Aos que parecem não sentir medo,
             Não se esconda por trás dessa máscara falsa.A juventude está precoce e isso me chateia. Não que eu não faça parte dessa faixa etária, mas eu não faço a mínima questão de pular essa fase da minha vida - e pelo que me parece, grande parte dos adolescentes parecem pedir por isso. Imploram por maturidade, desejam mais do que tudo sua maioridade, mas estão traçando o caminho errado. Se quisessem mesmo tudo isso, fariam por onde: assumiriam responsabilidades, veriam a vida de uma forma diferente. Contudo, preferem viver aquilo que não os levará a lugar algum, exceto a um fim fatal. O medo faz parte. O anseio é essencial. Mas fingir que nada teme, encarar o mundo de uma forma totalmente errada pode ser péssimo pra você mesmo. A vida não vai ser mais fácil pra você porque está encarando-a - pelo contrário. A vida vai te massacrar se você for contra ela.
             O jovem a que me refiro merece ser chamado de inconsequente. Põe um cigarro na boca como se aquilo dependesse de sua vida. Assumem vícios desnecessários, mas a que preço? Viver?! Se a resposta for "sim", procuraram a definição de viver no dicionário errado. Por mais que lhe pareça bastante divertido, você não consegue ver que isso é pra acabar com você. Que a cada besteira que você quer fazer, a cada decisão que toma sem pensar, é a sua vida que está indo pelo ralo, assim como as dos seus amigos que vão no mesmo caminho. Eu sei como é ter a adrenalina circulando por suas veias. Eu sei como é bom aquele gosto de liberdade que sentimos ao fazer algo que ninguém possa nos impedir. Mas certos vícios são ruins e você não pode deixar sua vida aí por um simples calor do momento.
             Você quer ser diferente de todo mundo usando as drogas que usa, fazendo essas besteiras sem pensar, e acaba se tornando igual a todos que também querem ser diferente. E lhe pergunto de novo: a troco de quê? Você perde a vida - em todos os sentidos da expressão - nessas loucuras que inventa de fazer, enquanto poderia estar fazer algo que realmente lhe proporcionasse viver. Enquanto você prefere provar uma nova droga para sentir o prazer de uma diversão, você poderia se viciar em algum esporte novo. Esse é só um dos milhares de exemplos de vícios bons, que lhe são realmente benéficos.
             Vivemos em um mundo em que a televisão, as músicas, o cinema, mostram como é a diversão dos adolescentes no posto de serem inconsequentes, de tentar viver cada segundo como se fosse o último. Não pensem a crítica por trás daquilo tudo, gritando na cara de cada no fim de um episódio, do filme, de fotos que aquilo machuca, destrói internamente e externamente, e sinceramente isso não é liberdade. Isso é bem o antônimo de liberdade. é como se prender numa vida que não é a sua realmente. Você acaba vivendo algo que uma hora ou acabará com você ou você terá de acabar com ele. Postar uma foto nas redes sociais com bebidas em volta, cigarro na boca, e um monte de gente numa troca vulgar de amores perceptivelmente proibidos e receber milhares de curtidas e comentários de aprovação não significa nada. É apenas uma imagem, uma imagem de diferença que você quer passar, imagem de ser o "cara" dentre os outros que tem um pouco mais de cautela em suas mentes, quando por dentro você não é nada disso.

Nota: Uma carta que provavelmente seja uma daquelas que possuam os assuntos mais fortes, mais complexos. É impossível escrever sobre tudo em apenas uma carta, então que fiquemos aqui com esse 1/5 de tudo que gostaríamos de dizer. Até a próxima!


Deixe um comentário