Costumo montar histórias na minha cabeça sobre mim e alguém desconhecido, ou sobre pessoas, não sei o motivo na verdade, talvez a necessidade de não me sentir sozinha enquanto todos estão acompanhados, ou por bem, pela falta de amor que existe no mundo. Não só o amor carnal, o amor de amigo, de família, de pessoas umas com as outras.
             Também por que não tenho uma grande história, não tenho uma grande aventura. Não vejo felicidade espalhada nos olhos da pessoa a muito tempo, não vejo aquela alegria de um grupo de amigos, estão todos concentrados em seu próprio umbigo. Não há mais sorrisos verdadeiros, não há mais abraços de verdade, ou se há, estão distantes, num momento de agonia quem sabe, que você que pode perder alguém, quando as lágrimas se tornam muito mais que água salgada. Sinto falta de tudo isso.
              Monto histórias por que queria que todos fossem felizes, que ninguém se sentisse sozinho a noite, que sempre houvesse uma chama de esperança, queria que todos tivessem aquelas fotos dignas de cartão postal, queria que os momentos de felicidade se prorrogassem e que esquecemos os problemas, que deramasemos liberdade pelos cantos, gritando e sorrindo, não chorando e soluçando, queria compartilhar a felicidade dentro de mim a todos, queria fazer aquela viagem sem data para voltar, ver o sorriso de quem eu amo. Os cabelos voando e encontrando seu verdadeiro caminho. Queria que tudo não se passa-se de uma história da minha cabeça.

Notas: Texto antigo, mas que até ficou bonzinho. Só para atualizar aqui. Em breve novidades. Kiss
                                                                      



Deixe um comentário