Eu queria matá-lo naquele momento. Queria jogar suas coisas pela janela, rasgar as cartas, quebrar o quadro que ele me deu com quase cem fotos nossas. Queria bater na cara dele de tanta raiva que eu tava sentindo. Naquele instante, eu só pensava em como nós não dávamos certo, em tudo o que já havia me dado a certeza disso. Foram tantos términos... Por que eu ainda insistia em tentar de novo? Por que eu ia atrás pedir perdão ou acreditava quando ele dizia que nós íamos tentar de novo e que desta vez daria certo? Nunca demos certo. 
Aquela coisa de "os opostos se atraem" aconteceu conosco, mas me mostrou que nem sempre a atração vai ocasionar algo bom. O nosso acaso não foi algo simples. Somos dois complexos sozinhos que quando se encontram, não conseguem organizar as ideias. O nosso mundo entra em colapso quando a gente se encontra. Eu sou muito carinhosa, e ele, muito desligado. Eu detesto rotina e posso estar o mais cansada possível, na sexta à noite eu sempre vou querer sair; ele é metódico e caseiro até demais. O gênero favorito dele é rap e eu curto uma coisa mais Cícero e Rubel. Eu escrevo poesia; ele curte mais as rimas e batidas que faz. Ele é calmaria e eu sou um furacão. Ele é pé no chão, pé atrás, realismo puro; eu voo, flutuo, se pudesse, morava em uma nuvem. São tantas as diferenças... Se eu estivesse disposta, ficaria aqui listando todas elas, se é que eu conseguiria. 
Mas foi naquela hora da raiva que eu lembrei do porquê de tentarmos tanto. O nosso amor é forte. A gente tenta uma, duas, três vezes se for preciso. Eu não ligo para o que dizem sobre ele. "Toma cuidado...", "ele é assim", "ele é tal e tal coisa". Ninguém se toca que pra mim ele é incrível. É complicado, desajustado... A única coisa que se encaixa entre nós é o beijo e a vontade incessante de ficar um com o outro. Inclusive, ele foi embora com raiva há pouco mais de 20 minutos e eu já estou com saudade. Eu sempre lembro, depois da raiva, o porquê de tentar de novo: eu amo esse menino. E por mais que as pessoas sejam viciadas em dizer que nós nunca daremos certo, importa muito mais pra mim que, para nós, esse "nunca" está bem longe. 
Está pra nascer um casal mais complicado que nós. Ele é difícil e eu sou ainda mais. Mas ele nunca vai deixar de ser o meu desafio favorito.

Ouça seus amigos. Quem te diz o que fazer, fala sobre quem você ama e ainda quer dar opinião desnecessária no seu relacionamento não é amigo. Beijo e tchau. ✨



Deixe um comentário