Delicadeza? Educação? Um "boa noite" para ajudar? Onde foram parar os bons costumes? Lembro-me bem daquela época em que íamos à qualquer lugar e recebíamos um "bom dia", e que havia uma reposta equivalente. Lembro-me ainda quando dizíamos "por favor", "obrigada" e tínhamos sorrisos prontos e sinceros para aqueles que também utilizassem das boas maneiras. Mas hoje, com todo o estresse que as pessoas alimentam todos os dias com todas as coisas, desaprendemos aqueles velhos ensinamentos que nossos pais nos deram quando ainda éramos crianças. "Qual a palavrinha mágica?", era o que eu sempre ouvia quando pedia algo; hoje, as pessoas simplesmente mandam, ordenam, e ai de você se não fizer.
      E ainda tem gente dizendo que uma reestruturação da família brasileira é ferir o tradicionalismo. Para mim, tradicional mesmo é a boa educação, aquela em que as pessoas tratam bem umas às outras independente de seus problemas pessoais. Ninguém é culpado se você está com raiva de algo, se seus problemas estão cada vez piores. Mais do que isso: ninguém é obrigado a aturar o seu mau humor, a sua expressão hostil ou a sua antipatia. Mas se você ainda insistir em manter essa carrasca, não tem problema; só não fique de mimimi depois de "fui largado" ou "me esqueceram".
      Como alguém que já passou por tudo isso, mas que hoje vê o mundo de uma forma diferente, eu posso dar-lhe a seguinte dica: tente sorrir um pouco. Pode ser para a mulher que você viu na fila do supermercado, ou para o senhor que atravessava a rua no sentido oposto ao seu. Sorria para quem quer que for. Diga um "bom dia", pergunte se está tudo bem. As pessoas hoje em dia tem a grande e horrível mania de reclamar sempre que ninguém quer ouvi-las, mas nem mesmo elas praticam o hábito. De vez em quando, é bom parar para ouvir o outro, saber do que se passa em seu coração, tornar-se algo útil, algo além de um ser altamente rude que só sabe reclamar de tudo.
      Ser carrasco não leva ninguém à lugar nenhum, hostilidade só te traz ódio e isso ninguém quer. Por isso, mais uma vez, tente sorrir, tente mostrar-se bem apesar de tudo. Nada é tão ruim a ponto de não se ter solução; exceto a morte. Mas, meu bem, enquanto a sua hora não chega, não se prive de sorrir e de ser feliz, muito menos de ter pessoas de bem ao seu redor. E, para isso, você precisa ter em mente que ninguém tem o dever de aguentar você 24 horas por dia de cara fechada. Ria um pouco, nem que seja de si mesmo. Fará bem aos que estarão à sua volta e, principalmente, a você. 
Nota: Detesto gente que se acha no direito de tratar mal os outros só porque o seu dia está ruim, e eu digo isso porque já o fiz e me detesto por tal ato. Mas a questão é que, ao perceber que fazia isso, decidi mudar. E hoje, fico extremamente indignada com quem faz. Não só a questão do mau humor, mas a questão do tratamento, mesmo. Sai pra lá, antipatia! A vida passa rápido demais para ter gente mau humorada ao meu redor. Até a próxima!


Deixe um comentário