Salvador, 30.06
          Resolvi viajar. Aproveitei as férias e fui. Não muito longe, mas também não muito perto. Queria só ficar longe da minha família. Não que agora eu esteja muito bem sem eles - estou indo de mal á pior. Mas, confesso, agora consigo respirar mais tranquilamente, sem ter que prestar contas com ninguém e sem me aborrecer por algo saiu do meu controle. Em Fevereiro desse ano, a única coisa que eu queria era me "jogar na vida". E é exatamente isso que agora estou fazendo. Minha mãe ficou um pouco chateada; ela queria que nessas férias, nós pudéssemos viajar juntas. Mas aí eu pedi pra vir pra Bahia, visitar alguns familiares, e quando ela perguntou "então, que dia nós vamos?", eu respondi "desculpa, mãe... Quero ir sozinha.". Pude ver sua cara de frustração. Questionei-me até o dia da viagem que tipo de filha eu sou. Mas essa nossa relação difícil é só culpa minha?
          Mas, sinceramente, não gosto de chamar especificamente de culpa. Realmente, não é culpa. É só uma questão de quem sente mais falta e quem mais se importa. Aí as minhas respostas são sempre fáceis demais. Eu. Sempre eu. Sinto falta dela, sinto falta de poder conversar com ela. A gente briga e se eu dou um sorriso - por mais falso que seja - ela já pensa que está tudo bem, está tudo certo entre nós. Mas não está. Nunca ficou tudo certo. Não tem como ficar "tudo certo" com tantos julgamentos e dúvidas entre nós. Vejo minhas amigas todas com problemas relacionado ás suas vidas amorosas e eu aqui, escrevendo um diário pra falar sobre a minha relação complicada com a minha própria mãe.
          Por que não podíamos ser normais? Por que simplesmente não convivemos bem, como mãe e filha? Se fosse há poucos meses atrás, ao escrever isso, eu iria chorar rios. Mas, agora, eu simplesmente fico calada. Observo a rua pela janela do meu quarto. Meus amigos que vieram pra cá uns dias depois de mim, me esperam na sala para mais uma noite de festa animada. Até logo, querido diário. Espero que da próxima eu já esteja curada dessa síndrome da carência!
Antonieta.

N/A: Como é bom postar Diário Anônimo! Antonieta está de volta, e agora na Bahia! E se você quiser mandar seu diário, mande para o e-mail mydreamsstayhere1@gmail.com. xoxo,


Deixe um comentário