Não sei por onde começar o pedido de desculpas por todo o atraso para esse post, sinceramente. Estava com alguns problemas pessoais e escolares, e não podia adiá-los para tirar um tempo e me dedicar ao post (minha vida 'tá um grande problema). Mas hoje, com tempo e computador disponíveis, posso falar sobre esse filme, que foi o mais espero do ano pra mim, depois daquela coisa que foi Em Chamas. Farei o máximo possível para não lhes dar spoilers, mas os gifs serão inevitáveis. Vamos começar?


Pra quem leu o livro, cada cena é extremamente necessária. Primeiro, porque nós vemos a história e todo o enredo se repetir em nossa mente. Conseguimos ver cada palavra do livro ser relida automaticamente ao ver as cenas e pensar "nossa, é muito igual". Apesar de que há coisas extremamente diferentes, também existem suas semelhanças e eles não podem ser passadas em branco. Pra quem quer ação, e não gosta tanto assim da trilogia, recomendo que nem saia de casa para assistir. Assim como no livro, a primeira parte da reta final é bem paradinha, mas com cenas bastante importantes. Tentei não trazer gifs que revelassem essas importantes cenas, então isso terão de ver no cinema.

Cressida maravilhosa!

A atuação, eu sou bem suspeita pra falar. Admiro sem palavras o trabalho de Jennifer Lawrence e o Josh também não fica atrás! Eu poderia passar horas e horas aqui citando cada papel, cada atuação especial e sensacional, mas Julianne Moore, que só aparece agora na trilogia, arrasou como Alma Coin, a presidente do distrito 13. E isso é uma coisa que eu quero destacar! Acho que o que eu senti mais falta foi a clareza de explicação sobre a existência do D13. No livro, nem há o que constatar. Mas no filme, acho que ficou essa dúvida no ar até mais ou menos a metade do filme.


Katniss está, finalmente, decidida de que quer Peeta. Quer salvá-lo, quer vê-lo bem. O fato de que todos o consideram ele um traidor não muda o que ela acha ou o que ela sente. Um dos motivos pra ter vibrado tanto com o filme foi o fato de ter passado um ano no suspense. Eu sou muito fã dessa trilogia, da história em si e de como ela se seguiu. É uma distopia, e confesso que eu tenho andado enjoada de ler sobre distopias. Mas sempre abro exceções quando elas valem e pena. Mockingjay part 1 valeu. Teve até JLaw cantando The Hanging Tree, eu cantando junto com ela e chorando porque simplesmente foi lindo:


Essa cena é uma das melhores, essa música quase que se transforma na trilha sonora da revolução e eu não vejo a hora de chegar Novembro de 2015 pra ver a parte 2. Pra finalizar, vamos ligar pro tio Snow e avisar que "if we burn, you burn with us".



Deixe um comentário