Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras - e está cansado de sua vidinha segura e sem graça em casa. Vai para uma nova escola à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o 'Grande Talvez'. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young. Inteligente, engraçada, problemática e extremamente sensual, Alasca levará Miles para o seu labirinto e o catapultará em direção ao Grande Talvez.
 

Muitas pessoas já haviam comentado sobre ''Quem é você, Alasca?" comigo, as opiniões se divergiam, então quis ler para ter minha própria opinião.
Como todo filho de John Green, o livro começa despretensioso com uma ideia de objetivo de encontrar o ''Grande Talvez'' - eu viajo muito nas ideias, mas não tanto. Se fosse meu filho eu ia mandar ele fazer algo da vida. Mas eu entendo a ideia desse objetivo, invés de o ''Grande Talvez'' eu diria que é algo como: ''Qual o sentindo da vida?O que eu vou fazer da minha vida? Quem eu sou?'', ai sim conseguimos nos identificar, principalmente
quem ta na adolescência e ta na pilha de concurso/balada/enem/paixões, e não sabe para onde ir e o que ta fazendo/vai fazer.
Então Miles, com poucos amigos e em busca de um significado para a vida, entra para a Culver Creek, um internado, onde conhece Coronel, Takumi e Alasca Young, bem, ai as coisas começam a virar de ponta a cabeça. Para o então Miles ''Gordo'' Halter, festas, bebidas, cigarros, namoros e trotes, nunca haviam sido constantes na sua vida, e quando este entra na Culver Creek, todo o emaranhado chamado de ''juventude rebelde'' cai sobre suas costas com um ''KABUM''. Querido Gordo, antes de aceitar um cigarro de um colega de quarto, que por acaso você mal conhece, pense.
Bem, Miles conhece Alasca Young, e ver tudo de certo e errado em uma garota, claro que ele se encantou pelo seu jeito e peitos e queria ter algo mais, porém para a tristeza de Miles, ela tem namorado, - bom, nunca é bom ser visto como amante-, e Alasca pode ser até aquele tipo de garota que ''fuma para morrer'', mas ela realmente tem seus valores e não ficaria com um magricela enquanto tem um namorado lindo na faculdade.
Não posso me esquecer de citar o Águia, o inspetor do internato que fica correndo atrás dos garotos, quando os trotes invadem o campus, e batendo na porta de infratores que insistem em beber e fumar em ambiente escolar. Águia me proporcionou boas risadas, assim como toda a turma do Coronel, inclusive Laura, que deu uns beijinhos em Miles.
''Quem é você, Alasca?", não é só um livro sobre cigarros e trotes, é um livro sobre como a vida pode mudar num segundo, como nem tudo tem explicações e que as vezes nossas dúvidas nunca serão respondidas. Foi um livro que me surpreendeu com todo o seu ar jovial e catastrófico que as coisas podem ser. Bem, mas claro sem perder aquele tom de humor. Fora que tem ótimos trechos que você para, pensa e dá até aquela pesquisada básica no Google.
Se eu fosse de 0 a 5 estrelas, daria 4 luas. Por quê? Como todo livro de John Green ele acaba de um modo que me deixa pensando, com dúvidas e questões que acredito que não serão respondidas NUNCA, e essa ideia de não obter respondas me deixa insana.



Melhores quotes:
  ''François Rabelais. Era poeta. Suas últimas palavras foram: Saio em busca de um Grande Talvez. É por isso que estou indo embora. Para não ter de esperar a morte para procurar o Grande Talvez.'' - Pág 5 

''Chega uma hora em que é preciso arrancar o band-aind. Dói, mas pelo menos acaba de uma vez e ficamos aliviados.'' - Pág 7.

''Vocês fumam para saborear. Eu fumo para morrer.'' - Pág 45.

''Cruzes! Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentadas falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia.
Como assim? 
Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em quanto será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente." Pág 55 e 56.

'Simples assim. De centenas de quilômetros por hora ao repouso em um nanossegundo. Eu queria tanto me deitar ao lado dela, envolvê-la emaeus braços e adormecer. Não queria transar, como nos filmes. Nem mesmo fazer amor. Só queria dormir com ela no sentido mais inocente da palavra. Mas eu não tinha coragem. Ela tinha namorado. Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitivamente fascinante. Então voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuvas, eu era garoa e ela, um furacão.'' - Pág 91.














2 Comentários

  1. Olá,
    Me emprestaram esse livro, mas eu ~sem tempo~ não consegui ler. Porém parece ser super bacana e interessante, mesmo eu já tendo lido outro livro do autor e não gostado muito.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, também tenho sério problemas quando me emprestam livro. Eu sempre acabo não lendo. Bom, eu particularmente gostei desse, e como já li outros do John, sei que o jeito dele entre os livros muda, então talvez você se goste mais desse.
      Obrigada,
      Volte sempre.

      Excluir