Estava na praça de alimentação de um shopping qualquer e parei para observar as pessoas á minha volta. Um casal hétero ao meu lado brigava sem parar, talvez por alguma bobagem que ele tenha feito e deixou-a chateada. Uma mesa com cerca de seis adolescentes e não havia um que abrisse a boca para dizer sequer uma saudação: todos estavam vidrados nos celulares em mãos, talvez até conversando com eles mesmos via algum aplicativo de comunicação. Mais á frente, havia uma senhora. Ela vestia um suéter verde escuro e estava parada, quase estátua, assim como eu, observando tudo. Suas expressões eram ora pensativa, ora intrigada. Ela parecia questionar as mesmas coisas que eu: por que o casal brigava por um motivo bobo? Por que os jovens não conversam entre si? As coisas andam tão sem rumo que talvez até as respostas dessas perguntas tenham se perdido.
        Cá, entre nós, eu gostaria de ler mentes. Gostaria de saber no que as pessoas pensam e saber o que elas esperam para o amanhã. Esperam que algo mágico aconteça e o casal de uma hora para outra faça as pazes? Esperam que algum e suficientemente um dos jovens guarde o celular e perceba que as pessoas ao seu redor também são seres vivos pessoalmente comunicáveis? Quando contarão para essas pessoas que esperam demais que nada vem de mão beijada? Esforço. Luta. Batalha. Conquista. Mérito. Se você quer, você consegue. Se batalhar por aquilo que merece, terá. 
        Só não adianta esperar. Você vai esperar tanto por uma "luz", que vai acabar desistindo de todas as suas expectativas. Onde estão aqueles apaixonados pela vida? Onde estão nossos utópicos e loucos, loucos uns pelos outros? Falta amor, falta bondade. Falta a compaixão com o próximo, e principalmente, falta sentir que, igualzinho a você, o outro também sente, também vê. Também enxerga que o amor é bonito e que a felicidade é uma questão de ser. Então por que você não é? Não existe coisa mais bonita, mais pura do que um sentimento correspondido. Seja amor, seja felicidade, seja ansiedade, seja o que for. Só pelo fato de saber que alguém no mundo sente o mesmo que você: faz a vida valer a pena.
        Vi a senhora se levantar com uma expressão mudada. Ela continha um brilho no olhar e um quase sorriso se criando no canto de seus lábios. Será que ela chegou á mesma conclusão que a minha? Será que ela vai começar a fazer aquilo que em toda sua vida não fez? Será que ela sente e vê o mesmo que eu? Só em outra vida saberei.

N/A: Não tenho muito o que falar sobre esse texto. Quando comecei a escrevê-lo, não tinha muita ideia do que falar. Mas fui levando, fui levando. Já devo ter falado por aqui ou no Twitter  que ando feliz demais e prestando atenção demais nas pessoas á minha volta e no quando elas andam alienadas. Hoje o post é uma crônica, ou pelo menos era pra ser, sobre os nossos comportamentos. xoxo,



Deixe um comentário