Eu não estou com raiva. É só que isso de namoro á distância tem sido complicado pra mim. Tem sido bem difícil não te ver todos os dias, não poder te abraçar e muito menos beijar-te enquanto você não cala a boca. Dói tanto pensar nessas pessoas que têm o privilégio de passar o dia com você, e não fazem ideia disso. Eu daria tudo por algumas horinhas com você. Quando estamos juntos, entretidos um com a presença do outro, uma hora passa rapidinho. Mas esses meses que estou longe de você... Parecem anos. Acabe logo com isso. Diga-me quando vou te ver. Tenho medo de que o que temos acabe assim como tantos outros relacionamentos á distância. E se você conhecer outra pessoa? Se você se apaixonar e quiser terminar pra ficar com ela? E se eu cansar de esperar? 
         Meus anseios possuem fundamentos, nisso você tem que concordar. E depois de tanto tempo longe, eu não consigo mais ter certeza dos meus sentimentos, quem dirá dos seus. Ando tão perdida e tão inconsolável. Só queria um ombro amigo, de preferência o seu, pra chorar. Mas você está em outra cidade agora. Estamos tentando manter isso firme mesmo com tantos quilômetros entre nós. Quando prometi ficar, não foi em vão. Eu fico, por você. Assim como você prometeu. E ficou. Não fisicamente, mas ficou. Você está no ar que eu respiro; seu cheiro está nas minhas roupas - e eu faço de tudo para que essa fragrância perpetue -; seu rosto não sai da minha mente sequer um momento. 
         Toda essa ladainha pra dizer que sinto sua falta. Sinto saudades, ok? Todos os dias falo com você por telefone, mas acho que nunca me ocorreu dizer isso assim, tão diretamente. Mas eu sinto muita, muita falta de você. Tá bom assim? Espero que esteja. Não vejo a hora de te ver e de abraçar. De te encontrar e voltarmos a sermos nós: Lua e Navi, e nada mais que isso.
Até que a distância se dissipe,
sua Lua.

N/A: Com a tentativa de manter o blog mais organizado, fizemos um calendário para manter ordem nos posts e, de certa forma, nos obrigar a fazer posts que acabamos esquecendo - como é o caso de Lua e Navi. Fico tão feliz em escrever por esse casal. Eu entro num personagem, crio histórias na minha cabeça, que talvez nem sejam possíveis de existir, mas eu quero que se façam entender nas palavras que aqui escrevo. Próxima semana tem mais, não necessariamente de Lua e Navi, mas com certeza tem mais! xoxo,


Deixe um comentário