É isso mesmo que vocês leram, saiu o trailer de A Esperança - Parte 1, da trilogia Jogos Vorazes. Todos os tributos entraram em êxtase com esse trailer, que leva o titulo de: ''Our Leader The Mockingjay'' que seria algo como : Nosso líder o Mockingjay. Mockingjay não tem uma tradução certa, é como se fosse o ''tordo'' mas como no livro ''Em Chamas'' tem uma explicação sobre ele e outro pássaro, ficaria confuso se coloca-se ''tordo''.
          Então para todos aqueles que esperaram ansiosamente, que vibraram com nossos posters e teaser. Finalmente temos um pouquinho de A Esperança - Parte 1.


Lembrando que o filme estreia no dia 20 de novembro nos cinemas de todo o país.
R.I.P Philip Seymour Hoffman.


                                                                           



         Poderia ser pra mim ou pra qualquer outra pessoa. Sabe, hoje, decidi te escrever porque senti uma certa saudade de você. Não era saudade dos teus beijos, ou do teu carinho. Nem do teu cheiro, muito menos do teu sorriso. Foi uma saudade louca de brigar com você. Daquelas brigas que só tínhamos quando estávamos a sós, gritando um com o outro. Você fazia birra, você batia em mim com os punhos fechados. E depois me xingava de todos os xingamentos imagináveis. E a melhor parte disso? Quando você, finalmente, cansava de gritar e ficava furiosa porque eu estava controlavelmente calmo. Lhe puxava para um abraço, emendado com um beijo no canto dos lábios. Pensar nas nossas brigas me faz pensar em nós
       Me faz pensar que essa distância toda só me dá mais vontade de ter-te comigo outra vez. Porque sentir falta das nossas discussões dá no mesmo de sentir falta do teu beijo, do teu abraço, do teu carinho. E pensar que, agora, ter você comigo é quase impossível. São tantas cobranças, tantos passatempos. Não queria que o que temos fosse uma obrigação e eu nem quero sentir-me como se fosse um dever pra você. Mas não ter compromisso algum também não é o que quero. Quero andar de mãos dadas e quero te chamar de minha. Quero beijar-te ao acordar e ser o último a falar com você antes de dormir. Quero as brigas cotidianas, as tuas birras e todo o resto, quem vem em combo. Porque, eu já devo ter dito, mas me sinto na necessidade de repetir: você é perfeita pra mim.
       Eu penso em nós no futuro. Penso em mim com alguns cabelos grisalhos, porque na minha família os homens antes dos quarenta já tem quase todos os cabelos brancos. Penso nos seus olhos ainda sonolentos enquanto tomamos café na cama. Penso em um cachorro com algum nome incomum para combinar com o nosso sentimento. Um sentimento que não é baseado em simplesmente amor. É baseado no complemento, na sua felicidade que é causada pela minha e vice versa. Sem essa de promessas ou juras de futuro perfeito. A única coisa que eu quero é o seu amor, a sua fé que podemos ser aquilo que quisermos, se estivermos juntos e se, acima de tudo, acreditarmos.
Estou com saudades.
Navi.

N/A: Estou tentando dar outros rumos á Lua e Navi. O que me dizem? Fico feliz que eu esteja conseguindo escrever, que não esteja havendo nenhum bloqueio de criatividade e que eu consiga ainda pensar no que fazer daqui em diante. Só ter fé e acreditar, que dá! 




      Há uma grande diferença entre chorar e estar triste, assim como 8 é diferente de 80 e como o céu sempre é mais bonito quando está limpo e com os raios solares alcançando nossa pele fria. As estatísticas dizem que as pessoas preferem simplesmente ficarem tristes, porque chorar pode parecer um indício de fraqueza. Preferem logo decidir entre o 8 e o 80, porque ficar em cima do muro já não está mais tão na moda assim. E essa coisa de bonito e feio, cada um é quem sabe o que dizer. Mas as circunstâncias apontam que o mais fácil mesmo é chorar por tudo. Dizem que ser indeciso ainda faz parte de viver. Sem falar que todos estão tão ocupados com todos seus compromissos diários que ninguém acorda de manhã cedo, abre a janela e repara no céu nublado. 
      Nada faz mais tão sentindo quanto antes. Ninguém quer ser igual a ninguém, ninguém quer ser normal. Mas veja que, se você listar uma série de coisas que de acordo com os rótulos seria algo normal, no final das contas, você não acharia ninguém que seguisse toda a listagem. E sabe por quê? O digo normal que tanto gostam de dizer, é o esquisito que todos rotulam. Mas imagina se essa coisa de mudar também vira modinha? Ah, seria o fim dos tempos. Todos leriam os mesmos livros, todos comprariam as mesmas roupas, todos gostariam das mesmas cores. O mundo seria preto e branco e todos viveriam mutualmente. Quem seriam nossas ovelhas negras? Quem seriam nossos filhos da revolução? Quem seria capaz de levantar a voz perante os erros na sociedade cometidos?
      Já não estamos em dias bons. Já não sei mais diferenciar o certo e o errado. As pessoas andam fissuradas em suprir suas necessidades e acabam esquecendo de viver. Acabam esquecendo que o principal objetivo da vida é ser feliz. Ser feliz e saber disso! Porque se tem uma coisa que talvez ninguém te conte é que, na maioria das vezes, você é feliz e nem sabe. É aquele velho ditado de "só damos valor quando perdemos, quando morre". E dói em mim pensar que deixo tanta coisa passar, tanta coisa que perdi. E o meu coração sente falta. Minhas necessidades me trazem a sede ao meu ápice. Logo eu, que sou uma aspirante de apaixonada pela vida. Queria poder dizer um pouco mais que o óbvio. Queria poder citar-lhes alguns trechos com rimas que façam algum sentido ou que façam jus ás minhas teorias. Mas uma coisa eu vou lhe dizer: enquanto estiver vivo, meu amor, viva.

N/A: Que saudade desses momentos de inspiração! A madrugada sempre é muito produtiva, obrigada! Decidi não encaixar esse em nenhum dos meus personagens, porque esse texto é bem eu e eu jamais poderia encaixar em algum deles. 


Espero não morrer de amor por você até o final da carta.
São tuas palavras, tão certas quanto teus sentimentos, que me fazem questionar como consegui viver tanto tempo sem ter teu olha sobre mim. Difícil pensar em você sem pensar nos teus elogios fáceis, sem pensar na tua atenção e na tua educação. Pensei que não fosse ser tão simples, mas me apaixonei tão rápido e perdidamente que chega a ser assustador. Sentir a sua respiração na nuca, perceber o seu perfume quando chega perto - como se fosse preciso... teu perfume é inconfundível há metros de distância! E eu ainda não sei como vivi tanto tempo sem você. Além de namorado, é melhor amigo. É meu confidente, é meu companheiro de viagem. Guarda meus segredos e me ajuda a realizar meus sonhos. Onde você esteve esse tempo todo?
Sei que ás vezes faço birra. Sei que fui difícil quando tudo que você queria era me matar de amor. Mas como me entregar á alguém que fazia tantas promessas? Tinha medo de ser incerto. Foi quando percebi a confiança que você tinha em mim, mais do que tinha em si próprio. Foi o momento exato que vi suas apostas em mim. Quando você disse que aceitava tudo, até ser só meu amigo, mas não queria sair de perto de mim. E eu ri disso, porque nenhum homem que gosta de uma garota é capaz de apenas ser amigo. Mas você foi tão calmo, tão firme, tão certo de si. Foi do jeito que eu gostaria que fosse. Ainda me pergunto se você tem algum tipo de poder telepata ou coisa do tipo. Acho que não preciso nem agradecer por quando você disse que enfrentaria o mundo ou todos por mim, comigo. E não precisa vir com todos esses elogios. Não seriam você e eu se eu não tivesse certeza de todos os teus sentimentos. Não seríamos nós se não houvessem brigas, e principalmente, um pouco de birra da minha parte. E eu amo você, da cabeça aos pés. É só uma questão de tempo para podermos nos entregar ainda mais. Estamos só no início do início de nossas vidas, nossas vidas. E, quer saber? Que se foda. Eu quero viver o resto dessa vida com você. Sim, essa é pra você.

Algumas verdades que eu devo dizer sempre a você.
Lua.

N/A: Eu juro que eu não consigo parar de me apaixonar ainda mais e mais por essa série. Eu não consigo me controlar, e estou toda hora escrevendo sobre esses dois, na voz desses dois. Eu tinha o intuito de que Lua e Navi fosse o tipo de série que qualquer um pudesse se identificar, mas, me diga você, onde encontramos uma Lua ou um Navi para ser nosso par ou até mesmo melhor amigo? Meu coração está descompassado e não sei se vou me controlar para escrever mais um pouquinho na voz deles. Jesus, me ajuda!




 Eu estava gostando daquilo? Estava? Da língua dele enfiada na minha boca e dos seus lábios apertando os meus? Não faço a minima ideia. Mas para começo de conversa, por que eu estou pensando tudo isso? Esse não deveria ser o momento mágico, um momento mágico onde 2000 mil bactérias entram em contato. Mas continua sendo mágico.
  Tenta. Tenta. O amor pode ser uma droga, mas beijar não faz mal! Nem é seu primeiro beijo! E você não está apaixonada por ele. Vai aproveita também! Fechei os olhos novamente, emoldurei minhas mãos em seu rosto, e tentei fazer que aquele fosse o meu beijo. O beijo. Mas claro que as coisas não dão certo pra mim. A porcaria do anel tinha prendido no cabelo dele, e não queria sair. O cabelo também queria beijar? Só poderia ser. E ele continuava com um sorriso idiota no rosto, sendo que ele podia perder uma parte do couro cabeludo, e estranhamente eu também sorria. Não sabia que nos erávamos masoquistas. Nos riamos, enquanto tentávamos puxar o anel, e parecia ficar mais enroscado ainda. Como ele sorria? Eu na situação dele não ia querer olhar na minha cara nunca mais. Não entendo como os casais aturam esses momentos. É nesse momento que eu acredito no amor, ou na mera teimosia de nós seres humanos. Então era esse o motivo de eu ainda está colada em seus braços, e do fato de esta gostando daquilo. Eu sou uma pessoa estranha, mas nunca pensei que seria estranha a esse modo. Masoquismo. Teimosia. As coisas só melhoravam.


Mais informações »



Brasília, 11/Jul
         Tudo parece uma bagunça só. Meu cabelo, meu quarto, meu armário, minha vida. Está tudo incomum, gastado. Nada me apetece, muito menos surpreende. Parece que estou trancada numa dimensão única, só minha. As outras pessoas estão em outros lugares, enquanto eu estou aqui, trancada numa bolha que ninguém pode interagir. Só abro a boca para comer e cantarolar algumas canções que ainda são minhas preferidas. Tenho preguiça de abrir os olhos, acredite. Passo o dia inteiro apenas imaginando como será chegar em casa e ter mais um encontro casual com minha cama. 
         Não é como se eu tivesse alguma depressão ou afins. É mais um muro que construí ao meu redor. Pelo menos foi isso que meu amigo disse quando estávamos conversando, pela última vez, no mês passado. Todos parecem distantes. As pessoas agora têm medo de amar. Dá pra acreditar? Medo de se entregar! Parece até piada. Não posso acreditar que alguém tenha medo de fazer algo tão simples, tão certo. Como se fosse até um bicho de sete cabeças. Basta cuidar, basta proteger. Dar liberdade e ver no que dá. Esse negócio de ter medo é para os fracos. Sem falar que amar nem é uma coisa a qual exista manual. Cada um usa do seu jeito, e torça para fazer bom proveito.
         Ainda penso que é piada. Por algum acaso você teve que ler algum passo-a-passo para amar sua mãe? Seu pai? Há. Piada mesmo. E se eu quiser ir mais á fundo, lá no colegial, quando você teve uma quedinha pelo seu colega de sala que tinha um jeito de falar diferente e um sorriso que você jamais vira... também teve que ler alguma instrução de modo de uso?
         Amar faz parte, amar é viver. O problema é que todos andam tão cansados, tão bagunçados, que chegam a ter preguiça só de pensar em tratar bem ou cuidar de alguém. A bagunça é tanta que desisto só em tentar planejar ter algo com alguma pessoa. A vida virou um quebra-cabeças faltando peças. Acho que caberá a mim procurá-las.

Ainda confusa, Serena.
N/A: Sobre o pseudônimo... Há. Só risos. Mais um diário, tirando o graaaande atraso. Estava com saudades, já. Só eu que amo esses diários? E, se quiser mandar o seu, basta usar a criatividade e o serviço é grátis! Mande para o mydreamsstayhere1@gmail.com (porque o nome mudou mas o email não!).



Porto Alegre, 10 de Junho de 2014.
Me pego pensando nas outras pessoas. Pensando em como elas me enxergam e se isso faz alguma diferença ou não. Queria saber a verdade sobre a minha vida. Tento me imaginar só, me imaginar bem. Fico pensando se pelo menos um terço do que quero será realizado. Se com minha família as coisas irão mudar e se eu, daqui um tempo, poderei dizer se sou feliz. Porque nada parece tão nítido. Só vejo uma neblina, pra qualquer lugar que eu olhe. E é justamente ela que me impede de olhar melhor, ver o que eu realmente quero ver.
E, diga-se de passagem, que diabos eu quero ver? Tudo pra mim parece chato ou desinteressante. Faz um pouco mais de um ano que tudo aconteceu. Que minha vida virou do avesso, e eu descobri que, na verdade, eu estava, Naquele tempo todo, do lado errado. Conheci pessoas, dei adeus á outras. E tudo isso só serviu de lição. Bernardo, meu namorado até Janeiro de 2014, foi um anjo até quando pôde. Mas aí meus problemas pareceram demolir a relação. Sabe aquela história de que a pessoa não é feita pra namorar? Se encaixa perfeitamente em mim, por mais que eu não queira.
Bernardo sempre foi um anjo, um cavalheiro. Me tratava de uma forma absolutamente fofa e eu adorava ele com aqueles elogios que me faziam ficar surpresa, porque ele podia tão romântico e casual ao mesmo tempo. Aquilo era ele, sendo ele mesmo. Fazendo qualquer coisa para me fazer rir de bobagens, ou até mesmo cantarolando algum trecho de música que eu gostasse. Simplesmente, era ele. Mas quando eu subitamente desaprendi a dividir meus problemas dos nossos problemas, o que tínhamos virou um problemão e tivemos que terminar. E, quer saber? Foi melhor assim. Ele merece alguém que lhe dê todo o amor que merecer. Mas e eu? Bom... Eu nem sei ao certo o que fazer com minha vida.
Mas o que sei, e é uma certeza, estou evitando me relacionar. É, ao menos por um tempo. Quero um tempo só pra mim, um tempo que poderei respirar de verdade, sem compromissos e sem ter algum dever com alguém. Quero ser livre pelo máximo de tempo que minha carência aguentar. E foi aí que decidi vir para o Sul.
Disse para uma amiga que precisava desopilar. Ela achou graça e perguntou se eu estava falando sério. Que inocente! Menos de um mês depois eu arrastei ela comigo para simplesmente mochilar. Ela estava com alguns problemas e eu resolvi para nós duas que o melhor seria se déssemos uma voltinha... Pelo país. Está sendo bem divertido. Rebecca é engraçada e acorda sempre com um incrível bom humor, ao contrário de mim. Falei pra ela que só poderia falar comigo depois do café da manhã, e durante toda a refeição ela fica fazendo anotações mentais do que dizer a mim depois que eu realmente acordar - ou seja: tomar meu café.
Até que eu me canse, essa será minha vida. Quero tirar umas férias de mim mesma. Aquela Clarice cheia de problemas e pessimismo, agora é simplesmente uma garota que quer achar a fórmula do viver, se é que me entende. Nem que eu entre na busca da minha vida, mas vou achar um jeito de dar um jeito no meu futuro. E ele não será trancado em uma sala de escritório, longe disso! Aguarde. Eu prometo a mim mesma fazer o máximo para tornar-me alguém que sempre sonhei em ser: feliz.

N/A: Finalmente! Consegui desencalhar Clarice - não no sentido comum, claro. Quis, dessa vez, dar outro rumo para a vida de Clarice. Tirar ela daquela ideia fixa de que ela deveria ter um namorado e afins. Pus ela pra viver uma aventura, e os próximos Diários serão com ela falando dessa aventura. Mal posso esperar pra postar! Digamos que quero transformar Clarice no que eu gostaria de ser.



              Caros leitores dorminhocos, que mudança heim?! O blog mudou tão amavelmente graças a nossa querida Juh Machdo que arrasou, divou, sambou, tá parei. Como meu post "inaugural", farei uma resenha de um livro tão amável quanto. Não sei se vocês já sabem, mas sou fã assumida de Paula Pimenta, ela é uma fofa, e estive presente no lançamento do livro "princesa adormecida". Foi uma loucura, horas na fila do autógrafo e tal, mas valeu muito a pena, detalhe... Eu não bati foto com ela porque tive que sair correndo pra assistir a estréia de ACEDE, mas ela até autografou meu "fazendo meu filme".

Aí vão algumas fotos do evento:

                                         
             
A fila, nossa que fila! cansativa, mas é ótima para fazer novas amizades, até porque todas da fila gostam da mesma escritora e tal, foi muito bom.

                                         

                                                    
Os autógrafos são apaixonantes! o primeiro livro é "princesa adormecida" e o segundo é "fazendo meu filme-volume único", os dois são lindos.

 Bom, nada que mais se encaixe perfeitamente do que uma princesa adormecida, vou nem falar o motivo. Espero que gostem, princesas adormecidas!
                                                   
                                                          Princesa Adormecida

                "Era uma vez uma princesa... Você já deve ter ouvido essa introdução algumas vezes, nas histórias que amava quando criança. Mas essa princesa sou eu. Quer dizer, é assim que eu fiquei conhecida. Só que minha vida não é nada romântica como são os contos de fada. Muito pelo contrário. Reinos distantes? Linhagem real? Sequestro? Uma bruxa vingativa? Para mim isso tudo só existia nos livros. Meu cotidiano era normal. Tá, quase normal. Vivia com meus (superprotetores) tios, era boa aluna, tinha grandes amigas. Até que de uma hora pra outra, tudo mudou. Imagina acordar um dia e descobrir que o mundo que você achava que era real, nada mais é do que um sonho. E se todas as pessoas que você conheceu na vida simplesmente fossem uma invenção e, ao despertar, percebesse que não sabe onde mora, que nunca viu quem está do seu lado, e, especialmente, que não tem a menor ideia de onde foi parar o amor da sua vida. Se alguma vez passar por isso, saiba que você não é a única. Eu não conheço a sua história, mas a minha é mais ou menos assim..."           
                                                                                                                                                          - Paula Pimenta


                                           

              Nada de "era uma vez uma princesa", bom, mais ou menos. A história é bem mais real, bem menos previsível e bem mais apaixonante. A capa é fofa, mas eu confesso que eu demorei 2 dias pra perceber que havia um celular na mão da menina (que mula), mas isso não vem ao caso.
A história, obviamente, narra de uma forma diferente o clássico conto de "Bela adormecida", mas não deixa de lado o tradicional "clichê" de todos os contos de fadas.
              Tudo começa na França quando uma mulher que eu particularmente estrangularia (mentira, sou uma boa pessoa), tenta roubar o grande amor de outra. Sem sucesso, e cheia de ódio, ela jura vingança a filha da família real até que a moça complete 18 anos, Áurea, que acabara de nascer. Ainda criança, Áurea cai nas armadilhas de Malleville, a tal mulher malvada. Por sorte, ou pelo destino, a menina é salva por um garotinho. Malleville, desaparece do mapa após saber que a polícia está a sua procura.
               A família real continua a receber ameaças da mulher que persiste por muito tempo. Com intuição de protegê-la, o casal simula a morte de Áurea que provavelmente se engasgara com ameixas. Todos acham que a menina está morta, quando na verdade, seus pais a tem mandado para o Brasil, para que a menina tenha uma vida diferente morando com seus tios e ficar longe das garras da malvada Malleville.                                                                     Quando chega ao Brasil, Áurea tem a falsa notícia de que seus pais haviam morrido. A vida de uma adolescente não poderia ser mais entediante. A garota não tinha permissão para ir a nenhum lugar sem a presença dos tios. Foi quando em um dia, o espírito rebelde tomou conta de Áurea, que mentiu para seus tios e foi a uma festa com suas amigas. Após a festa, Áurea recebe uma mensagem de celular de um garoto misterioso.
               Com todo esse trauma de "vou ser sequestrada" a garota fica em dúvida sobre o rapaz, poderia ser um assassino, um sequestrador, ou até mesmo Malleville. Informações sobre ele vocês não vão adquirir de mim porque eu sou má, mas o restante da história é segredo, só lendo o livro mesmo.
 Nota: Espero que tenham gostado XD, super recomendo o livro. A leitura é bem simples e fácil, e para os que leram, boas notícias! Paula Pimenta provavelmente fará novas adaptações de contos de fadas.
               
                                                                           


                                              Respire 


"Eu preciso de uma verdade que possa me preencher. Preciso de um sentimento que tire esse vazio do meu coração. Eu preciso só de um abraço que possa acalmar minha alma. Não costumo ser um livro aberto, mas preciso desabafar pra alguém, pra que eu possa me acalmar e acalmar o desespero que está dentro de mim. Preciso arrumar a minha própria bagunça, a qual eu mesma fiz, na qual eu nem se quer consigo me organizar, e esse tipo de sensação me deixa tensa e vulnerável demais. Meu desespero está a flor da pele, estou sentindo como se eu não pudesse mais ficar em pé. Estou com borboletas no meu estômago e estou odiando estar escrevendo em primeira pessoa. Mas vou continuar até que eu canse disso tudo. Sabe, estou de saco cheio de tudo e todos. Nada de rebelde sem causa. Nada disso! Meu problema nem eu mesmo sei, nem sei se é um problema mesmo. A única coisa que sei é que tenho que parar com isso tudo, porque desse teatrinho eu já cansei."

- Lorena Maria

Notas: Ufa, que texto! Então adormecidas, vinhemos com algo diferente agora, que é a participação direta de leitores, e eu particularmente amo isso, por que aqui se torna o cantinho de vocês, fora claro os Diários Anônimos (vai voltar) que vocês fazem um show. E o blog agora com tantas novidade (layout <3, Jujuba <3), e nada melhor com essa novidade, da participação de leitores aqui no blog. E é bom ver que nossos leitores são TÃO talentosos, então não perca seu talento, mande para nos, seus textos, pensamentos e diários anônimos claro. Lorena, arrasou com o texto. Então minhas adormecidas, obrigada. Beijos (mandem seus textos, pensamentos, diários para: mydreamsstayhere1@gmail.com) 

                                                                           


Vou escrever isso aqui pra ela. Pra ela ter certeza de que é especial e nada no mundo mudará isso. Prestou bem atenção? Então vou começar.
Te conheci na escola. Parecia ser a menina mais marrenta que eu já vira, mas toda a birra que ela fazia era só pra chamar atenção - sem mal saber que já tinha meus olhos cravados em si. Eu costumava observá-la na volta da escola pra casa. Ela sempre andava balançando a cabeça, e quando o cabelo estava preso, ele mexia no ritmo em que ela andava. Nunca fora visto cabelos tão lindos quanto os dela. E era lindo ver ela chegando no colégio - ora sorrindo, ora de cara fechada. Eu nunca soube decifrar seu humor. Ela é um paradoxo que ninguém é capaz de compreender. Um teorema indecifrável. Uma equação sem solução.
Mas olhar para ela é como olhar para uma das maravilhas do mundo. Ela tem força, ela tem sensibilidade. Ela é guerreira, ela é uma deusa, ela é mulher de verdade. E eu passaria horas e horas falando sobre ela, e tudo nela, mas resolvo simplesmente focar no sorriso. Não é um sorriso. É O Sorriso. Um dos mais lindos e mais apaixonantes que existem. Um sorriso que traz consigo inúmeros sentimentos, e me faz sentir que somos um só. Ah, o sorriso dela... É o sorriso que eu pedi a Deus pra ser meu.
E eu não sou capaz de ficar um dia sem ouvir a voz dela. Juro, é como entrar em abstinência. Se alguém no mundo tiver o poder de me deixar tão hipnotizado quanto ela, já pode se sentir vitorioso. Porque ela... Eu pensei que eu fosse odiá-la. Pensei que fosse querer matar essa garota em dois segundos. Mas, então, percebi que viver sem ela seria a pior coisa do mundo. Pior do que levar uma surra ou até mesmo passar fome. Percebi que ela é quem me tira o riso nos momentos difíceis, e que é ela que me ajuda a levantar quando tudo parece me pôr pra baixo. Ela é minha âncora, quando tudo que eu quero é sumir. Ela é minha bússola, quando eu simplesmente me perco de mim. E ela é com quem eu quero ficar, incondicionalmente e sem me importar com o que aconteça. A verdade é que eu ainda sinto vontade de matá-la. Mas matá-la de amor.

Não é uma carta pra ela... Mas é sobre ela.
Navi.

N/A: Queridos! Dá só uma olhada no layout do blog e me diz se a Juh arrasou ou não! Confesso que estou mais apaixonada do que antes. Sobre o texto... Resolvi fazer algo diferente dessa vez, e acabou saindo esse texto no olhar do garoto falando sobre sua garota. Espero que tenha ficado legal, mas pelo menos eu gostei - como se minha opinião valesse de alguma coisa nesse mundinho. Quero agradecer á Juh, mais uma vez, pelo trabalho e pelo resultado, que ficou lindo e eu sou choros. :') Obrigada, linda. E, aguardem! Novidades por vir.



My Dreams Stay Here tem quase exatos 7 meses e 7 dias. Já estava na hora de passar por algumas mudancinhas. Não nos chamem de loucas, ou de Adormecidas, mas o blog agora assumirá uma nova cara. Além de mudar o nome, mudaremos o layout e a programação. Nossas tags se manterão, e talvez acrescentemos mais. Estamos sempre tentando estar mais presentes, e trazendo coisas novas, coisas menos batidas. Estaremos atualizando, também, nossas redes sociais. Será uma transição para transformarmos o blog e darmos a ele uma nova cara, para um novo tipo de blog e tudo novo!
Com a ajuda da linda abençoada por Deus Juh Machado, estaremos trazendo essas novidades logo, logo. Mas! Pra isso, teremos que fechar o blog por, no mínimo, um dia. Será uma ausência importante, e espero que traga um bom resultado. Até logo!



"I only wanted to see my people smiling."

Queria ver o suor escorrendo por sua testa. Queria sentir o coração bater mais forte e gritar: estou aqui, não tenha medo. Fiquei impressionada por chegar tão longe. Fiquei abismada com tudo que fizestes até agora. Quis sentir um pouco mais, quis ver do que você é capaz. E vi. Vi que você é totalmente dependente. E que não depende de um, dois... onze. Depende de uma pátria inteira pra seguir em frente. Não serão os desistentes que te levarão pra frente, mas sim aqueles que permanecerão firmes, até o último segundo. Aqueles que, por todo amor que tem á pátria, se manterão fortes, firmes. Desde aqueles que fizeram de tudo para segurar o choro até aqueles que simplesmente desabaram. Eu estava contigo o tempo todo, Brasil.
Estava porque acreditei que você conseguiria. Mesmo com as dificuldades, mesmo com os problemas. Acreditei que você seria forte, que lutaria até o fim. Sou brasileiro, e brasileiro não desiste nunca. Onde diabos você, torcedor que foi ao estádio, pôs essa frase no momento do jogo, quando decidiu ir embora? Ou até mesmo você, torcedor que ficou em casa, pôs a mesma quando desligou sua TV e decidiu fazer outra coisa? O mal do brasileiro é não saber torcer. É não saber vestir a camisa, bater a mão no peito e dizer a si mesmo, nem que seja baixinho: eu vou até o fim
E eu espero que isso sirva de exemplo. Se a coisa vai mal, não significa que seja apenas uma fase, e que você deve esperar para que ela passe, assim como as lágrimas se vão de acordo com o tempo. Significa que você deve mudar. Significa que a nossa realidade está bagunçada e você tem o poder de mudar o jogo. Faça valer a pena. Não se mexe em time que está ganhando. Por isso, veja nossa situação. Por que não começar desde já? Por isso, eu conto com você. 
Espero, também, que o povo não vá ás urnas com raiva. Não vá com remorso, não pense no pior. Bola pra frente, Brasil! Nada de abaixar a cabeça para os erros do passado. Nada de pedir desculpas por algo que muitos além de você também cometeram. É hora de amadurecer, acima de tudo. E ver que, não importa o que aconteça, oh pátria amada, estarei contigo até morrer. Salve, salve, Brasil!


 


 ''Todos os dias quanto acordo, não tenho mais o tempo que passou...''. Meus pés batiam em um ritmo não inidentificável e minha voz cortava todo o quarto. Isso sim era liberdade, gritar, pular, fazer o que quiser e ninguém enfiar o nariz no meio. Mas a minha vida não é assim. ''Filha, desliga o som''. Não mesmo, os narizes pareciam infinitos.


Mais informações »