Estupidamente tento.
Sorrio para nada como uma forma de treino.
O céu ficou negro
Não existe mais significado para o singelo ato de sorrir. 

Tomo uma tose de poesia, 
minha droga preferida. 
Ah, ela não faz mais efeito. 

Tenho inutilmente me esconder atrás de um cigarro.
Melancolicamente, 
desistindo daquilo que nunca existiu. 
Como uma viciada, 
que não ver a chamada luz, 
e por tanto desespero acabou se tornando as trevas.

                                                                           


Deixe um comentário