Tenho muitos, muitos motivos para fazer essa postagem. Além de estar apaixonada pelos livros dela, estou encantada com a forma como cada um é retratado, como cada um tem uma história única e surpreendente, que narra vidas cotidianas com desfechos maravilhosos. 


Pauline Sara Jo Moyes Arthur, ou Jojo Moyes como vem nos livros, tem 45 aninhos (apesar de que na foto dos livros ela parece ser mais jovem, rs) e é britânica. Jornalista e romancista desde 2002, ela publicou seu primeiro livro neste ano e dedica-se a carreira de escritora desde então. A Intrínseca é a editora de alguns de seus livros aqui no Brasil, e eu vi muitos, muitos deles na Bienal, mais precisamente um que tenho uma resenha guardada, e que logo, logo postarei. Vamos aos livros?

A garota que você deixou para trás


A garota que você deixou para trás

Sinopse: "Durante a Primeira Guerra Mundial, o jovem pintor francês Édouard Lefèvre é obrigado a se separar de sua esposa, Sophie, para lutar no front. Vivendo com os irmãos e sobrinhos em sua pequena cidade natal, agora ocupada pelos soldados alemães, Sophie apega-se às lembranças do marido admirando um retrato seu pintado por Édouard. Quando o quadro chama a tenção do novo comandante alemão, Sophie arricar tudo - a família, a reputação e a vida - na esperança de rever Édouard, agora prisioneiro de guerra.
Quase um século depois, na Londres dos anos 2000, a jovem viúva Liv Halston mora sozinha numa moderna casa com paredes de vidro. Ocupando lugar de destaque, um retrato de uma bela jovem, presente do seu marido pouco antes de sua morte prematura, a mantém ligada ao passado. Quando Liv finalmente parece disposta a volta à vida, um encontro inesperado vai revelar o verdadeiro valor daquela pintura e sua tumultuada trajetória. Ao mergulhar na história da garota do quadro, Liv vê, mais uma vez, sua própria vida virar de cabeça para baixo.
Tecido com habilidade, A garota que você deixou para trás alterna momentos felizes e alegres, sem descuidar dos meandros das grandes histórias de amor e da delicadeza dos finais felizes."
Nem preciso falar que a curiosidade fica do tamanho do mundo, não é? De que forma uma pintura, um retrato de alguém, pode causar tanta polêmica no período da Primeira Guerra e vir a transtornar a vida de alguém em pleno século XX? Adoro a forma como ela pega um assunto que poderia fazer um livro totalmente voltado à Guerra, como vemos em tantos outros, mas o próprio enredo faz com que esse não seja o foco, mas sim uma história completamente diferente.


Como eu era antes de você


Como eu era antes de você

Sinopse: "Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Além disso, trabalho como garçonete num café, um emprego que ela adora e que, apesar de não pagar muito, ajuda nas despesas. E namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou se vê obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, a ex-garçonete consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto e planeja dar um fim ao seu sofrimento. O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia que irá mudar para sempre a história um do outro."
Esse foi um dos que eu via na Bienal e reconhecia como da Jojo, assim como o anterior, porque os desenhos das capas são parecidas e assim que eu batia o olho, identificava. Também fiquei encantada com a sinopse por não ser aquele romancezinho qualquer com finais felizes perfeitos. Tudo bem que pode até conter um final feliz, mas não perfeito. As pessoas não são perfeitas. Ela quebra os estereótipos. O rico é infeliz, a menina que tinha tudo pra ser alguém com uma boa vida, perde o emprego de garçonete que já não é lá essas coisas todas. Eu gosto desse tipo de coisa. E vale lembrar que, como a Isabelle postou aqui no blog, o livro será adaptado para os cinemas com previsão de lançamento para esse ano! Uhu! Estava na hora dos livros dela terem seu espaço nos telões.

A última carta de amor


A última carta de amor

Sinopse: "Londres, 1960. Ao acordar em um hospital após um acidente de carro, Jennifer Stirling não consegue se lembrar de nada. De volta a casa com o marido, ela tenta, em vão, recuperar a memória de sua antiga vida. Por mais que todos à sua volta pareçam atenciosos e amáveis, Jennifer sente que alguma coisa está faltando. É então que ela descobre uma série de cartas de amor escondidas, endereçadas a ela e assinadas apenas por "B", e percebe que não só estava vivendo um romance fora do casamento como também parecia disposta a arriscar tudo para ficar com seu amante.
Quatro décadas depois, a jornalista Ellie Haworth encontra uma dessas cartas endereçadas a Jennifer durante uma pesquisa nos arquivos do jornal em que trabalha. Obcecada pela ideia de reunir os protagonistas desse amor proibido - em parte por estar ela mesma envolvida com um homem casado -, Ellie começa a procurar por "B", e nem desconfia que, ao fazer isso, talvez encontre uma solução para os problemas do seu próprio relacionamento. 
Com personagens realisticamente complexos e uma trama bem elaborada, A última carta de amor entrelaça as histórias de paixão, adultério e perda de Ellie e Jennifer. Um livro comovente e irremediavelmente romântico."
Pontuei algumas coisas para falar sobre este. 1. Fora um livro que eu via na prateleira das livrarias e não dava importância por achar que seria um livro como qualquer um de romancezinho, então, confesso, julguei pela capa e nem sequer li a sinopse; 2. Percebemos aqui como Jojo gosta de relacionar épocas, de forma que as histórias tenham alguma ligação entre elas e tornem a história especial e criativa - como no primeiro livro da lista, que também se trata de duas épocas; 3. Assim que li a sinopse, não conseguia tirar o filme Cartas para Julieta da cabeça (quem não conhece a história, recomendo que dê uma lida nessa sinopse e que, se lhe interessar, até assista o filme - mas pra quem conhece, com certeza vai entender o porquê da minha lembrança), mesmo que o filme não se passe em duas épocas, mas possui toda essa pegada de cartas, descobrir o remetente etc.

Um mais um


Um mais um

Sinopse: "Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Com dois empregos e ganhando mal, ela precisa sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas ela não sabe como chegará até lá. Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de veraneio por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista.
Mas quanto Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, Ed oferece carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio. Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário."
Qualquer ideia de clichê que eu tenha criado sobre as histórias escritas por Jojo é destruída ao ler essa sinopse! Creio eu que seja o livro mais recente dela, e o que me dera até uma certa curiosidade a mais. Eu fico naquela coisa de "será que a Tanzie vai conseguir?", "será que esse romance vai progredir?" e "será que vai ter um final feliz?!". Ela além de gostar muito de escrever sobre esse âmbito familiar, sempre traz esse lado de dificuldades do dia-a-dia, personalidades diferentes e dezenas de outras coisas que eu tenho me identificado em seus livros.

Me privei a falar somente sobre esses quatro dela, que são os mais famosos e os da Intrínseca. São livros com uma leitura fácil, com bastante diálogo e que sempre retratam bastante sobre as personalidades de cada um, de forma que nos faça passar a observar mais as pessoas ao nosso redor. É um dos tipos de livro que eu gosto, além de ficções cientificas e os clássicos que, bem... São clássicos. Os livros da Jojo me fazem pensar na forma como ela trata cada um, na forma como os diálogos são feitos e vejo como aquilo é, ao mesmo tempo, paralelo à minha realidade, mas que se encaixaria perfeitamente nela. Por fim, recomendo seus livros e, se você leu os quatro da lista e se interessa pelo restante, vale a pena dar uma procurada nos outros, mesmo que sejam um pouco mais difíceis de se encontrar. É isso! Logo, logo apareço aqui com a resenha de um dos quatro. xoxo,


Deixe um comentário