Pode ter vários significados,
Assim como é visto de milhares de formas diferentes. O ciúme existe pra isso, para ser incompreensível. E, por isso, é fácil de se compreender quando alguém está com ciúme. Uma coisa tão boba, tão singelo, mas que as pessoas acabam tornando complexo e estrondoso. Que machuca. Que quebra. Pra mim, é um sinônimo de insegurança. O que é estranho, porque só se sente ciúmes daquilo que se ama. E só se ama quando se tem certeza. Pelo menos pra mim é assim. Mas nós insistimos em duvidar, pois nunca estamos satisfeitos com as demonstrações de sentimento do outro. E aí, passamos a encontrar defeito em tudo, e por toda essa desconfiança, os olhares do outro te causam ciúmes até quando são direcionados para o nada.
O ciúme cega e proporciona alucinações nada saudáveis. Das suas várias justificativas, podemos citar: gostar demais; tédio na relação; insegurança. Sobressalto, sobre o primeiro, que vai passar. Tudo vai passar, desde que se compreenda que tudo demais é veneno. Deve-se saber moderar, pôr na balança antes que comece a doer. Pode acontecer de você gostar mais do que o outro, ao ponto de querer que ele goste tanto de você, que o prive de gostar de outras coisas, outras pessoas - não no mesmo nível que você, mas como amigos, por exemplo. No caso do tédio, todo esse ciúme bobo é justificado pelo simples fato de você estar atrás de "sarna para se coçar". Será mesmo que você tem motivos para desconfiar? Será mesmo que você possui razões para achar que o outro gosta menos de você do que realmente gosta? Você tem posto em dúvida os seus próprios sentimentos. E, em relação á insegurança, pode ser que você mesmo não esteja deixando o outro muito seguro nisso tudo. Pode ser que o outro sinta a falta de "eu te amo" ao acordar, ou de um "estou com você" nos momentos ruins, ou de simplesmente um abraço quando não souber o que falar. Sentir ciúmes faz parte disso. E de todos os motivos, não consigo ver um que seja exatamente correto, que me convença que vale a pena sentir esse ciúme doentio.
Mas, e quando é o outro que sente o ciúme? Descubra qual o motivo. Reverta. Faça-o sentir-se único e verá que o ciúme torna-se inexistente. Algo tão inútil e tão destruidor, podia subitamente deixar de existir, desde que você queira, que você faça por onde, que prove que você só tem a sua pessoa no seu mundo, que você só tem os olhos vidrados nela e que ela é a razão dos seus sorrisos mais sinceros, que ela é o motivo do seu brilho no olhar, é a sua motivação de todos os dias para continuar tentando. Ser ciumento faz parte de amar, mas ser demais acaba se tornando ruim. E assim como tudo na vida, o equilíbrio deve existir. Por fim, ainda vale ressaltar que, dependendo do ciúme, de como é e de como acontece, é bom, sabe? Por mais que nos faça sentir muita raiva, que nos faça jurar que vamos parar de amar aquele alguém, ou simplesmente desejamos gostar menos, eu gosto disso. Aquele ciúme que se sente de coisinhas bobas, mas que é resolvido de forma mais boba ainda: um beijo com muito amor e palavras sussurradas com carinho: eu te amo.
Na verdade, a pessoa que diz que não sente ciúme está mentindo. Todo mundo sente ciúme, mesmo que de um amigo, e cabe a nós ver a que ponto chegamos. Tá que aquela colega dele é uma atirada, e aquele amigo só leva ele para beber ou vice-versa, mas não temos direto de tirar nada na pessoa que convivemos, apenas temos que confiar, afinal se ele for te trocar, nada nem ninguém vai impedir isso. Então, nada de paranoia.

       Nota: Essa é uma carta para aqueles que sentem e vêem demais além do real, e que sentir ciúme pode ser saudável ou não saudável - depende da dose. Tudo demais é veneno.                                                                      

                                                                                 


Deixe um comentário