Já percebeu o quanto eu preservo o contato visual? Só assim consigo saber se você fala a verdade ou não. Só assim, olhando nos fundos dos teus olhos, eu sei que o que você diz é real, é verídico. Os olhos são as portas da alma - já ouvi alguém dizer. Se está perdido, logo se nota em seus olhos algo atordoado, você percorre os olhos por todos os lugares á procura de algo que te ajude, que te faça bem ou que apenas te tire da tal situação. Se está feliz, você não tem como controlar o brilho nos olhos, é impossível. Mas, se entristece, logo o canto dos olhos se curvam e só o que se vê é dor. O contato visual que temos é incrível. Podemos sentir o que o outro sente apenas o olhando nos olhos. É como se, a partir do momento que os olhos se encontram, criassem uma ligação infinita, que poderia ser quebrada a qualquer momento, mas enquanto ela acontecia, os donos dos respectivos olhos eram quase capazes de ler a mente um do outro. E não se acanhe. Não sinta medo de olhar no fundo dos olhos do outro. Olhe-o, diga a verdade do fundo do seu coração. Se você é alguém digno da verdade, você sempre será capaz de olhar nos olhos de alguém. Abra os seus olhos e enxergue á sua volta. Enxergue o quanto você merece ser feliz. E jamais feche seus olhos para a verdade, a realidade. Privar-se da verdade é a pior coisa a se fazer. Me diga que você abrirá seus olhos. Levante, vá embora, saia de perto desses mentirosos. Olhe com outros olhos, e não com os olhos dos outros. Tire suas próprias conclusões... Talvez assim você consiga ser alguém melhor. Eu quero tanto abrir seus olhos, porque preciso que você olhe nos meus. Vamos fazer o seguinte: fechar os olhos apenas para sonhar um pouco mais, que tal?

N/A: Eu quero, de alguma forma, dedicar esse texto á Isabelle. Eu o fiz pensando na música Open Your Eyes, de Snow Patrol, a qual ela intitula "música dela". E por causa dela, eu conheci a música, e hoje me inspirou a fazer esse texto. Até pôr alguns trechos eu coloquei. Espero que gostem, xoxo,


                         

Preciso calar a boca para ser aceita na sociedade? Preciso ser considerada louca por falar a verdade que doí e não a mentira que conforta? Preciso ser um objeto da sociedade? Tenho que ser alienada? Perguntas que possuem respostas, mas que são escondidas aos olhos de quem as precisa, dos olhos da sociedade, que se aliena cada vez mais, aceitando migalhas dos seus verdadeiros direitos.
Migalhas, passamos a vida recebendo migalhas, pobres, dão todos pão-de-lo, entupindo cofres e mais cofres, dos fissurados que gozam na cara dos tolos, que se satisfazem com meias palavras ensaiadas, eu não, e um monte de gente, temos que engolir garganta a dentro palavras e palavras. Pelo direito podemos falar, nos expressar, mentira! Somos forçados a viver numa faça onde verdade é esculpida pela mentira, faça-me rir, estamos sendo controlados como robôs, e aqueles que se desligam, são considerados loucos, vândalos, drogados, não é isso que passa na sua televisão? Não é esses gritos por justiça que são tampados com caixas de som, que não dizem nada.
Tenho que me calar, e está propicia a qualquer momento levar um tiro na testa? Você não quer isso, certeza, mas continua aceitando a impunidade, continua defendo os engravatados, merecedores de ver o sol quadrado, os bandidos fantasiados de moralistas, enquanto você trabalha, sofre, eles riam, comem, bebem, fumam, gastando o dinheiro que falta em seu bolso em cada mês, não comemos nada mais que o vazio, iludidos que aquilo é o que podemos pagar, quando não si é nada. Sofremos sem motivo algum, lutamos pela liberdade por direito, estamos cansando de faças, estou cansada da minha própria farsa, de falar, falar e não ser escutada, estamos no século vinte um, tempos de revoluções já passaram, mas agora parece que o crescimento e a ganância está nos destruindo, você está vendo tudo isso, não finja que é normal.
          Pode pensar que só falei, falei e falei e que não faço nada, mas todo dia que acordo penso na palavra justiça, e mesmo que o mundo esteja no seu fim, espero que isso aconteça. Sou gente, sou ser humano, mereço respeito, minha pátria merece respeito, merece luta, lutas que no passado aconteceram e agora terão que acontecer de novo, e se hoje somos loucos, inconsequentes, drogados, amanhã não seremos, ou você acha que na década de 60 seus ídolos eram aceitos?

Nota: Perceberam que entramos nessa onda de falar a verdade? Pois então, não aguentava tanta verdade entalada na minha garganta, acho que ninguém mas aguenta, temos que transformar essa desordem e regresso em ordem e progresso, afinal essa é a nossa casa.

                                                            



Imagino o melhor para mim, para você, para nós.

 Falta uma parte de mim, não sei o que é, mas o aperto no peito não me abandona. Tudo está uma bagunça. Minha mente parece uma cidade pós-apocalíptica. Simplesmente não consigo compreender nada.
  Estou naquela fase da vida que uma escolha pode definir todo o resto da sua vida, onde portas estão abertas e você não sabe qual escolher.Talvez essa falta de algo, seja a falta de mim mesma, a falta de escolha, de decisão, por essa falta caio em um poço de melancolia, e o buraco em minha mente só cresce, o aperto no meu coração só pior já tentei de todas formas fazer isso parar, tentei e continuo tentando por que não quero errar, tenho medo, medo do desconhecido, da frustração, espero não ter que errar para achar a resposta.
   Não estou bem, nem sei se vou ficar, só espero que isso uma hora passe.



Como Deus escolhe a mãe de uma criança deficiente...


  A maior parte das mães de hoje em dia tornam-se mães por acidentes, outras por escolhas próprias, outras por pressão social, outras por hábito.
  Esse ano quase 100 mil mulheres se tornarão mães de crianças deficientes.
  Você alguma vez já pensou como as mães dos deficientes são escolhidas?
   Eu já. Uma vez visualizei Deus pairando 
sobre a Terra selecionando o seu instrumento de propagação com grande carinho e compassivamente.
Enquanto Ele observava, Ele instruía seus anjos a tomarem nota em um 
grande livro.
Para Beth, um menino, anjo da guarda Matheus.
Para Marjorie, uma menina, anjo da guarda Cecília.
Para Carrie, gêmeos, anjo da guarda, mande o Gerard ele está acostumado com a profanidade.
Finalmente ele passa um nome para um anjo sorri e diz:
Dê a ela uma 
criança deficiente.
O anjo cheio de curiosidade pergunta:
Por que a ela senhor? Ela é tão alegre...
- Exatamente por isso. Como eu poderia dar uma criança deficiente para uma mãe que não soubesse o valor de um sorriso? Seria cruel.
- Mas será que ela terá paciência?
- Eu não quero que ela tenha muita paciência porque aí ela com certeza se afogará no mar da auto-piedade e desespero. Logo que o choque e o ressentimento passar, ela saberá como se conduzir.
- Senhor, eu estava observando hoje. Ela tem aquele forte sentimento de independência. Ela terá que ensinar a criança a viver no seu mundo e não vai ser fácil. E além do mais Senhor, eu acho que ela nem acredita na sua existência.
Deus sorri.
- Não tem importância. Eu posso dar um jeito nisso. Ela é perfeita. Ela possui o egoísmo no ponto certo.
O anjo engasgou.
- Egoísmo? E isso ainda é por acaso uma virtude?
- Deus acenou um sim e acrescentou:
- Se ela não conseguir se separar da criança de vez em quando, ela não sobreviverá. Sim, essa é uma das mulheres que eu abençoarei com uma criança menos perfeita. Ela ainda 
não faz ideia  mas ela será também muito invejada. Sabe, ela nunca irá admitir uma palavra não dita; ela nunca irá considerar um passo adiante, uma coisa comum. Quando ela descrever uma árvore ou um pôr do sol para seu filho cego, ela verá como poucos já conseguiram ver a minha obra. Eu a permitirei ver claramente coisas como ignorância, crueldade, preconceito e a ajudarei a superar a tudo. Ela nunca estará sozinha. Eu estarei ao seu lado cada minuto de sua vida, porque ela está trabalhando junto comigo.

                                                                                                        - Mãe de uma criança especial.

Notas: Mais um diário anônimo, esse particularmente mexeu muito comigo, algumas pessoas podem acreditar ou não, mas esses pequenos anjos tem uma ajudinha, acho que esse um assunto que sempre vai ser presente, que pode acontecer com qualquer pessoa, e que exige além de tudo respeito, o que as pessoas estão perdendo hoje em dia, então coloque essas palavras na sua cabeça, são verdadeiras. kiss


                                                        







     Sentada em seu canto, ela finge não sentir, finge não sentir dor, quando é tudo o que sente. Seus fones estão no ultimo volume, ela tenta esquecer, mas o aleatório do seu celular não a ajuda a esquecer, colocando a trilha de pequenos momentos felizes.
     Não é sobre um amor, ou é, o amor por si própria, ela está naquela época que não sabe o que fazer, não sabe que porta bater, e o agora? Se torna a pergunta mais presente. Com os fones no volume mais alto, ela tenta fugir da decisão, se esconde ao som da música que decifra o que ela sente.
     Ela não quer demonstrar, quer ser feliz, mas não sabe como, não sabe que porta, não sabe mas nem que cor pintar as unhas, é confusa no amor, de todos os modos, ela é o reflexo de todas as meninas e de todas as mulheres, com o furacão dentro de si. Ela é a mistura de tudo que queremos ser e não queremos, com seus fones tocando qualquer música, ela tenta ver além, mas bem, o além é bem mais profundo, ela tem medo de cair e não descobrir qual é a porta certa, tem medo de nunca aprender a trocar a música.
     Ela é você, ela sou eu, ela é todas nós.




(imagina aqui uma foto que expresse toda a minha raiva)

Eu sou do tipo que não sei olhar pra uma foto e ver apenas aquilo que está fixado. Eu vejo além; vejo os sentimentos, que de alguma forma, o fotógrafo tentou expressar. Vejo, da melhor maneira que posso, cada detalhe, e ás vezes, eles se sobressaem mais do que a própria foto, do que o próprio foco. Devo confessar que sou assim com qualquer coisa, na verdade. Eu não consigo apenas ver aquilo que está claro, nítido. Eu vejo aquilo que devo me esforçar para perceber. Por quê? Bem... Porque eu simplesmente não consigo aceitar que as coisas sejam simplesmente aquilo que vemos. Simplesmente não admito que alguém possa ser apenas aquilo que quer que os outros pensem que seja. Você entende? Eu tenho fé nas pessoas. Tenho fé que os humanos voltarão á ideia de humanidade. Acredito que cada um pode fazer sua parte. Um sorriso sincero, uma ajuda simples, um presente sem motivo, um abraço inesperado; tudo isso faz a vida valer a pena. Do que adianta ter personalidade e não usá-la para o bem? Do que adianta dar lição de moral, dar as costas e fazer algo completamente diferente do que disse? Não adianta de nada, meu caro. Ser hipócrita não leva ninguém á lugar nenhum. Sonhos, realizações, amigos, amor; isso leva a vida á diante. Não se deixe levar pelo futebol nas tardes de domingo. Não deixe que a alienação da TV tome conta de ti, homem! Não deixe que o discurso decorado de seus 'líderes' fajutos tome conta de sua mente. Mostre que você tem opiniões formadas. Afinal, somos animais racionais ou não somos? Faça isso valer a pena e mostre que não és mais um no meio da multidão. Comece por você a mudança do mundo. Se não for você a mudar, quem será? Você mais do que ninguém sabe que hoje em dia ninguém mais faz nada por ninguém. Diante disto, faça algo por alguém. Sabe também que ninguém é capaz de olhar nos olhos de uma pessoa e lhe dizer a verdade. Pois bem, agora você terá de procurar alguém de que goste e dirá, com toda a sinceridade e ligação de olhares: "eu gosto muito de você". São pequenos gestos que fazem a vida melhor. São os poucos detalhes que fazem de você alguém de caráter, alguém pelo qual me faça ter a tal fé - que antes citei - pelo ser humano, pela humanidade. Não deixe que minha crença morra. Jamais permita que as poucas pessoas que restam duvidem da nossa capacidade. Então, vem comigo fazer essa mudança acontecer? Vem comigo fazer isso pelas crianças que nasceram na geração da alienação? Vem comigo ver que vale a pena lutar pela humanidade? Não vai ser um falso líder de quadro dedos ou malas/cuecas cheias de dinheiro que farão isso por você, por nós. Vem, segura minha mão. Vamos fazer valer a nossa estadia nessa vida e mostrar que não vinhemos aqui á toa. Você topa?

N/A: Olá, terráqueos. Venho em missão de paz - ou não. Acho que deu pra perceber minha raiva no texto lido. Foi um momento de inspiração, e eu não queria que ele tomasse o rumo que tomou. Não queria falar sobre isso que falei, mas foi o que saiu. Sim, minha ideia á princípio era falar da minha paixão por fotografia. Mas fui alongando o assunto, e alongando, alongando... Deu pra perceber que estou irritada? Espero que sim. Esse é do tipo de texto que eu escrevo para que alguém leia - ou até mesmo eu - e reflita por cada palavra nele citada. Do tipo de texto que meu maior desejo é que o leitor sinta o que estou sentindo, e que contrarie ou não. É do tipo de texto que não posto muito aqui, mas prometo que isso mudará á partir de hoje, fechado? Era só isso mesmo. xoxo,