Sou brasileira sim, e isso não quer dizer que sou puta. Sou nordestina sim, e isso não me faz menos inteligente que você, e nem quer dizer que falo errado. Sou cearense sim, isso não me dá vergonha, pelo contrário, tenho orgulho, orgulho de nascer em um lugar que o sorriso é o mais importante, e não importa a sua raça, a sua religião ou que você é. Sou de um lugar com muitos problemas e coisas que me fazem ter vergonha, mas eu sei que não é apenas aqui. Vi hoje no jornal que uma transexual foi esfaqueada, então você se pergunta: por quê? Por que ela não tem vergonha de admitir o que é, que fez uma cena na parada gay para mostrar que todos os transexuais estão sangrando. Se você se sentiu ofendido ou não, o problema é seu! Nossas opiniões e argumentos não vão mudar, mas em nenhum momento ela nos deu permissão para agredir alguém, fisicamente ou verbalmente. Nessa mesma matéria fui olhar os comentários e encontrei: "Isso não é nada", "Merecia morrer". E usam argumentos, falando de Deus, e eu realmente me pergunto: Deus ia querer um filho dele ser esfaqueado e humilhado? Tenho certeza que não. Quem é você para falar que alguém merece morrer? São idiotas que se acham os fodas, que nunca vão ser punidos, só por estarem atrás de computadores. E eu fico realmente puta, e não, não tem como diminuir os palavrões, por ver que é essa é uma cultura do país, sabe, sempre querer ser melhor que o outro. Porquê as pessoas não olham pro próprio umbigo e veem que quem ela está xingando, por algum motivo, ele faz algo muito pior. E não lembra que quando te xingam, ou alguém te bate, você fica revoltado e se sente mal, então por qual razão você quer causar isso nas pessoas? Se tão usando o argumento de Deus, eu contraponho com um argumento do mesmo: "Ame ao próximo como a si mesmo", e definitivamente isso não é amor ao próximo. E pelo contrário, você deseja a morte de alguém e o mal, te torna muito menos "ser humano", pois não percebe que esse alguém podia ser seu pai, seu filho. Não aponte o dedo na cara de alguém pra dizer que é melhor, pois aquele cara pode ser melhor que você. Não é estudo, gênero, raça, é o que somos, a nossa essência, o nosso coração. Gostar de quem somos é essencial, e não importa os inúmeros dedos apontados para a nossa face, pois temos a convicção de saber que não somos nada do que escutamos ou lemos. Então, o que falta é respeito! E enquanto você não respeita o outro, nunca terá voz para pedir o mesmo.

Nota: Então, vi uma matéria no Extra, - que no momento não sei o link, mas depois coloco aqui - falando sobre esse transexual que foi esfaqueado, e depois vi um menino na internet falando sobre nordestino, negros e gordos. E sinceramente, eu precisava colocar isso para fora, pois eu não aguento mais essa injustiça que vem acontecendo. 

                                                                               


2 Comentários

  1. Olá Adormecidas! hahaha adorei o cantinho de vcs! Ganharam uma seguidora! Adorei o texto super atual e ao mesmo tempo é triste ter que escrever certas coisas sobre diferenças né?! =/

    Sinta se a vontade de visitar o meu cantinho tbm!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Joi, seja bem vinda ao blog! Sim, é triste ter que escrever sobre essas coisas num tempo que se diz evoluído. E eu A-M-O o seu blog. Volte sempre.

      Excluir