Eu sabia que você seria desse tipo. Ah, meu Deus! Jura que terei problemas com você? Juro que se eu fosse egoísta, eu nem sequer faria a carta. Mas não... Eu fui lá, com todo amor e compaixão que há em mim, e fiz aquilo. E sabe por quê? Ora, pois! Eu amo você. Quando te olhei, tive certeza que era encrenca. Mas aí você sorriu e eu percebi que era o tipo de encrenca que eu queria na minha vida. E aí veio você, cheio de charme e papo bom. Olha só, eu preferia mil vezes odiar você. Por mais que você tenha me feito muito bem - obrigada novamente por isso. Mas como você é capaz de dizer essas coisas depois de tudo?
Se eu também fiz bem, ótimo. Mas você não vê que nossas brigas já estão nos sufocando? Já estávamos num nível que brigávamos por qualquer besteira, e não é assim que quero continuar.
             Não quero continuar porque não quero te/me machucar. Já está bom do jeito que está, qual o problema de simplesmente perpetuar esse momento? Não sou egoísta. Durante todo o processo de término, eu estive pensando em você. Pensei se você ficaria bem após o acontecido, pensei se isso realmente seria bom para nós. E a resposta para essas dúvidas vieram quando eu vi um sorriso em seu rosto há dois dias. Sim, eu vi. Você que tanto gosta de dizer que sempre estará comigo, onde diabos você se meteu? Todas as vezes que observo seja o sol, a lua ou até mesmo as estrelas, involuntariamente, lembro de você. Lembro que você dizia que jamais sairia do meu lado, e então agora me pergunto: Onde está você?¹ A resposta para essa pergunta é óbvia, curta e grossa: com outra pessoa. Com uma garota. Uma mulher que, por Deus, o que você viu nela? É alguém cujo nome nem ouso citar, daria-me nojo. Mas não consigo acreditar que sua fila já andou.
             Eu te vi. Te vi com ela e você estava sorrindo. Foi um dos melhores e piores momentos dessa semana. Melhores porque te vi sorrindo com outra pessoa; piores porque te vi sorrindo com outra pessoa, com ela. É, eu sei que é contraditório. Mas, meu bem, saiba: não existe ninguém nesse mundo que queira que você seja feliz mais do que eu. Eu te quero sorrindo, amando e quem sabe até mostrando-me que me superou. Ah, como quero. Eu amo você, e estou abrindo mão de te ter para que você possa ser feliz.
             Entenda meus motivos assim como eu entendo os seus.
Seja feliz,
Lua.

N/A: ¹: É um texto de Valiosos, um tumblr muito bom, diga-se de passagem. Mais um Lua e Navi, espero que tenham gostado. Talvez esse tenha ficado um pouco confuso, mas de acordo com o tempo, aqueles que lerem essa série desde o início, entenderão. Novidades estão por vir! xoxo,




2 Comentários

  1. Achei adolescente demais, porém, também achei mt legal, continue postando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme (é você? rs), a série é adolescente, nada mais normal que os textos também fossem. Continuarei postando.

      Excluir