O sol se põe, o crepúsculo invade o céu, a noite chega junto com ela às estrelas e a lua, trazendo um infinito de perguntas, perguntas clichês e todas sem respostas.
  É confuso dizer tudo isso, na verdade eu digo para a lua e as estrelas, algo que eu queria acreditar, dizer a você, mas as palavras me faltam, é como um grito no vácuo, a dor reprimida, o coração apertado, eu só queria ser uma estrela, queria brilhar, e assim tentar disfarçar minha dor, só que tudo é tão doloroso que isso não vai adiantar.
  Queria ter o poder da lua, das estrelas, e te encantar, te trazer pra mim, e dizer tudo que a tempos está entalhado na minha garganta, eu quero chorar, quero derramar todas as lágrimas reprimidas, quero ser quem eu sou, não fingir algo para você, quero sorrir, quero que você me faça sorrir, não tenho estruturas e vontade de chorar, a dor já passou de um estagio tão grande, que lágrimas não vão explicar.

   Só queria ser forte, me auto-amar, e desistir de você, esquece, ah, eu queria ser uma estrela, pode sofrer, pode se magoar, mas nunca deixara de brilhar e um dia virara pó, e não haverá mais lembranças, só o vazio, eu me tornaria oca, sem sentimentos, eu não sofreria mais por você, como você, nunca sofreu por mim.



Deixe um comentário