Ouvi uma amiga dizer que estava cansada do namorado. Disse que ele estava cobrando-a demais e que ela precisava de espaço. Automaticamente, pensei no porquê dela não ter dito á ele que estava se sentido presa. Mas não foi só ela que tomou minha mente dessa forma, mas, sim, todos esses casais de hoje em dia que preferem ficar com suas próprias emoções e sentimentos guardados no peito ao invés de demonstrá-los para aquela pessoa que escolheram ficar, amar. Acredito, e nem sempre acreditei, que ninguém é obrigado a manter uma relação. Quando ela está sem saída, a solução é terminar tudo. Não que não hajam problemas - nem pense que eu quis dizer algo do tipo! Contudo, dizer que ela está sem saída é como aparecer um problema e o casal não conseguir resolver juntos. Quando cada um escolhe o seu caminho, mas se sentem presos naquela vida que eles gostam de ter. A única solução para isso, meu caro leitor, é acabar tudo  e recomeçar. Não recomeçar do meio ou quase do final. Apague tudo e comece do zero. Tudo se torna mais fácil quando você se dedica e acredito que aquilo será bem sucedido. Todas essas coisas passaram pela minha cabeça enquanto minha amiga falava o que tinha acontecido.
O que realmente me chateou foi quando ela disse que havia traído ele. Não foi uma traição daquelas absurdas, não... Ela simplesmente beijou outro rapaz. Eu não vi minha expressão, mas posso jurar que foi de espanto. Ela parecia tão satisfeita com ele, tão feliz. O que a fez trair? "Eu precisava experimentar coisas novas, saber se é com ele mesmo que eu devo ficar", foi isso que ela respondeu. Fiquei ainda mais chocada. Desde pequena, penso que quando se começa a namorar alguém, é quando se tem certeza. Nunca, jamais, em hipótese alguma, deve-se aceitar namorar alguém quando o amor é incerto. Nada funciona na incerteza de uma paixão. As pessoas procuram solucionar as coisas das maneiras mais fáceis, como ela mesma fez ("experimentando" coisas novas). Entretanto, meu leitor, você concorda comigo quando digo que tudo seria mais fácil se ela simplesmente conversasse com o próprio namorado e dissesse o que sente? 
Eu tenho certeza de que ele entenderia, que ela deveria contar o fez antes que ele soubesse de bocas erradas, seria pior, e eu disse isso a ela. Eu disse também que é claro que ele ficaria com raiva. Ele seria capaz de nunca mais olhar na sua cara, mas isso são consequências da ação mal pensada. Todavia, pode acontecer que ele aceite. Pode ser que ele queira dar um tempo, eu sei. Mas será o melhor para os dois, também sei. Isso tudo é consequência de um crime legal: amar incertamente. 

N/A: Definitivamente, não sou boa com crônicas. Era pra ter feito uma história totalmente diferente, talvez com diálogos, ou coisas do tipo. É o que temos pra hoje - agradeçam ao meu bloqueio criativo que só aparece nos momentos errados. E, sobre esse texto, acho que as duas pessoas que supostamente conversavam nunca saíram da minha mente. Seria como eu e uma amiga imaginária (?), como se eu precisasse de alguém pra aconselhar quando todos os meus amigos já estão com suas vidas no lugar. xoxo,


Deixe um comentário