O dia começa, parece tudo bem, mas no final dele, tudo parece demonstrando, a preocupação a dor, a decepção, a confusão, enquanto uns sorriem e saem para ‘’curtir’’, ou ficam felizes por si só, a outras chorando, em suas casas, mas em outro mundo, perdidos, pessoas que não sabem para onde ir, que acham mas fácil chorar do que sorrir, eu sou uma delas.
   Meu peito da doendo, não consigo falar, as lágrimas falam por mim, as pessoas também não estão bem, todas com suas angustias escondidas, tentando não demonstra fraqueza, tentando ser forte, só que ninguém é forte 24 horas, haverá a hora que a máscara cairá, e parece que caímos no abismo, um abismo sem um feixe de luz, tudo parece tão errado.Só no finalzinho da noite, é impossível, aquele sorriso fingindo, aquele sorriso para não machucar ninguém se desfaz, a verdade se torna presente, as lágrimas, seus secretos dentro do peito, o aperto, a solidão, o vazio, parece que ninguém entende, ou entendem de mais.
   E agora há pessoas chorando por todo mundo, inclusive eu, talvez você, não finja mais, eu não quero mais fingir, quero arrancar essa dor do meu peito, quero conseguir chorar, mas parece que não, não estar tudo bem, eu não estou bem, mas espero que a tempestade passe, e meu peito se torne uma fonte de luz, e deixe de ser cinzento, como muitos outros. Já é meia-noite e finalmente posso ser eu, sozinha não vou machucar ninguém, ou esteja machucando e nem saiba.

Notas: Meia-Noite, as lágrimas caiem, o dia não foi bom, e sai esse texto.
                                                                          




Deixe um comentário