Amor, amar, amei, deixei.
Tempo vai e vem, 
Tu continuas existindo em todas as datas. 

Nos momentos de solidão, 
Tu insistias em dizer que estava ali. 
Quando estava no meio de uma multidão, 
Invejando o amor, tu que gritavas dizendo que este estava em mim. 

Pois, me dê motivos para minha solidão?
Motivos para esse choro que insiste em se derramar por mim? 
Não quero mais viver assim. 

Não quero estas infinitas interrogações a cada fim de pensamento. 
Me sinto vazia, mas me dizem que é porque quero. 
Amor, por que fugistes de mim?
Mesmo estando aqui?

Desfaço-me, procurando por algo, que não se pode tocar.
Com uma extrema vontade de poder sentir. 


                                                                         





Deixe um comentário