Por favor, não fique entediado com minhas palavras. Se não tive disposto, ignore isto, vá ler outra coisa, arranje algo para fazer; isso aqui não mudará sua vida em nada. Eu venho por meio disto dizer que a culpa nunca foi das estrelas. Não as culpe se você não conseguiu uma vaga naquela faculdade que tanto queria. Não as culpe por seu namorado ter terminado com você no dia do seu aniversário (eu sinto muito por isso, mas as estrelas não tiveram culpa). Não as culpe por ter brigado com a sua mãe e ter se sentido mal por isso. Não as culpe por aquela música que você tanto ama não ser a querida de todo o mundo. Não as culpe se seu cantor favorito não fará show na sua cidade. Não as culpe, principalmente, se algo deu errado na sua vida. Ponha uma coisa na sua cabeça: O único culpado de tudo isso - ou quase tudo - é exclusivamente, incondicionalmente e desagradavelmente você. E, querendo ou não, você vai concordar comigo que isso é verdade. Sua vida você que faz. Mesmo que você acredite nisso de destino, você constrói o seu futuro, com as próprias mãos. E não venha com essa de dizer que isso é clichê, por que eu bem sei que é. Por isso eu digo. Na verdade, não é por isso, mas se é tão clichê assim, por você ainda não enfiou na sua cabeça que é assim que funciona?
               Só quero que me prometa uma coisa, se você chegou até aqui e não perdeu a coragem ainda, por favor, prometa se esforçar mais para passar na faculdade. Procure por alguém que te faça mais feliz que seu ex-namorado que termina propositalmente nos dias mais errados. Tente não brigar com sua mãe; e, se brigar, peça desculpas, por que ela não vai estar ali pra sempre. Ao invés de se lamentar por sua música favorita não ser conhecida, simplesmente divulgue ela! E sobre o cantor... Bem... Faça um esforcinho para ir á cidade vizinha vê-lo (e se não der, se contente em ver o show na internet). Enfim. Eu só peço, do fundo do meu coração... Não culpe as inocentes estrelas. A única culpa que eles tem é de serem tão lindas e apaixonantes quanto são.
               P.S.: Sim, eu realmente amo as estrelas. Eu tenho uma certa tendência de amar tudo que está distante de mim.




Deixe um comentário