Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark, não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humarado. Preso a uma de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar fim a esse sentimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá para sempre a história um do outro.

Apenas queria dizer, que fazem poucos dias que li esse livro e ainda não superei. Quando li a sinopse do livro, pensei: ''é só mais um livro clichê. No final tudo vai ser como conto de fada'', eu não sabia como estava enganada.
Antes de tudo, vamos falar de como cheguei a este livro. Já tinha visto ele várias vezes e até achava que era a continuação ou spin-off de ''A garota que você deixou para trás'', pois as capas são parecidas. Então a Letícia entrou no mundo dos livros da Jojo e me levou junto e finalmente quando soube que vai ter o filme, fui ler. E estou aqui pós-depressão.
Diferente de tudo o que imaginei, o livro não tem uma linguagem pesada ou super romântica, nada do tipo, é até mesmo engraçado, e a autora leva de uma maneira tão leve que as páginas vão passando, as horas e você não quer parar de ler, pelo menos isso aconteceu comigo. Bem, o tema não deixa de ser pesado e leva isso no livro todo, afinal ser tetraplégico não é só não poder movimentar o corpo, tem várias limitações que para quem se movimenta normalmente é normal, como o funcionamento do organismo, o corpo regular a temperatura e etc.
Bem, admito que senti um pouco de raiva da Lou pois ela no começo do livro não tinha perspectiva de vida, não pensava além daquela coisa pequena, em ficar na cidade, se casar com o namorado chato e morrer. Will, diferente Lou era um cara aventureiro, com mulheres a sua volta, que gostava da vida, até que ficou tetraplégico, ironicamente num acidente que era pedestre. Então Lou começa a trabalhar como cuidadora de Will e ai toda a história acontecer, tendo os seus altos e baixos, como no começo eles não se davam bem, e no fim se tornaram o escape um para o outro, seja da tristeza da deficiência de Will a falta de perspectiva de Lou. É lindo que mesmo que os personagens só tenham trocado um, dois ou três beijos no livro todo, não deixa de ser um ótimo romance, melhor que muitos que a ''pegação rola solta''. A história me impactou muito, me fazendo rir e por fim, chorar igual um bebê, pois eu visualizei um amor que é difícil de encontrar hoje em dia, é daqueles que você aceita as escolhas da pessoa por mais que doa e faz com que a outra pessoa abra a mente para as coisas novas, e veja como o mundo tem a oferecer muito mais.
Eu não queria dá spoiler, mas vou deixar vocês com a pulga atrás da orelha. A Lou e o Will se aproximaram mais, por que lógico que teve toda a convivência e eles já se davam bem, mas, no certo momento do livro, que não é nem na metade, a Lou descobre que o Will quer ir para as Dignitas, que é nada mais do que um ''suicídio assistido'' na Suíça e assim ela tenta mostrar que com todas as limitações ele pode viver bem, só que no fim a escolha de morrer ou não é do Will e vemos isso apenas no final do livro. Parei por aqui! Agora cabe a vocês apreciarem essa história maravilhosa e descobrir se no final eles ficam juntos ou não.
Queria ressaltar também, que o livro não só foca no romance, mas em outras questões da nossa vida e coisas que até mesmo não reparamos.
Bem, claro que o livro tem seus erros, porém, minha mente deletou todos eles, e eu não poderia dar outra avaliação se não fosse 5 luas.
 

Lembrando que o filme está previsto para lançar este ano, com as gravações começando agora, em abril, com os maravilhoso - que eu amo - Sam Claflin e Emilia Clarke como Will e Lou.

Quotes (desculpem, eu não anotei as páginas):

''Seu corpo era apenas uma parte do pacote completo, algo para se lidar de vez em quando, em intervalos, antes de voltarmos a conversar. Para mim, tinha se tornado a parte menos interessante dele. Você só vive uma vez. É sua obrigação aproveitar a vida da melhor forma possível.''

''[...] de repente tive a sensação de ver o tempo passar e de perder grande parte dele nas pequenas idas e vindas pelo mesmo caminho.''

 ''Eu não sabia que a música era capaz de fazer com que coisas novas surgissem dentro da gente e de nos levar a lugares que nem o compositor imaginou. Deixava uma marca no ar a nossa volta e era como se, ao sair do concerto, você carregasse os resquícios consigo.''

                                           

                                                                          
                                                               


Deixe um comentário