''...Seus olhos de um azul tão intenso, era possível ver o reflexo dos aranha-céus que cortavam toda a cidade. O canto do seus olhos se enrugaram, mostrando o principio de sua gargalhada. Há seu sorriso, sua gargalhada, era muito mais prazeroso que o canto dos pássaros. Cada pedacinho me encantada, a cada dia, cada detalhe, mesmo aqueles desconhecidos.
    E ali, deitados, ele sobre o meu corpo, e seu riso em meu ouvido, seu cheiro impregnando-me, como se fossemos um só. Minhas mãos roçando em seu cabelo másio. Seus olhos se derretendo no meu. Seus braços contornando meu corpo. Sua boca na minha. Soube que era sua, desde o principio, desde os nãos e as lágrimas, e todo o resto, que todo mundo passa, inclusive as dúvidas. O medo. Medo de se entregar e ser rejeitada, de se machucar, de ser mais uma, medo de nunca superar, de dar e não receber. São inúmeros medos que com apenas um beijo foram quebrados. O medo de se entregar foi quebrado, pois me entreguei no primeiro momento, só não queria aceitar, de se machucar foi aceito, sempre vamos nos machucar, e ele tinha meu coração, podia fazer o que quisesse com ele, me machucar quantas vezes quisesse, meu coração tinha tomado um novo dono e eu não podia mudar isso. Medo de ser mais uma, passou, ou foi esquecido. Medo de não superar, eu não queria ter que superar, não queria o fim. Queria...quero, sempre ter essa mente de menininha, e também não vai adiantar tentar prever o futuro. Hoje você está aqui e isso é o que importa.
     Seus lábios colam aos meus, e não há mais nada, não um passado, um futuro, só aquele momento. Seus toques suaves sobre o meu corpo, e seus lábios acariciando os meus, como se fosse o nosso último beijo, a nossa última noite juntos. Não queria pensar você longe de mim. Não queria perder meu reflexo. Não, não. Me concentrei em seus lábios másios sobre os meus, puxando tudo o que você podia me dar. Apertando meu corpo sobre o seu, mais e mais. Passeando as mãos sobre suas costas desnudas, cravando cada memoria, cada detalhe seu em mim. Seus olhos azuis como o gelo, intensos, o reflexo de tudo o que eu queria ver, se fixaram nos meus, em um pedido de ajuda, só pude beija-lo mais uma vez, e pedir mais uma vez que tudo desce certo, e que meu coração não se perdesse, e que ele voltasse.
    O sol estava nascendo. Ele iria. Meu sol se apagaria. E não haveria mas ninguém do meu lado amanhã. E tudo que eu poderia fazer era beija-lo e pedir pela sua volta.''

Antes de você ir.
                                                        
                                                                  









2 Comentários

  1. Onw minha menina tá tão romântica
    Ainw que melosa
    Adoçou minha noite.
    Beijos titia coruja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tia adoro, bate um romantismo de vez em quando. Obrigada, beijos

      Excluir