Contém spoilers! 

Havia escrito o post há dias, mas tinha esquecido completamente de postá-lo. Desculpem-nos pela escassez de posts durante a semana, mas estamos voltando.
Acordei hoje na ressaca (não alcóolica!) do Carnaval e resolvi assistir algo na Netflix, quando lembrei-me desta série que toda semana me surpreende um pouco mais - às vezes com coisas boas, às vezes com coisas ruins. Não sei se vocês se lembram, mas o episódio passado fora muito elogiado por mim. As coisas aconteceram de verdade e não me fizera pensar "ah, isso não vai acabar nunca?". Pelo contrário, eu fiquei com ainda mais vontade de assistir. E o episódio termina com uma deixa maravilhosa para o quinto, disponível na Netflix a partir de hoje.
Então, quando lembrei de que hoje havia saído outro episódio, reli o post para relembrar de tudo e fui com muita expectativa para este - o que talvez não tenha sido muito bom. 
O episódio começa com Clary mostrando para Jace o colar que ganhou da mãe e que, com ele, consegue ver onde Jocelyn está e Valentine até conseguiu se comunicar com ela. Alec aparece cumprindo seu papel de chato e pega o colar, guardando-o em um local seguro. Depois disso, Izzy encontra Clary num lugarzinho lá do Instituto e elas começam a conversas sobre Alec, sobre o fato dele ser muuuuito chato e essas coisas, quando o assunto se volta para Jocelyn. Clary começa a falar da mãe e sobre tudo o que faria para encontrá-la e Izzy pede para que ela conte tudo sobre a mãe, como uma forma de se distrair um pouco. Elas caminham até a entrada do instituto e é quando a mãe de Izzy e Alec aparece (como eu havia dito no post passado). Mas é aí que você sente que o negócio ficou sério. A mãe deles vem de Idris (que é a sede da Clave e onde ficam os melhores Shadowhunters), e já chega colocando moral em todo mundo. Ela manda Jace ir com Izzy visitar o Seelie de quem Izzy consegue as informações (e tem um casinho também) e diz para Alec ficar de olho na "garota Fairchild".


Na delegacia, Luke conversa com o "amigo", Alaric, e pede-o para encontrar Clary. Eles conversam sobre os "experimentos" de Valentine depois que surgiram mundanos com a Visão para o Shadow World. 
No instituto, Jace e Alec conversam sobre a visita ao Seelie e Jace pede ao Alec para proteger Clary. Jace questiona o desconforto de Alec e ele tenta falar sobre a cena na casa de Magnus, quando o rosto de Jace apareceu como aquele que Alec mais ama. Jace acaba "consertando" as coisas quando diz que compreende (hahah) que Alec o ame, e que ele o ama também. Ele diz que eles foram criados juntos e são parabatai, então é comum que sintam amor um pelo outro - só que nós sabemos bem o tipo de amor que Alec sente por Jace, né? 
E a partir deste episódio, eu vou começar a titular uma cena de todos os episódios como a Cena Decepção e a escolhida da vez foi a seguinte: Simon está na Construção DuMort, que é onde ficam os vampiros e para onde ele foi levado quando foi sequestrado. O episódio quatro acabou com ele chegando ao local e todos nós esperávamos uma cena muito louca dele entrando lá ou descobrindo que está se transformando em vampiro, sei lá. Mas aí o vampiro que ajudou ele e os shadowhunters a fugir antes (Raphael) apareceu e o mandou ir embora.  Fiquei decepcionadíssima, mas compreendi o porquê de não ter acontecido nada: eles não precisavam de mais uma situação para salvar Simon, mas precisavam de algo que nos desse vontade de assistir ao próximo episódio. Sem falar que o conflito deste não tem ligação com essa cena, então meio que se encaixou direitinho no restante da estória deste episódio.
Voltando ao Instituto, Clary e Alec estão treinando uns golpes e claramente ela está tentando conversar com Alec, se aproximar, criar uma ligação com ele, mas ele continua arredio. Ela pede a ele para ir ao apartamento procurar um baú que Jocelyn guardava muito bem, suspeitando de que ali estaria o Cálice Mortal e que neste baú tem escrito "JC", como se fosse o nome do pai de Clary, Jonathan Clarke. Alec nega, diz que é perigoso e que eles não devem ir sem permissão. Ele recebe uma ligação de Magnus (que está se tornando um dos meus favoritos) e o feiticeiro o convida para tomar uma bebida. E neste momento em que Alec dá as costas para Clary, ela acaba fugindo e só depois Alec percebe a ausência dela, o que já nos faz pensar "é agora que Jace mata Alec".


Surge, então, a primeira cena em um restaurante chinês em uma região próxima a um pier, e Alaric adentra ao restaurante na versão lobo. O líder alfa começa a discursar para os outros lobos ali presentes e ordena-os a encontrar Clary, pois ela é a única maneira de encontrar o Cálice.
A cena corta para Clary em frente ao lugar, como se fosse uma escola, onde ela foi aceita no Piloto, e era lá que ela iria ter aulas de desenho e tal. Mas aí como aconteceu tudo aquilo com a Jocelyn, o estopim para a confusão da estória, ela acabou não dando início às suas aulas. Então ela está na frente do prédio, refletindo sobre, usando uma runa de invisibilidade, quando seu telefone toca e Alec a encontra. No telefone, Simon fala sobre suas sensações pré-transformação e eles resolvem se encontrar no antigo apartamento dela.
Através de um atalho, eles chegam à casa dela e Simon até demonstra algumas habilidades diferentes e incomuns para um mundano qualquer. E, resumindo esta cena, Alec vai até lá fora ver se está tudo bem e quando volta, Clary e Simon são sequestrados pelos lobinhos do mal e levados para aquele restaurante chinês onde eles fizeram a reuniãozinha antes.


Jace e Izzy visitam o seelie e eles descobrem que os vigias estão mortos por Valentine. E de lá, Alec avisa-os de que Clary, além de ter fugido do instituto, foi levada por eles. Eles tentam rastrear Clary e Simon, mas sem sucesso. E é quando Jace quase voa no pescoço do Alec - ceninha que eu queria muito ver acontecer.
Os lobinhos pedem o Cálice e Clary diz que não sabe onde está. Então, levam Simon e ameaçam matá-lo se não tiverem o Cálice em mãos. É aí que ela decide mentir dizendo que sabe onde está, que, no caso, é no apartamento. Quando vi essa parte achei bem tolice da parte dela, mas logo em seguida pensei no quanto isso seria só um ganho de tempo. Além do que Simon tá com uma força sobre-humana, e acaba conseguindo se livrar de suas correntes que o prendiam e arranja um celular no armário da cela que o colocaram. Ele liga para o celular da Clary, que está com Izzy, Alec e Jace. Ele diz onde eles estão e o trio vai atrás deles. Jace manda-o distrair os lobisomens, e o que a mente brilhante de Simon faz? Incendeia o local. Nesse final, tudo acontece o mais rápido possível.
O Alfa leva Clary para o lado de fora e a coloca em uma daquelas caixas enormes de carga para navios. Ela é encontrada por Luke, que obviamente quer ajudá-la, mas ela ainda não confia nele o suficiente para confiar e quando Jace aparece deixando Luke inconsciente, eles fogem de lá. Izzy salva Simon, e ele fica todo bobo quando a vê ().
Eles acabam sendo cercados por toda a matilha, e quando estão prestes a serem atacados, Luke surge na forma de lobisomem e mata o líder deles, tornando-se o Líder Alfa da matilha. Mas devido à briga, ele fica muito ferido e Jace, Clary e Simon resolvem levá-lo ao Magnus, pois somente ele com suas habilidades poderá cuidar das feridas. Alec e Izzy vão ao Instituto para relatar tudo à mãe deles.
Quero o próximo episódio para ver Alec e Magnus juntinhos, Jace sendo superprotetor, Simon se trasformando... Quero tudo isso logo! Muita coisa aconteceu nesse quinto episódio, que chegou até a cansar. E finalmente eu criei vergonha na cara para ler os livros de vez e comentar as divergências e semelhanças entre eles. Até a próxima!


achei essa foto um amor tão gigantesco!





Deixe um comentário