Pode conter spoilers!

Nesta última quarta (20) chegou à Netflix o segundo episódio da primeira temporada de Shadowhunters, e depois de fazer o post sobre o primeiro, eu quis trazer meus comentários a repeito do segundo, que ainda não veio como uma das coisas mais maravilhosas da vida, mas digamos que eu estou começando a me acostumar com algumas ideias.
Primeiro que eu não aprendi a lidar com o quão diva e maravilhosa está sendo a Isabelle. Sério, estou amando a atriz, a presença dela é uma das partes que até me faz esquecer um pouco da atuação dos outros e dos efeitos horríveis que os dois primeiros episódios nos apresentaram, assim como Simon, que é quase como um alívio cômico. Eles dois juntos, então, não vou nem comentar.
Bom, o episódio começa com Clary partindo em busca de respostas a respeito de si mesma, e Jace leva-a para conversar com o Hodge. Enquanto isso, rola uma ceninha de briga entre Luke e uma mulher pertencente ao Ciclo - o que foi bem legal, porque não tem nada de efeito e até que ficou bem feita. Voltando ao Instituto dos Shadowhunters, Clary faz perguntas a Hodge (que é um gato!) sobre o Ciclo e descobre que Jocelyn fazia parte disso. É aí que mais perguntas brotam em seu cabeça e junto de Jace, finalmente descobrem que suas memórias foram apagadas. Procuram por Dot, a amiga dela que ela acaba descobrindo que é feiticeira, mas não a encontram. Então, o único jeito de ter essas memórias de volta é fazendo uma visita aos Irmãos do Silêncio, mais ou menos como no filme. Ela descobre algumas coisas, mas o que termina o episódio com uma "vontadezinha" de assistir o próximo fora a cena em que vampiros capturaram Simon e o levaram com eles, pedindo em troca o Cálice. E agora, só próxima semana.
Eu não consigo expressar o quanto eu acho a atriz que faz a Clary uma menina de Malhação. Sério. As expressões dela, até a postura, nada me agrada! Pode ser pelo fato de que adoro a Lily Collins, mas eu realmente não gosto dessa menina de agora. Também espero que seja algo que mude com o tempo.
Contudo, olhando para o episódio como um todo, eu o achei bem melhor que o primeiro. Não existem tantas cenas com efeitos quanto o Piloto e até que, como eu disse, estou me acostumando com os pontos negativos que encontrei na série. É importante lembrar que o início ruim não compromete a série inteira; temos Doctor Who, por exemplo (um exemplo muito bom, concordemos), que tem um início horrível, com efeitos horríveis, mas que hoje faz muito sucesso (mesmo que há muito tempo tenha sido lançado o primeiro episódio, e Shadowhunters seja recente). Para esta vez, dou 3 luas, pois vi uma certa melhora. Ainda temos 11 episódios para dar o veredicto final e ter a certeza de que foi bom ou ruim. Até a próxima!




Deixe um comentário