperar. Espero que assim seja.
Agora eu tenho que dormir. Você não tem sido um bom diário para merecer tantas horas de minha atenção. Pretendo ir embora daqui, é fato. E, apesar de toda a irritação, obrigada, meu diário, por permanecer aqui, mesmo com toda essa chatice, criancice, bobice, maluquice, idiotice e dramatismo que sou. Até breve.
- CM.

N/A: Amo quando, de uma hora pra outra, resolvo desencalhar certos personagens. Trouxe Clarice só pra dizer que a vida nem sempre será um mar de rosas e aproveitei pra pôr nela essa história de fases (pensei nisso em uma das minhas aulas de teatro e tinha que implantar em algum texto). Queria ter mais inspiração pra postar mais diários dela. Queria, até, ter um dia fixo pra postar diários dela... Não sei. Pensarei no caso. xoxo,


         Quinta-feira é o dia das estreias no cinema, o dia que mais filmes são lançados e consecutivamente nosso dinheiro indo embora! Então para você que está deitado ai, sem fazer nada, desopila! Junte seus trapinhos e vá para o cinema. Nessa semana houve lançamentos de filmes bem tensos, teve aquela animação que a gente adora, e claro, um tico de realidade.

                             Festa no Céu



                           

Já comentei que amo animações? Pois é, eu amo, e nessa animação com a produção de Guillermo del Toro (que é mexicano, e fez filmes como: Circulo de Fogo, O Labirinto do Fauno), trouxeram essa cultura mexicana, que aparenta ser mostrada muito levemente. Além que estou apaixonada por essa trilha sonora, preciso urgentemente correr para o cinema.

Sinopse: Um grupo de crianças bagunceiras é encaminhado a uma visita guiada ao museu, como "punição" pelo mau comportamento. Lá, uma guia diferente resolve percorrer um caminho alternativo e os apresenta ao "Livro da Vida", que contém todas as histórias. A mais simbólicas delas, baseada nas tradições mexicanas, envolve três mundos. Catrina/ La Muerte é uma adorada deusa ancestral, que governa a Terra dos Lembrados. Ela é a ex-mulher de Xibalba, o governante da Terra dos Esquecidos, um trapaceiro. Em uma visita  à Terra dos Vivos, eles fazem uma aposta. Se a jovem e bela Maria, filha da maior autoridade de San Angel, escolher se casar com o emotivo violinista Manolo, Catrina ganha, e Xibalba passa a governar, também, o Mundo dos Lembrados.



                                              O Juiz


                            


Um drama para nossa lista. Drama esse que há chances de concorrer ao Oscar, apesar de muitos dizerem que a história é clichê. Os críticos estão gostando e dizendo que o filme surpreende. Sou meio suspeita para falar pois já acho o filme digno de um Oscar só pelo cast, mas tem que conferir para saber realmente! Preciso tirar o dia, para assistir esses filmes, e com certeza, chorar.

Sinopse: Um advogado de muito sucesso, Hank Palmer (Robert Downey Jr), volta a cidade em que cresceu para o velório de sua mãe. No local, acaba descobrindo que seu pai é apontado pela pública pela polícia como um dos suspeitos pelo assassinato da mulher. Ele, então, decide defender o pai, que foi ausente na sua criação, no tribunal.


                                                Fúria


                            

Agora ação por aqui. Nicolas Cage é conhecido por seus filmes de ação, que nos deixam pulando na cadeira, a cada cena. E esse filme parece que trás isso. Afinal não se pode brincar com um pai querendo vingança!


Sinopse: Paul Maguire (Nicolas Cage) esteve envolvido durante muito tempo com o mundo do crime, mas hoje ele tenta viver uma vida tranquila, protegendo a sua filha. Um dia, no entanto, a garota desaparece e Paul decide reunir os amigos de antigamente, pegar em armas e se vingar dos responsáveis, líderes da máfia russa.



                                          Na Quebrada


                           

Na Quebrada é um filme nacional, que trás aquela realidade que muitos jovens passam, e que as vezes nem ligamos. Apesar de achar um tema repetitivo, acredito que é sempre bom, dá uma parada e tomar uma dose de realidade.

Sinopse: Baseado em fatos reais, o filme sugere a trajetória de um grupo de jovens de classe baixa, como Júnior, talentoso no conserto de televisões, Zeca, que testemunhou  uma chacina, Joana, garota que sonha com a mãe desconhecida e Gerson, cujo pai está na prisão desde que nasceu. Entre histórias de perdas e violência, eles descobrem uma nova maneira de expressar as suas ideias e as suas emoções: o cinema.

                                       À Queima Roupa


                           

Um documentário nacional, colocando mais uma vez na nossa frente a tamanha violência que nós presenciamos todos os dias, muitas vezes por aqueles que nos deviam proteger, e que infelizmente a sociedade passou a achar normal.  

Sinopse: Partindo da Chacina de Vigário Geral de 1993, o documentário investiga a violência e a corrupção policial praticadas no Rio de Janeiro nos últimos 20 anos. Uma dura apresentação dos fatos brutais mais marcantes por meio de entrevistas com vítimas e familiares, imagens de arquivo e cenas ficcionais reconstruindo a memória dos sobreviventes.



                                                                           

             



Entre o sol e o mar existe um endereço, pra gente um dia morar.

Eu aceito fugir com você se formos para um lugar onde ninguém possa nos julgar. Onde sejamos eu e você e mais nada. Onde eu possa ser sincera com o que sinto e você pode confiar em tudo que vier de mim. Vejo seus olhos e enxergo um espelho. Eu gostaria de ser exatamente como você, forte, grande e incrível. Contudo, como não posso, fico aqui, sendo protegida e amada por ti. E como te amo! Se fosse qualquer outro momento da minha vida, talvez eu não te amasse tanto. Mas te olhando assim, despreocupadamente, eu sinto que tenho depositado em ti todo o amor do mundo.
Então, vamos fugir! Aceito qualquer praia, qualquer lugar paradisíaco que seja deserto e que tenha nós. Mas não um nós apenas físico, mas um nós sentimental. Que haja eu tanto quanto há você. Que tenha um nós que só existe quando estamos juntos. E, mais uma vez, não é um juntos físico, é um juntos intimo, quando eu sei que tudo o que eu sinto é refletido em ti. Um juntos que um silêncio de um olhar já diz tudo, como sempre foi. Eu não quero ficar eternamente com você, entende? Talvez nós esperemos muito do amor para que ele dure um infinito inteiro. Todavia, se estivermos juntos e o que sentimos for recíproco, será infinito, será eterno no nosso pequeno mundinho. Eu posso ser quem eu quiser se estiver com você e você pode se sentir livre em ser também. 
Não me importo com o que vão dizer sobre nossas loucuras á parte. A inveja tem afetado as pessoas demais, amor, eu sei. Mas demoramos tanto para finalmente nos unir. Não é qualquer coisa que vai nos separar. Fique comigo e verás que podemos ser infinitos enquanto o que sentimos for. E é. Com você, tudo é como deveria ser. E sorria por mim quando pensar em algo que pode dar errado. E ria da cara do perigo - não sei porque disse isso, mas eu amo quando você ri. Me olhe de uma forma engraçada quando eu parecer emburrada com você. Me faça cócegas até eu chorar de tanto rir, mas me abrace quando pensar que o seu mundo pode estar pra cair. Pra fechar, amor, só quero de dizer que conte comigo. Além de namorada, sou sua melhor amiga. Seja meu tanto quanto sou sua. Seja feliz, porque, assim, também serei. Amo você. Amo indescritivelmente. Não é incondicional, eu sei. Mas é verdadeiro. Nisso você pode confiar.

N/A: Estava sentindo falta de fazer textos assim, mais cômicos, menos depressivos. Meus textos estavam muito depressivos e tristes. Esse ficou tão sincero... Não achei que fosse conseguir. Mas, já que pude, fiquei feliz com o resultado. xoxo,