As ruas estavam cada vez mais movimentadas. Estava atrasada para encontrar com ele. Parei em uma rua, observando ao redor, meio perdida, quando vejo um cara de pele escura se aproximar de uma menina que mascava compulsivamente um chiclete. Eu sairia dali, mas curiosamente meus pés não queriam se mover, e vi o cara negro afastar um mauricinho que estava passando por ali e pegar o celular que estava nas mãos dele e entregar para a menina. Me surpreendi com aquilo, não pela situação, mas sim comigo. Realmente por mais que façamos a política de todos corretos, sem preconceitos ou julgamentos, tudo é uma grande mentira! O preconceito surge a partir do momento que vemos alguém todo rasgado e sujo, vindo em nossa direção e já pensamos que é um ladrão. O absurdo maior é que às vezes o ladrão, o vendedor de droga, o assassino, está do nosso lado e ele usa terno e gravata ou saias. Acreditamos no nosso senso de bondade e somos os mesmo hipócritas de sempre.
         Atravessei a rua, junto com um casal. Ele era alto e ela era baixinha e gordinha. Sei que algumas pessoas olhariam torto, por um homem tão, digamos, gostoso, namorar com uma mulher fora do padrão da sociedade. Sempre diriam que era um desperdício, eu também poderia dizer. Não só numa situação que o homem é mais bonito, pode ser em uma que ele é feio, que a mulher é muito mais velha, que ela é branca e ele negro etc. Dizer que somos livres desses paradigmas é uma mentira. Podemos até achar legal e bonito, mas temos um momento de hesitação.
         As pessoas associam muito o pré-julgamento ao racismo ou a homofobia. Só que claramente não é só isso. As pessoas julgam no geral o que é diferente, até mesmo uma doença, como se todo mundo não pudesse ficar doente em um estalar de dedos. E é irônico todos dizerem em entrevistas que isso tem que acabar e blá blá, quando eles próprios tem isso dentro de si. Preconceito, infelizmente, é questão cultural e cultura só resolve seus problemas com educação, o que basicamente está faltando no Brasil.
         O que me irrita é que as pessoas acham isso normal, o diferente de comum, e se acomodam, pensando que nada vai acontecer. Coitado, enganando-se com a alienação da televisão que insiste em mostrar corpos esbeltos, malhados e aquela chuva de cabelos loiros, sendo que a maior parte da população não é assim. Temos problemas de pele e podemos usar uma meia-calça rasgada, como podemos ter o cabelo de cor de diferente, ou não ter um corpo cheio de quadradinhos. Nada disso impede uma pessoa de ser feliz, seja por ter menos ou mais sardas. No final, por baixo da pele, existe um esqueleto igual. Na hora de morrer, não importa se você é o presidente de um país ou um catador de lixo, acontece do mesmo jeito! A única diferença é de como sua morte vai ser tratada, enquanto a morte de um presidente vai ser publicada em todos os tabloides internacionais, o catador de lixo, que talvez tivesse mais caráter que o presidente, só vai ser achado depois de 2 dias, quando o corpo começar a feder.
         Bem, já são 16:00hrs e ele já está mandando mensagem pra mim. É melhor eu me apressar.

     




Nota: Nossa menina voltou ácida! Espero que pensem um pouco sobre o assunto, e tratem melhor as pessoas. Sério, não se tornem idiotas. Mesmo com o preconceito, respeite.
      


Deixe um comentário