Dizem que na nossa vida sempre teremos um momento maravilhoso para guardar na memória, assim como um ruim. Acredito que só teremos a certeza desses momentos no nosso leito de morte, ou até nunca. Talvez eu tenha presenciado um hoje, mas como diz uma amiga: ''tudo passa''.
Odeio o fato da TPM me deixar frágil e todo o choro contido se derramar, aquele tipo de choro que demora para passar, que se pensa que nunca vai acabar e que a cabeça não aguenta mais de tantos pensamentos negativos. É quando nos permitivos sentir esse gosto de ''o pior momento'', que der repente tudo significa nada, que a palavra amor se torna ódio.
Sinceramente, eu não gostaria de escrever isso aqui, muito menos voltar a esse ponto. O mesmo problema, descrito em palavras diferentes. A mesma boca, recebendo uma dose diferente, em um dia diferente. E olha, a dor sobre os olhos continua, minha garganta fecha mais a cada briga. E a questão é: por que eu ainda não desisti? Pior que sei a resposta. Amor. Quando se ama é difícil pensar em deixar as coisas irem. Mas como hoje mesmo disse: não é por que amo que tenho que aceitar tudo.
As pessoas cometem o erro de pensar que sempre estaremos aqui, que todas as brigas, dores de cabeça, não machucam, não fazem deixarmos as pessoas para trás. A vida nem sempre vai ter um ''Feliz para sempre'', então sinceramente não faça as pessoas desistirem de você. Por que mesmo com o cérebro alcoolizado, as palavras ditas, machucam o coração e as memórias atormentam a mente.
 


Deixe um comentário