São tempos nublados.
Tempos distantes.
Todos apenas estão pensando no "adeus" 
O medo, batendo na porta, 
E o que podemos fazer?

Existe essa pequena incógnita em cada fim de pensamento. 
Todos estão adiando o "partir", 
Mas os dias são curtos e as noites minutos. 

O sorriso consiste no rosto, mas o medo está nos olhos.
Depois de tudo, para onde eu vou? 
Isso tudo aqui vale a pena? 
As lágrimas são armagas, 
O coração sangra.

O tempo passa, o coração para de sangrar, 
As memórias dos sorrisos, permanecem. 

Apesar de todas as perdas nesse tempo, 
Encontramos uma forma de sorrir, seguir em frente, 
Mesmo com as marcas por nosso corpo.



                                                                          


Deixe um comentário