Eu gostaria de te ver sorrindo mais - já que nunca mais vi. Eu sinto falta da tua risada em horas inapropriadas e dos momentos em que você nos colocava em encrencas. Sinto falta dos teus conselhos, que eram sempre nas horas certas, com palavras bem colocadas e sentimentos precisos; das tuas broncas, que mostravam os meus erros e me ajudavam a acertar; do teu carinho, com as pontas dos dedos passeando pela minha nuca e tuas bochechas roçando com as minhas; dos teus beijos, provando-me que o tempo pode sim parar e que estar contigo, de corpo e alma, era melhor do que qualquer outra coisa. Não me arrependo por sequer um segundo. E sabe por quê? Você me revelou um lado meu que nem mesmo eu conhecia. O lado feliz. Um lado que sabe que tudo na vida tem um jeito, e que apesar de tudo, podemos manter um sorriso no rosto, independente de estar tudo bem ou não. Você despertou esse lado e por isso tudo parece mais simples, e que em cada pedacinho desse mundo há um pouco de felicidade.
             Você me tornou uma pessoa melhor. Mostrou-me que o bom da vida é ser feliz e que eu devo lutar por isso, acima de tudo. Graças a ti, fiz do meu sorriso lembranças, tornei minhas palavras promessas; e transformei minhas lágrimas em poesia. Foi bom enquanto durou. Você foi meu amigo e meu amor, ao mesmo tempo e até onde pôde. E eu só tenho a agradecer.
             Obrigada por fazer de mim alguém feliz. Uma pessoa determinada e (quase) sem medos. Se você for ou não, tudo bem. Eu te amei e você retribuiu com muito mais do que eu merecia, e por isso devo a ti uma dívida eterna. Se quiseres ir, entretanto, vá. Você me fez bem e eu continuarei assim mesmo se você for. Apenas lembre-se sempre de tudo que me causou, e sorria por isso, por todo o bem que você me implantou.
Com gratidão e ainda amor,
Lua.

N/A: Oi. Então... Hoje vou direto ao ponto porque ainda tenho que postar a tag (se eu não fizer isso hoje, amanhã a Isabelle vai ser presa por motivos de: assassinato). Esse texto aí é uma parte do romance entre Lua e Navi. Eu escolhi esses pseudônimos, e talvez um dia eu diga o porquê. Talvez. Taaaaalvez. É isso mesmo, espero que gostem, beijinhos e tchau.


Deixe um comentário