Para poucas pessoas no mundo,
Eu queria entender como é ser sortudo. Como é não precisar cruzar os dedos, rezar para todos os santos ou fazer mandingas para que algo dê certo. Queria saber como é não precisar escolher entre o jogo ou o amor, pois se tem sorte nos dois. Ah, como eu queria ter sorte no amor! Queria ter a sorte de encontrar alguém tão bom para mim que me fizesse ter olhos apenas para ele, que ninguém mais no mundo existisse quando estivéssemos juntos - e até quando não, também.
Às vezes é bom ser um pouco azarado, você aprende a lutar. E cada conquista é mais valiosa que a outra. Confiar somente na sorte é um grande erro, afinal, um dia ela acaba. Você vai aprendendo aos poucos que a vida não é fácil, e que cruzar os dedos não vai adiantar. A sorte pode falhar. E você pode ser a pessoa mais sortuda do mundo, mas vai chegar um momento em que isso vai te deixar na mão. E de repente, em um instante em que se piscava os olhos ou algo ainda mais impercebível como respirar, você perdeu toda a sorte que tinha. Nesses momentos, é a fé que entra no lugar. Não precisa ser a crença em alguma divindade, ou uma determinada religião; mas a fé de que independente de quão grande ou pequena seja a sua sorte, você deve acreditar que vai dar certo. Que é você quem faz a sua sorte.
Mas de alguma maneira, eu acho que estou enganada. Somos muito sortudos, sim, todos nós. Sorte a nossa que saudade não mata. Sorte a nossa que a vida está aí, só esperando para ser vivida. Sorte a nossa que a cada dia temos uma nova chance de viver, de errar, de crescer. Sorte de ter um lugar para chamar de casa. Sorte de poder acreditar no que quiser. Sorte de ver com os próprios olhos o quanto a vida pode ser bonita, e que só depende de nós mesmos para que seja ainda melhor. Sorte a nossa todo dia ter pelo que agradecer. Sorte a nossa ainda não ser proibido sorrir. Sorte a nossa ter a humildade de não se considerar ter sorte, mas ainda ter de sobra para saber que dias melhores virão. Que sorte a nossa!

Nota: Queríamos ter muita sorte; mas também queríamos fazer por merecê-las. Voltamos com as cartas, toda quarta-feira (ou quase toda), às 10:00! E caso sinta o interesse de nos enviar um tema, pode falar conosco pelas redes sociais ou por e-mail. Até a próxima semana!


Deixe um comentário