Não quero ir embora. 
             Me peça qualquer coisa, me obrigue até a pular da ponte, mas não me diga para ir - a não ser que queira ser a causa da morte de um homem. E eu não consigo acreditar que você consiga ser tão egoísta assim. Dizer que eu fui a causa da sua felicidade, do seu renascimento, e depois me mandar embora. Eu também tenho sentimentos, sabia disso? E eu não quero ir embora. Não quero simplesmente porque da mesma forma que eu lhe fiz bem, você me fez ótimo. Me fez tão feliz quanto eu te fiz. Contigo, eu juro, eu consigo rir de verdade. Nada dessas pessoas que me olham e me julgam. Nada daqueles que são banhados de clichês e discursos feitos. Só você. Só nós dois, para sermos um só, de corpo e alma, como você costuma dizer. Assim seria mais fácil. 
             Se teus sorrisos se tornaram lembranças, o meu se tornou saudade. Se tuas palavras se tornaram promessas, as minhas se tornaram discurso de um eterno apaixonado. Se tuas lágrimas transformaram-se em poesia, ah, amor... As minhas já eram. Fiz o máximo que pude pra ser seu amigo, seu companheiro, seu amor, e tudo o que você precisasse. Não me venha com essa de "eu te amei". Eu ainda te amo, sua ridícula, idiota, egoísta e hipócrita que eu tanto quero bem. Não me mande ir embora. Agora eu suplico. Não me peça pra me desvincular de você. Se ás vezes nos desentendemos, não quer dizer que devemos ir cada um pra um lugar e esquecer de tudo que vivemos. E eu te amo a ponto de ir á qualquer canto por você. Dá pra enfiar isso na sua cabeça? Se não houvessem as brigas, não seríamos nós. Se eu te fiz feliz, eu sou duplamente feliz. Eu sei que provavelmente o problema seja comigo. Eu sou complicado, e ás vezes impulsivo. Mas se você disser que sou eu, venha logo. Eu mudaria por você.
             Se teus medos ainda te atormentam, aqui estarei eu, para te ajudar e proteger. Se te fiz determinada, ótimo, ainda assim estarei aqui para ver tuas conquistas, te apoiar, te dar minha mão esperando que você me abrace. E se você me ama ou não... Não sei. Mas eu ainda vou te retribuir tudo que for necessário. Faça dessa dívida eterna um motivo para me manter por perto.
Não se despeça de mim,
Navi.

N/A: Segundo texto do Lua e Navi. Tadinho dele, até eu estou com pena. É isso, tentarei postar isso aqui sempre que possível. Estou criando alguns conflitos e certas identidades para ambos. Espero que gostem e acompanhem. xoxo,




Deixe um comentário