Finalmente chegamos ao primeiro dia do ano depois destes 69 anos que demorou para acabar 2015, o qual eu tenho gostado de chamar de "ano 8 ou 80": ou você amou, ou você odiou. Para mim, devo confessar, não foi um dos melhores, principalmente porque vim de um 2014 fantástico. De qualquer forma, este fora definitivamente um ano com retrospectivas preocupante, mas digna de ser vista, lida e mostrada. Trouxemos o que encontramos de mais interessante neste 2015:

Não tente negar: você com certeza já viu algum destes perambulando por aí. Trata-se dos chamados "livros de colorir para desestressar". Fora o ano em que surgiram tais criações, e eu mesma aderi à moda: comprei todos, inclusive o último lançado - Oceano Perdido. De tudo rolou a respeito dos livros: de memes ironizando o "antiestresse" até pessoas competindo para saber quem seria o primeiro a terminar de colorir tudo. Querendo ou não, hoje, se você entra em uma livraria qualquer, existem pelo menos 5 tipos de livros diferentes, com desenhos diferentes e temáticas mais variadas.



Você não faz parte do mundo da internet se você não viu o tamanho crescimento do feminismo durante este ano de 2015. Sim, fora um ano maravilhoso para o movimento, um ano em que as mulheres ganharam voz de uma forma surpreendente. Enquanto uns utilizaram as redes sociais para exalar o seu preconceito e fobias com as diversas raças, as mulheres a favor do movimento marcaram presença em diversas rodas de discussão, o que nos enche de orgulho. Chega de aceitar calada o bando machista criminalizando Fabíola, chega de ficar ouvindo mimimi de homem que se deu muito mal no ENEM porque já iniciou-se sua redação verbalizando o seu preconceito. 2015 fora marcado por essa forte aparição, e 2016 promete ser ainda mais. Iniciativas como #MeuPrimeiroAssédio e #MeuAmigoSecreto foram apenas algumas das maneiras de demonstrar que não são uma ou outra que sofrem com o machismo da sociedade atual. Boa parte das mulheres, a maioria, já sofreram devido a isso, e não vamos mais aceitar quietas. É apenas o começo, devo dizer.


Enquanto umas utilizaram o Facebook como um meio de denúncia, outras pessoas descobriram que publicações no Facebook não doem tanto quanto falar na cara de alguém todas as barbaridades que lemos durante este ano. As pessoas resolveram, do nada, destilar seu veneno pela rede social mais comum e a cada nova publicação, descobríamos um novo machista vivendo entre nós, uma nova pessoa contra a corrupção, mas que fura fila no caixa do supermercado. Ou descobríamos o religioso que critica o novo "modelo" de família (que na verdade existe há muito tempo), mas que trai a esposa. Eu gosto de dizer, inclusive, que 2015 foi o ano da hipocrisia. 


Antes de mais nada, gostaria de ressaltar que este concurso já deu o que tinha que dar. O Miss Universo fará 64 anos de existência e eu não consigo entender como depois de 10 anos as pessoas ainda acham graça nisto: ver várias mulheres lindas, que se prestam ao papel de estar ali, mostrando seus corpos como expositores para serem julgadas e premiadas como a mais bonita. Anyway, fora em 2015 que aconteceu pela primeira vez a coisa mais constrangedora que poderia acontecer: chegara a hora de anunciar a vencedora do concurso, e o apresentador confundiu-se com a ficha que trazia o nome das finalistas e a Miss Colombiana (que muito lembra a Sofía Vergara - Gloria, de Modern Family) recebera a coroa, as flores e a faixa de Miss 2015. Recebera os aplausos, deu tchauzinho para todo mundo e até balançou a bandeirinha da Colômbia, orgulhosa por ter ganhado o título. Alguns poucos minutos depois, o apresentador retorna ao palco pedindo desculpas, claramente envergonhado pela situação, e anuncia que, na verdade, a vencedora do Miss Universo 2015 fora a Miss Filipina. Gostaria, ainda, de fazer um adendo a respeito do ocorrido: houveram boatos de que fora tudo planejado, apenas para dar uma animada no concurso que já está ficando repetitivo e chato. Por fim, a colombiana com certeza ficara mais famosa do que a moça de Filipinas, que ganhou o concurso.


Querendo ou não, a ideia ficar 48 horas sem o aplicativo causara pânico em boa parte da população internáutica. Não dava pra imaginar como lidar com o aplicativo mais utilizado como meio de comunicação entre as pessoas hoje em dia. Não fora nem um dia inteiro, e todas as pessoas recorreram aos outros meios: Telegram, Viber, ou o próprio Messenger do Facebook. O aplicativo ficou fora do ar para os usuários de Tim, Oi, Claro e Vivo devido à uma intimação judicial, que corre sobre sigilo e o autor da ação não pode ser informado. O sindicato ainda informou que nenhuma empresa de telefonia faz parte da ação que levou à intimação. De qualquer forma, já sabemos que temos outras meios para recorrer caso caia novamente.



E enfim chega acaba este demorado, conturbado e preocupante 2015. Tanto para os que amaram o ano quanto para os que odiaram, só resta o sentimento de esperança e desejo por um novo ano melhor, com muitas realizações, coisas boas acontecendo, sonhos a serem realizados, que o nosso blog possa prosperar! E que todos nós possamos ser pessoas melhores a cada novo dia, independente de ser um ano novo ou não. Nós, Adormecidas, desejamos a todos um próspero 2016! Um grande beijo, e até a próxima. 


Deixe um comentário